Follow by Email

domingo, 17 de fevereiro de 2013

PREGAÇÕES e peças para culto infantil


História da vovó queria levar uma mala cheia de pecados para o céu

Há muito tempo tô querendo essa história, mas não estava conseguindo na net, até que contaram ela na minha igreja e aqui está: 

Resumo da História da vovó que queria levar uma mala cheia de pecados para o céu:


Pode começar assim:

Alguém está começando a contar uma história, pode ser a do livro sem palavras por exemplo, então entra a vovó fazendo o maior barulho ( chamando a atenção mexendo com as crianças) e começa a dialogar com ela e a tia pergunta vovó o que você está trazendo aí? a vovó entra trazendo uma mala,e diz que disseram para a contadora de história que quer ir pro céu hoje e ficou sabendo que ela sabe o caminho do céu, então a vovó pede uma cadeira e senta. E a tia diz que quer contar uma história, então a vovó diz, não, eu quero ir pro céu hoje e você tem que me ensinar o caminho.

A moça fala: primeira coisa a gente não leva mala pro céu, então a vovó fala :leva sim e eu vou levar tudo pro céu, eu sei ,por que eu tenho a experiência...a contadora diz que nunca viu ninguém levar mala pro céu...

Então a tia pergunta o que tem dentro da mala.

*A vovó começa a abrir a mala e tira da mala um pote, a tia pergunta o que tem dentro do pote e pega o pote pra ver, quando ela abre vê e dentro tem um monte de mentira, então a contadora, pega a Bíblia e mostra para a vovó, a vovó interrompe e diz mas minha filha todo mundo mente, mente pro pastor, pro papai , pra mamãe e lê um verso em João cap.8 verso 24 que diz que o diabo é o pai da mentira. e depois de um diálogo a vovó diz q não vai mentir mais...


*Então a vovó diz que tem outra coisa na mala e que quer levar pro céu e retira da mala um pote e mostra pra tia, dentro do pote tem muita inveja e a vovó fala que tinha inveja do cabelo de outra pessoa, e diz que todo mundo tem inveja, inveja do vestido da outra, do namorado da outra, do carro... então a tia lê em 1 Co 6.9 e 10 e diz que os invejosos não entram no reino de Deus, então a vovó joga o pote fora .

A tia diz posso jogar sua mala fora agora? A vovó diz que não por que tem que levar seus remédios pro céu, porque tem um monte de doenças, dor nas costas ,então a tia lê em Apocalipse 21. 4 que lá no céu ela não precisa mais de nada disso, porque lá não tem dor, num vai ter doença...., então a vovó joga tudo fora e a vovó diz que quer ir pro céu agora.


Depois a vovó tira uma caixa da mala e mostra pra tia a caixa que quando abre vê que dentro dela tem muita fofoca, elas dialogam , a vovó diz que falar da vida dos outros é bom... e atia fala que não é bom fazer fofoca e a tia convence a vovó a não fofocar mais, então a tia pede pra a vovó jogar a mala fora, 


mas a vovó não quer e diz que quer levar pro céu e tira da mala um saco, cheio de desobediência,a tia fala que ir pro céu num é igual a comprar uma passagem de avião, pegar uma mala e viajar não, ir por céu é coisa séria!E elas começam a conversar sobre a desobediência, até que a vovó é convencida que desobediência também não entra no céu.


Então a vovó tira do céu um monte de comida por que num quer passar fome no céu, e a tia lê que no céu nunca mais teremos sede, nem fome e a vovó pergunta: tem certeza? Por que eu não quero fiar com fome lá não, então a tia tira a mala fora . E começa a ensinar a vovó o caminho do céu e começa a contar a história do livro sem palavras pra ela e ela começa a perguntar sobre as cores:

O amarelo que representa o ouro, mas para ir ao céu o nosso coração não pode estar sujo (preto)mas Jesus deu seu único filho pra perdoar nossos pecados : Jesus( vermelho ), ( branco) mas ele ressuscitou, mas pra ir pro céu eu tenho que aceitar a Jesus como meu salvador, então a vovó aceita a Jesus, e convidam as crianças que também quer aceitar a Jesus e começam a orar.


Depois da oração , ela mostra a cor verde que lembra a esperança , as plantas e diz que quando plantamos uma sementinha temos q cuidar dela , colocando água, adubo, podando pra ela crescer assim quando aceitamos a Jesus temos que cuidar de nossa vida para crescermos espiritualmente, orando, lendo a Bíblia , jejuando, falar de Jesus, louvar....quando alcançamos este crescimento estamos preparados para ir ao céu.

Então para irmos ao céu, temos que jogar todos os pecados fora, mas temos que esperar Jesus voltar, ou a gente morrer.

Você pode fazer adaptação do diálogo de acordo com a sua realidade, colocar outros tipos de pecados etc.

multiplicação dos pães e peixes


Para saber mais a história, leia: João 6:1-14; Marcos 6:30-44; Mateus 14:13-21; 

Você precisará de:

• Um avental com bolsões na frente e bolsões atrás;

• Cédulas ou moedas;

• Pedaços de pães cobertos em um papel filme;

• Peixinhos de plástico;

• Um boneco vestido com roupas dos tempos bíblicos, caracterizando o menino que doou seu lanchinho.

• Cestinhas pequenas de vime.

Enquanto conta a história as crianças irão retirando dos bolsões os objetos referente a mesma.

Mensagem:

Coloque o que você tem nas mãos de Jesus.

Hora da História:

Jesus estava ensinando ao ar livre certo dia. Havia 5.000 pessoas em pé e sentadas ao redor dele, ouvindo-o falar. Jesus viu que era quase hora do jantar.

O que acontece com as pessoas quando vai chegando a hora do jantar?

Jesus sabia que elas ficariam com fome.

- Precisamos arranjar alguma coisa par comer – disse Jesus.

Quanto, vocês acham, que custaria comprar comida para 5.000 pessoas? Retire uma cédula de um dos bolsos. Vocês acham que Jesus e seus amigos tinham dinheiro suficiente para comprar toda essa comida?

- Não temos dinheiro para comprar comida para toda essa gente – disse Filipe.

André falou: – Olhe aqui o que eu encontrei. Há aqui um menino.

• Peça a uma criança para retirar de um dos bolsões o boneco.

8 Histórias Bíblicas para Adoração Infantil Ele trouxe o seu lanche

Ele trouxe o seu lanche com cinco pães e dois peixes.

• Dar oportunidade às crianças de irem retirando dos bolsões os cinco pães e os dois peixes.

Bem… mas isso não basta par alimentar tantas pessoas. Quantos pães e quantos peixes vocês acham que seriam necessários para alimentar 5.000 pessoas? Mas o menino entregou os pães e os peixes a Jesus.

Jesus mandou que todos se sentassem. Ele agradeceu a Deus e começou

a distribuir os pães e os peixes para as pessoas.

Pedir as crianças que passem os pães e os peixes para as outras que ainda não seguraram.

Os amigos de Jesus ajudaram a distribuir o alimento.

Os pães e os peixes não acabaram

até que todos comeram. Quando toda aquela gente terminou

de comer, os amigos de Jesus recolheram doze cestos de sobras.

• Deixar que as crianças retirem dos bolsões das costas 12 cestos com pães e peixes.

Jesus alimentou 5.000 pessoas com apenas 5 pães e 2 peixes.

Queridos, Jesus planejou todo este maravilhoso milagre com aquele menino em mente!

Hoje, Ele tem os olhos postos em você. Ele sabe o que faria se você permitisse colocar o seu melhor, o mais valioso tesouro em Suas mãos.






































Reverência na Casa de Deus

 Reverência na  Casa de Deus
Para saber mais leia: Mateus 21:12-17
Mensagem:
Deus se alegra quando somos reverentes.
Hora da História:
Certo dia, Jesus chegou em Jerusalém com os seus discípulos e dirigiu-se ao templo.
Ao se aproximar ouviu um barulho esquisito. Não era 
som de hinos, nem de alguém pregando.Também não era o som de 
alguém orando.Nada disso! Era um barulho estranho. À medida que 
Ele se aproximava, começou a distinguir alguns sons.Ele ouviu o som de 
algumas vacas mugindo (muuu,muuuu),de ovelhas balindo (beeé, beeé), 
de pombos (trrrr,trrrr), de pássaros (til,til)...Como pode ter este barulho 
na igreja? E havia também algumas pessoas gritando (Quem quer trocar 
dinheiro pela moeda do templo? Um par de pardais por um asse! Um 
casal de pombos por um ceitil! Uma ovelha por 5 ciclos do templo! Um 
bezerro por 10 ciclos do templo!).
Pronto! Chega! Não precisamos fazer mais deste barulho todo.
Nossa que confusão, não é mesmo? Imaginem tudo isso na igreja, 
na casa de Deus?
Quando Jesus chegou no Templo , Ele parou e olhou e viu que havia 
uma verdadeira feira dentro do pátio.Alguns vendiam ovelhas(beeé, Uma 
ovelha por 5 ciclos do templo!), outros vendiam pombos(trrr, Um casal de 
pombos por um ceitil!)s, haviam aqueles que vendiam vaquinhas (béeee, 
Uma vaquinha por 10 ciclos do templo!), outros vendiam pardais (til,til- 
Um par de pardais por um asse!).E havia também os cambistas , que eram 
homens que trocavam o dinheiro que as pessoas levavam pela moeda 
do templo (quem quer trocar o dinheiro pela moeda do templo?).
Como vocês acham que Jesus se sentiu? Ele ficou muito triste! Ele 
começou a expulsar aqueles animais do Templo: 
•Vão embora vaquinhas (muuu,muuuu),aqui não é o lugar de 
vaquinhas(muuu,.muuuu)!
•Vão embora ovelhinhas (beeé, beeé), aqui não é o lugar de ovelhinhas 
(beeé,beeé)!44 Histórias Bíblicas para Adoração Infantil Histórias Bíblicas para Adoração Infantil 45
•Vão embora pombinhos(trr,trrr) , aqui não é o lugar de 
pombinhos(trrr,trr)!
•Vão embora pardais(til,til), aqui não é o lugar de passarinhos 
(tilt,til)!
•Jesus também expulsou os vendedores e cambistas e disse: Aqui não 
é o lugar de comércio!
Depois que todos os animais e vendedores saíram do templo, houve 
um silêncio profundo.Jesus falou: A Minha Casa será chamada de Casa 
de Oração”.
Crianças, a Casa de Deus, a Igreja, é um lugar em que devemos ser 
reverentes. Não é o lugar para correr, nem para comer, nem para mascar 
chicletes, nem para jogar papel picado no chão. Também não devemos 
chupar balas, nem conversar. Não é para ficarmos entrando e saindo, 
nem para fazermos barulho. A Igreja é o lugar para nós orarmos, estudarmos a Palavra de Deus e louvarmos ao Senhor, através dos hinos. 
Jesus fica feliz quando nos comportamos bem em Sua igreja.Vamos orar 
e pedir para Jesus nos ajudar a sermos reverentes na igreja ( finalizar orando com as
crianças)


VENCEDORES EM TODAS AS SITUAÇÕES


 EM CRISTO SOMOS MAIS QUVENCEDORES EM TODAS AS SITUAÇÕES.


Textos: Colossenses 2:15; 2 Coríntios 4:8-9; Romanos 8:37; Romanos 8:28; Salmos 56:9b

Texto para decorar: “Pois sabemos que todas as coisas trabalham juntas para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles a quem ele chamou de acordo com o seu plano”. (Romanos 8:28)



E foi na cruz que Cristo se livrou do poder dos governos e das autoridades espirituais. Ele humilhou esses poderes publicamente, levando-os prisioneiros no seu desfile de vitória”. (Colossenses 2:15)


Nós fazemos parte do time vencedor, desfilamos ao lado do Senhor, comemorando a vitória, assim como festejamos quando o nosso País é campeão do mundo no futebol. Apesar de que algumas vezes percamos alguns jogos, o campeonato, a taça, a grande final já foi vencida, o resultado é definitivo, a vitória é nossa. Aleluia!


O inimigo gosta de nos fazer acreditar que somos perdedores, porque passamos por alguns problemas, doenças, mortes e dificuldades. Ele quer que acreditemos que somos derrotados, que não há mais jeito, que não há mais saída! 


Na Bíblia, no livro de Gênesis, aprendemos que todo filho de Deus passa por situações difíceis, por vales de sombra e morte, por problemas, mas Deus usa essas situações para mudar nossas vidas, para que possamos sair delas mais preparados, transformados, parecidos com Jesus.


Há um jovem na Bíblia chamado José que foi um grande vencedor, ainda que ao longo de sua vida ele tenha passado por sérios problemas. Deus tinha planos específicos para a vida dele.


            José era o filho amado e preferido do seu pai Jacó, era invejado e era odiado pelos seus irmãos mais velhos por causa disso. Então, longe de casa, um dia decidiram se desfazer dele; lançaram-no em um buraco e depois o venderam para um grupo de comerciantes do deserto que o levaram como escravo para o Egito. Um país muito diferente, longe da casa do seu pai.


José poderia pensar que o campeonato estava perdido, que ele era um derrotado, que Deus tina se esquecido dele. A Bíblia não nos relata o que se passou pelo coração de José nesses momentos, mas sabemos que ele nunca se abateu, e que sempre creu que Deus estava com ele. Ele sempre confiou na poderosa Palavra de Deus.


Depois que José chegou ao Egito foi comprado como escravo por um importante egípcio. O tempo foi passando, José era de boa aparência, educado, e chamou a atenção da esposa do seu senhor, que tentava seduzi-lo para ficar com ele. Certo dia a mulher de Potifar se lançou sobre José e já foi se agarrando em sua capa, mas José saiu correndo e sua capa ficou na mão daquela mulher. Novamente José foi parar na prisão, injustamente. Pois ela inventou que era José que havia tentado aproveitar-se dela.


Mas Deus estava no controle, dizendo: José, você é um vencedor, logo, logo a sua vida vai dar uma virada. Por enquanto estou trabalhando em seu coração. Quero transformá-lo numa pessoa perseverante, perdoadora, resistente, corajosa.


Talvez, você possa estar enfrentando algum problema muito difícil em sua família, ou talvez tenha reprovado na escola, ou alguém conhecido tenha falecido, ou tenha algum problema que pareça ser sem saída. Lembre-se sempre: VOCÊ É UM VENCEDOR! Talvez possa perder um jogo, mas isso não significa que seja um perdedor.


Assim aconteceu com José, depois de tanto sofrimento, solidão, humilhação, escravidão, ele foi coroado governador do Egito! O segundo homem mais poderoso do mundo naquele tempo! Ele foi exaltado por Deus, e todos viram isso, mas aos olhos do Senhor José sempre foi um grande vencedor.

Você pode se ver ou sentir-se hoje como um derrotado, mas não é assim que Deus o vê. Não se desanime nem perca a paciência, Deus está mudando seu coração, fazendo de você alguém parecido com Jesus. Davi escreveu algo que o consolava muito e era um principio que José nunca esquecia: “Uma coisa eu sei: Deus está comigo”. (Salmos 56:9b)

Saiba de uma coisa, Deus está sempre com você, e você faz parte do time vencedor.

Fonte:
http://portalsementinhakids.com

O presente de Lia




O PRESENTE DE LIA
Lia era uma linda menina. Era muito esperta e gostava de brincar. Ela também ia sempre à igreja com sua mãe. Mas Lia tinha um problema: toda vez que sua mãe mandava varrer a sala. Imaginem só! Lia ia bem escondidinha e jogava o lixo embaixo do tapete, e assim a sala nunca ficava realmente limpa, e a mãe dela logo descobria. Lia também não gostava nada de ter que arrumar a cama e dobrar os cobertores, ela sempre dizia:
— Quando eu for dormir eu vou bagunçar tudo de novo, então pra que devo arrumar?
A mãe de Lia insistia e então ao invés de dobrar os cobertores, Lia enrolava tudo e colocava no armário.
Quando a mãe dela chegava no quarto, pensava que estava tudo arrumadinho, mas quando abria o guarda-roupas... Ih! Já era. Lia não aprendia mesmo. Fazia tudo de qualquer maneira só para enganar a mamãe.
Um dia, quando Lia chegou da escola, foi direto ao seu quarto e começou a pular de alegria. Em cima de sua cama estava um grande e bonito embrulho com papel colorido e fitas encaracoladas. Lia ficou tão surpresa que não o abriu logo e ficou pensando o que poderia ser.
Pensou numa boneca de cabelos cacheados e com um vestidinho. Porém, para surpresa de Lia, quando abriu a caixa quase chorou ao ver uma boneca quase sem cabelos, toda suja e com vestido rasgado e feio. Que decepção!
Não demorou muito, a mãe de Lia veio abraçá-la explicando que muitas vezes também ficou chateada em ver tudo parecendo limpo e arrumado, mas que na verdade estava desarrumado e sujo. Lia entendeu a lição e procurou daquele momento em diante agir diferente.
Sabem, crianças, certa vez Jesus falou com um grupo de pessoas que achavam que a aparência era mais importante do que o que estava no coração. Eles lavavam cuidadosamente os copos e os pratos. Eles lavavam as mãos várias vezes antes de comer. Tinham todo o cuidado possível no preparo da comida. Eles achavam que assim estavam agindo certo. Assim eles estavam limpos. Mas eles não amavam a Deus. Eles não tinham amor por outras pessoas. Por fora estavam limpos, mas os corações estavam escondendo todo tipo de pensamento errado e sentimento feio. Em primeiro lugar, Deus quer um coração limpo.
Jesus não aceitou o comportamento falso, quer dizer, o de alguém fingindo ser uma coisa, mas, por dentro, ser outra. Ele não quer que as pessoas finjam ser boazinhas. Ele quer que as pessoas amem a Ele e ajam certo por amor. Deus conhece nosso coração e sabe tudo o que pensamos e sentimos, O que está dentro do coração é mais importante do que está do lado de fora.
Uma pessoa que vem à igreja e finge gostar de tudo, mas a semana inteira desobedece a Deus é alguém que está agindo como Lia, ou como as pessoas que Jesus criticou. Estão fingindo ser boazinhas, mas no fundo, no fundo não são. E você? Você está limpo por fora e por dentro?
(Extraído de Sugestões de Cultos para Crianças – Lições de Jesus – UFMBB – pp.62-63)



O semeador

Um caipira saiu a semear...
É uma versão da parábola do semeador(Lucas 8 de 4 a 15)


SEMEADOR: “que bão dia para samiá umas semente! ispero que elas brote e dê muitos fruto! Pena que num depende de mim o seu crescimento , mas minha parte eu tô fazeno (olha pro chão, perto do saco de sementes) _uai, sô! O saco deve tê rasgado e caiu quatro sementinha aqui no chão (abaixa-se e as pega) _vão sê as primeira a sê samiada.... (sai em seguida)


NARRADOR: Então o semeador passou o dia inteiro semeando todas as sementes que havia colocado em sua sacola... estava um dia maravilhoso e ele trabalhava com muita vontade e alegria...
Haviam passarinhos cantando bem alto nos pés de eucalipto, o sol iluminava de um dourado maravilhoso o milharal do sitio vizinho, que era cercado por umas plantas espinhosas, mas apesar do perigo dos espinhos, até que era uma cerca muito bonita que se estendia até umas pedreiras lá no alto do morro... o semeador trabalhou duro, mas nunca deixava o sorriso sair do seu rosto, pois aquela era sua vida...
No fim da tarde, quando o sol já estava se despedindo, o semeador volta para sua casa, feliz por mais um dia de trabalho...agora era só esperar as sementinhas germinarem...


SEMENTINHA 1: Acho que caí de mal jeito...ai, minhas costas..parece que fui pisada...preciso chegar naquela terrinha ali..não vejo a hora de nascer!!


CORVO: Hum...olá sementinha...


SEMENTINHA 1: Quem é você?


CORVO: Eu??? Sou um corvo.


SEMENTINHA 1: Corvo? O que é um corvo?


CORVO: Eu sou uma ave... Sabe o que nós aves mais gostamos de fazer?


SEMENTINHA 1: Não... Nunca conversei com ninguém, que não fosse semente.


CORVO: Gostamos de engolir sementes apetitosas e gordinhas como você....uahh!!


SEMENTINHA 1: Socorro!!! Alguém me ajude!!!


o corvo a ataca...


SEMENTINHA 2: Ai , que alegria! Estou germinando! Vejam minha raiz aparecendo, logo, logo darei muitos, frutos para alegria de todos! lá-lá-lá-lá....


o sol aparece


SEMENTINHA 2: Puxa vida, que calorão!!!


SOL: É verdade, sementinha... Hoje nem eu estou me aguentando...ufa!!


SEMENTINHA 2: Será que não dá pro senhor ir mais pra lá, não? Eu estou ficando desidratada!


SOL: É uma pena... Fui criado para não sair daqui... Não posso fazer nada... Só vai melhorar lá pelas cinco e meia da tarde...


SEMENTINHA 2: Mas seu sol, não tô aguentando... Preciso de água senão vou morrer! Alguém me ajude! Água, água!!! Água!!! Cof!!! Cof!!! Água!!!


SOL: Sinto muito, mas quando me emociono, esquento ainda mais...buá – tadinha da sementinha...


SEMENTINHA 2: Água...á-g-u-a...á... ( se encolhe e fecha os olhos) adeus, estou morrendo...


o sol continua chorando


SEMENTINHA 3: Aqui estou eu! Já estou crescendo, vejam que bom lugar eu estou, protegida do corvo que comeu a minha amiga e protegida do sol que secou a outra sementinha...coitadinhas...ainda bem que me dei bem...


ESPINHEIRO: Com licença, ô sementinha...


SEMENTINHA 3: Pois não, espinheiro...quer dizer alguma coisa?


ESPINHEIRO: Sabe o que é? Essa terra já tem dono..os espinheiros já vivem aqui por muito tempo, não sei se você vai conseguir viver no meio de tantos espinhos, não...


SEMENTINHA 3: Ué, por que você tá dizendo isso agora? Nós crescemos juntos...


ESPINHEIRO: é, mas as plantas da minha família crescem mais rápido e jogamos nossos braços por todo lado e sinto que vou crescer mais... (começa a levantar devagar e abraça a sementinha).


SEMENTINHA 3: Tire essas mãos espinhentas de cima de mim!! Eu quero crescer!!!


ESPINHEIRO: Não posso, faz parte da minha natureza enrolar em qualquer coisa!


SEMENTINHA 3: Me solta!!! Socorro!! Você está me sufocando! Cof! Cof! Aiii!!! Cof! Cof!


ESPINHEIRO: Sinto muito, sementinha, não posso fazer nada!
(a sementinha morre nos braços do espinheiro)


ESPINHEIRO: Eu tentei avisar... Essa terra só dá espinhos...


árvore entra


SEMEADOR: Mas que belezura de arve, meu Deus...óia só quanta fruta nela! é já tá na hora de coiê o que eu prantei...bem dispos eu faço isso..agora vô discansá um poco imbaixo dessa sombrinha...


ÁRVORE: Olha só como estou linda! Eu também era uma sementinha, mas tive tudo a meu favor. Cresci em terra boa... Não fui comida pelos pássaros, não fui pisada... Tive sol na medida certa... Não fui jogada no meio das pedras e nem no meio dos espinhos... Aí vieram as chuvas e aqui estou eu! Firme! Forte! Feliz e alegre!


NARRADOR: “ e os seus discípulos o interrogaram, dizendo: Que parábola é esta?
Respondeu-lhes jesus:
A vós outros é dado conhecer os mistérios do reino de Deus; aos demais, fala-se por parábolas, para que, vendo, não vejam; e , ouvindo, não entendam.
Este é o sentido da parábola: A semente é a palavra de Deus;
A que caiu a beira do caminho são os que a ouviram; Vem, a seguir, o diabo e arrebata-lhes do coração a palavra, para não suceder que, crendo, sejam salvos...
A que caiu sobre a pedra, são os que, ouvindo a palavra, a recebem com alegria; estes não tem raiz, creem apenas por algum tempo e, na hora da provação, se desviam...
A que caiu entre espinhos são os que ouviram e, no decorrer dos dias, foram sufocados com os cuidados, riquezas e deleites da vida; os seus frutos não chegam a amadurecer...
A que caiu na boa terra são os que, tendo ouvido de bom e reto coração, retêm a palavra; estes frutificam com perseverança...”

Falta concluir
Fonte: http://www.teatrocristao.net/

Jesus, meu super herói I

Pedro sempre gostou dos super-heróis da TV e por isso queria ser como um deles(e quem, quando criança não desejou voar como o Super Homem?).Mas num teatro, que se desenrola entre a conversa entre Pedro e seu amiguinho Carlinhos ele descobre que aqueles são heróis falsos.

E que o nosso verdadeiro super-herói é Jesus.
Personagens:
Pedro
Carlinhos
Materiais:
Aranha de borracha
Máscara do Homem-Aranha
Algo vermelho, preferencialmente um saco, desde que não seja plástico, para evitar perigos, para cobrir a cabeça de Pedro
Capa do Super-Homem
Em um dia Pedro estava pensando...e conversando com seu amiguinho Carlinhos...
PEDRO: Hum! Como deveria ser bom ter super poderes, mas, infelizmente, eu não faço a mínima ideia de como ter eles! (Ele pensa, pensa e pensa) JÁ SEI! De acordo com a revistinha do homem aranha, ele teve seus poderes logo após ter sido picado por uma aranha, então só preciso de uma aranha para ser picado!
Carlinhos: E como você vai saber qual tem veneno ou não?
PEDRO: Ah Carlinhos É só ligar para o Richard do programa “Selvagem ao Extremo”!
Carlinhos: Então está bem, não está mais aqui quem falou!
PEDRO: Vou procurar uma aranha!
Carlinhos: Não vai conseguir!
PEDRO: Fica quieto na sua
Carlinhos: Está bem então!
PEDRO: Olhem! (Aponta para a aranha de borracha) Achei uma aranha! Vem aranha, vem aqui, pode me picar eu deixo! (Enquanto ele fala deixa uma mão do lado da aranha e gesticula com a outra)
Carlinhos: Essa eu não quero nem ver! Tem certeza de que você quer fazer isso?
PEDRO: Lógico Carlinhos!(É picado pela aranha) Aí!!! Isso doe!
Carlinhos: Eu tentei te avisar!
PEDRO: Deixa! De acordo com o filme amanhã eu vou ter superpoderes, Padro vai para casa deita e fecha os olhos)
No dia seguinte...
(Pedro se levanta com um pulo)
PEDRO: Agora eu tenho super poderes, e sai correndo pra casa de seu amigo Carlinhos lá ele tenta dar um super pulo e cai no chão. Como?
Carlinhos: Eu bem que te avisei! Agora ouve minha ideia?
PEDRO: Pssssiuuuu Carlinhos! Já estou tendo outra ideia.
Carlinhos: Essa não!
PEDRO: De acordo com a minha teoria, se o super-homem veio de outro planeta e com o sol do nosso planeta ganhou superpoderes, sendo o deles vermelho, seguindo o inverso desta lógica, se eu ver o nosso sol vermelho, eu ganharei superpoderes!
Carlinhos: Mas como você vai mudar a cor do sol, me explica.
PEDRO: na verdade só vou por este saco vermelho na minha cabeça, para eu enxergar tudo vermelho! Para assim eu ter superpoderes que nem o do super-homem!
CArlinhos: Tem certeza?
PEDRO: Claro! (Pedro sai de cena)
Carlinhos: 10 minutos depois...
PEDRO: Achei um saco! Agora terei os poderes!
(Pedro coloca o saco na cabeça)
Carlinhos: Conseguiu Pedro?
PEDRO: É lógico olha! (Pedro faz um movimento como se fosse voar mas acaba caindo)
Carlinhos: Bem que eu tentei avisar! Agora, você quer ouvir minha ideia?
PEDRO: Fala logo!
Carlinhos: Olha Pedro, eu acho que o único modo de conseguir poderes é aceitando Jesus como seu único salvador!
PEDRO: Porque você não me disse antes! Vou logo para a igreja então! (Pedro saí)
Uma semana depois... (Pedro volta)
PEDRO: Narrador, não é que é verdade mesmo, depois que saí daqui naquele dia, procurei logo Deus numa igreja, lá eu aceitei Jesus como meu único e suficiente Salvador. No fim do culto, o pastor veio me cumprimentar e acabou comentando que tinha uma garotinha doente e que ele não poderia ir. Eu me ofereci a ir. Chegando lá, achei a menina doente, orei por ela e no exato momento em que eu terminei de orar ela falou que estava até com fome!
Carlinhos: Não é o máximo Pedro? Com Jesus nós podemos todas as coisas, desde que agradem à Sua vontade, pois, afinal, é Ele que nos fortalece! E nós acabamos melhor que o homem-aranha, super-homem, batman e todos os outros heróis juntos.




Uma adaptação seria Carlinhos chegar e contar pra Pedro que tem um amigo superpoderoso e toda vez que Carlinhos tenta falar que é Jesus, Pedro interrompe e pergunta: Ah já sei quem é seu amigo, só pode ser o ben-10 e você mostra uma figura do Ben-10 e fala alguma coisa sobre ele, então Carlinhos fala, não meu amigo é muito mais poderoso que o Ben-10 então Pedro novamente interrompe e diz então já sei seu amigo é o super-homem e você mostra uma figura do super-homem e assim você vai falando de alguns super-heróis até que o Pedro desiste de adivinhar quem é o amigo do Carlinhos e Carlinhos conta alguns dos milagres que Jesus realizou, fala que Jesus foi morto mas ressuscitou e tem muito mais poder do que esses super-heróis que passam na TV, e Pedro decide aceitar esse Jesus tão poderoso e ser amigo dele também!

Sugestão de super heróis:

Ben-10

Super homem

Homem Aranha




CONECTADOS COM JESUS

Tema: A necessidade de uma íntima comunhão com Deus.

Objetivo: Através da historia de Sansão, entendemos os riscos de não estarmos ligados a Deus.

Texto principal: “Depois disso Sansão se apaixonou por uma mulher chamada Dalila, que morava no vale de Soreque”. Juízes 16:4 / Juízes 14:1-3 e 16:1; 4,19-22; 28-31.

Introdução: Internet
Um dos avanços da tecnologia que mais tem refletido no dia-a-dia das pessoas e jovens é a Internet. Veremos como isto surgiu e o que podemos aprender deste grande avanço tecnológico.
A Internet surgiu na Guerra Fria. Quando a União Soviética lançou o primeiro satélite espacial (o Sputnik, em 1957), despertou inquietude americana; isso fez com que eles ficassem preocupados com a defasagem tecnológica. Neste mesmo ano, o Ministério da Defesa Americana criou a ARPA (Advanced Research Projects Agency) para ajudar na segurança do seu país.
Foi aí que surgiu a ligação do telefone com o computador. O primeiro e-mail foi enviado pela rede em 1972, e logo após Vint Cerf, o pai da Internet, apresentou a idéia de uma rede mundial. Mas este nome, Internet só surgiria em 1982.
Não dá para ignorar a força dessa rede, porque ela faz parte da nossa vida. Há sempre uma necessidade que nos liga à Internet. Podemos aprender muitas coisas sobre ela, que nos ensinaram grandes lições. Como a Internet não tem um ponto central, por isso você não pode destruí-la.
A. Rede de Ajuda
Há muito tempo atrás, Deus criou a mais completa rede de ajuda e salvação. Esta rede não pode ser destruída por ninguém, mas alguns rejeitam este imenso amor. Deus sempre teve formas de salvar o Seu povo. Naqueles dias, quando Israel estava oprimido, Deus teve um plano. Então, Ele comunicou o seu plano para uma mulher estéril.
Seria uma criança especial, e Deus realizaria seu plano na vida daquele garoto. Então, Ele avisou àqueles pais que ele seria o libertador de Israel, mas não disse como isso ocorreria. E quando o bebê nasceu, eles o chamaram “Sansão”. Essa criança foi crescendo e se tornou um belo jovem. Ele era alto, forte, moreno, cabelos longos, um sorriso simpático e para completar, um par de olhos azuis. Sua aparência poderia ter sido assim, quem sabe!
Bem, certamente muitas moças em Israel gostariam de ser sua esposa, porém, a nenhuma delas ele escolheu. Foi lá embaixo, no território dos filisteus, escolheu uma esposa e disse ao seu pai: “Consiga-a para mim. É ela que me agrada”.

Quando estamos conectados com Deus, não procuramos fazer nossa vontade, mas a de Deus. Desconectado, ele errou em seu casamento. Sansão não deveria descer, porque como uma luz destinada a brilhar, ele deveria iluminar Israel.

Jesus disse certa vez: “Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire...”. Ao contrário, coloca-a no lugar apropriado, e assim ilumina a todos os que estão na casa.
Você foi feito para brilhar, não para descer.

No capítulo 14:1 de Juízes está registrado o primeiro erro de Sansão. Toda vez que você erra, você desce. “Desceu Sansão...”. Que loucura realizar um casamento em território inimigo! Bem, não deu certo o casamento, é claro! Depois de casado, Sansão descobriu que sua esposa não era confiável.

Por que Sansão agiu assim? Desconectado com Deus, ele achou que poderia vencer, porque tinha realizado grandes feitos em sua vida. Ele matou um leão, enfrentou um dos mais fortes animais e saiu vitorioso. Ele também lutou contra um exército e venceu, quando foi preso em Gaza, realizando um dos grandes feitos ao arrancar as portas da cidade. Ele achava que não era importante estar conectado com Deus, por isso agiu assim.

Sansão pensou: Será que não sei escolher sequer uma esposa do meu gosto?

Estar conectado com Deus nos dará forças. E quando estamos submissos, podemos vencer os grandes desafios. O que é capaz de fazer um jovem estar ligado a Deus!

Oh! Ele é capaz de vencer qualquer inimigo. E.G. White diz que “o mais débil ser humano, quando se ajoelha e ora a Deus, é mais poderoso que todas as hostes do inimigo”.

B. O Enfraquecimento do Forte

Mas, mesmo depois destes grandes feitos, Sansão não mudou o rumo de sua vida. Ele voltou a cair. No capítulo 16:1 de Juízes diz que Sansão foi a Gaza, e viu ali uma prostituta, e coabitou com ela. Não queria mais casamento, agora estava desiludido, e decidiu viver uma vida sexualmente livre, sem limites, sem fronteiras.

O que está fazendo o líder de Israel em uma cidade longínqua, em terra inimiga? Será que não aprendeu com o primeiro erro? Que desgraça! O líder de Israel lá embaixo! Desta vez, ele foi mais longe do que em Timnate. O pecado sempre nos leva para mais distante do que antes.

Quando os inimigos souberam, fecharam a cidade;  e em meio a está idolatria e imoralidade, o Espírito de Deus tocou o coração de Sansão e ele entendeu que tinha errado. Então decidiu sair, mas a cidade estava trancada. O poder de Deus caiu sobre ele e com seus fortes braços, arrancou as portas da cidade e levou até o alto da montanha, e lá, ele a deixou.

Quando Sansão esteve ligado com Deus, realizou grandes coisas.

Porém, Sansão entendeu mal este poder. E achou que poderia fazer o que quisesse sempre, e nunca teria problemas; ele se sentia um “super-homem”.

C. Conhecendo Dalila

Então desceu, finalmente, para o vale de Soraque. E lá encontrou uma mulher chamada Dalila. Você conhece a história. Está registrada em Juízes, capítulo 16.

O inimigo planejou e preparou uma cilada para que Sansão contasse seu segredo.

Nunca se esqueça que estar desligado de Deus é muito perigoso, porque você nunca saberá quando “Dalila” virá.

Dalila fingiu que o amava e então o questionava a todo instante sobre o segredo de sua força. Sansão continuava brincando com ela. E dizia: ‘Se me amarrarem com cordas novas, serei como qualquer homem”. Ela assim o fazia. (Versos 11 e 12, do capítulo 16)

Mas Dalila era perseverante; aliás, o inimigo é perseverante. Finalmente, Sansão contou a verdade: “Meus cabelos nunca foram cortados, e se um dia forem cortados serei igual a qualquer homem”.(Verso 17)

Dalila não perdeu tempo, entendeu que havia descoberto a verdade, então ela o fez dormir sobre seu colo. Que cena, Sansão dormindo sobre o colo de um inimigo! Há pessoas hoje, que estão dormindo no colo de algum inimigo!

Tudo parece calmo, tudo é tranqüilo, mas o inimigo está se preparando para causar destruição. Então, seu cabelo foi cortado. Quando despertou, ele achou que tudo seria como antes, mas não! Nunca mais seria como antes, nunca mais voltaria à sua terra amada! Nunca mais veria a luz do sol!

Deus perdoa todo pecado. Isto é uma grande verdade! Mas outra verdade que não pode ser esquecida, é que as conseqüências não são tiradas; elas virão naturalmente. Você pode brincar com o pecado, mas nunca saberá quando “Dalila” vai aparecer. Quando ela surgir, deixará marcas profundas, que você terá que levar para o resto de sua vida.

Conclusão / Apelo:
Você está conectado ou desconectado agora?
Se não estamos conectados com Deus, as tentações nos derrubam e fracassamos como Sansão, que viveu quase sempre desconectado e não suportou suas grandes provas. Assim será com todo aquele que quiser viver afastado do contato com Jesus. Quantos desejam viver conectados à Fonte de Amor, Poder e Alegria? Oremos.
Fonte:
http://ministerioinfantiljuniores.blogspot.com

MOLDADOS POR JESUS


MOLDADOS POR JESUS

Tema: Mostrar às pessoas que Deus ama a todos igualmente e está sempre disposto a fazer tudo por nós.

Objetivo: Apesar das nossas diferenças, devemos aceitá-las e usá-las para fazer o bem ao nosso próximo.

Materiais sugestivos para ilustração: Diferentes objetos plásticos.

Texto principal: “Peça a Deus que abençoe seus planos e eles darão certo”. Prov. 16:3

Introdução: Origem do Plástico.

Pergunta motivadora: O que há em comum em todos estes objetos?

O plástico surgiu em 1862. O seu inventor foi o Inglês chamado Alexander Parkes. Os primeiros objetos de plásticos eram muito caros. Isto fez com que os investimentos na produção do plástico ficassem em segundo plano.

Anos mais tarde, o químico chamado Leo Hendrik Baekeland produziu um tipo de cola, que manipulada, virava plástico. O nome desse produto em homenagem ao seu descobridor é a Baquelita.

Com a descoberta da Baquelita, iniciou-se a produção dos plásticos sintéticos em grande escala, que abriu caminho para as descobertas de novas substâncias essenciais na produção desse material.


A. O plástico no nosso dia-a-dia

1) Prejuízo do plástico.
Quando jogado na rua, ele pode tornar-se um transtorno ao meio-ambiente. O motivo é que ele demora algumas décadas para se decompor.

O plástico pode ainda entupir os bueiros (rede pluvial) nas grandes cidades, provocando inundações.

2) Benefícios do plástico.
O plástico tem inúmeras possibilidades de utilização.
O plástico é um material higiênico e asséptico.
O plástico é um ótimo isolante térmico.
O plástico é um material leve.
O plástico é flexível e maleável.
O plástico é um material resistente.
O plástico é durável e fiável.
O plástico é reutilizável.
O plástico é reciclável.

B.Vamos imaginar Você e o plástico.

1- Existem plásticos de diversas cores.
Há plásticos nas cores branca, preta, amarela, etc. Você deve amar as cores! Foi Deus quem as criou. Imagine esse mundo sem o verde das plantas, o vermelho das flores o azul do céu, sem o branco das nuvens! Com certeza, seria um mundo triste e monótono. Os homens aproveitaram essas cores e as outras que existem, para pintar os plásticos, dando-lhes beleza.

Amigo! Mais importante que as cores do plástico, são as cores das pessoas. Existem pessoas de cor preta, de cor amarela, de cor branca. A história nos conta que durante muitos anos, as pessoas de cor branca subjugaram e maltrataram as pessoas de cor preta. Muitas foram humilhadas, e grande quantidade de pessoas foi morta.

Você já leu na Bíblia que Deus não faz acepção de pessoas? Leiamos Rom. 2:11: “Porque para com Deus não há acepção de pessoas”.

Sim, Deus ama a todos igualmente. Portanto, o que Ele lhe pede é que você seja amigo de todos, independente da sua cor, raça, nação ou língua.

2- Existem plásticos lisos (macios) e plásticos ásperos.
A mesa da minha casa é forrada com um plástico liso. Quando vamos acampar, usamos ou vemos as pessoas usarem o plástico (preto) para forrar o fundo da barraca; outros constroem suas barracas com plástico. Quando você vai ao supermercado com os seus pais, você pode notar que as compras são embaladas em sacolas plásticas lisas (macias). Esse tipo de plástico é bastante utilizado no nosso dia-a-dia.

Quanto aos plásticos ásperos, você talvez não tenha muito contato com esse tipo de material, mas eles existem.

Qual a aplicação que você pode tirar do plástico liso (macio) e do plástico áspero para a sua vida?

A nossa vida precisa ser lisa (macia). Existem pessoas que se assemelham a um porco espinho. Você conhece ou já ouviu falar desse animal?

Ele usa os seus espinhos que cobre todo o seu corpo para proteção e ataque. Você não precisa ser uma pessoa áspera e espinhenta. Jesus disse: “Ao que te bate numa face, oferece-lhe também a outra;...”. Lucas 6:29.

Você é uma pessoa que sabe entrar e sair dos lugares, sem criar confusão? Lembre-se: Quando você for afrontado, use em sua defesa, aquele ditado: “Quando um não quer, dois não brigam”. Você precisa ser uma pessoa gentil, amável, cordial, simpática, prestativa. Você nunca será rebaixado por praticar o bem. Lembre-se que a Bíblia está cheia de exemplos de pessoas que foram tratadas de forma áspera.
Por exemplo:
Davi x Saul
Ana x Eli
As crianças e suas mães x Os apóstolos se aproximavam de Jesus.

3- Existem plásticos flexíveis e plásticos inflexíveis.
Com o plástico flexível, você consegue embolá-lo (amassá-lo) em sua mão, como por exemplo, o plástico que você usa para fazer uma pipa e sua rabiola. Já o plástico inflexível, esse você não consegue embolá-lo (amassá-lo) na mão, como o plástico da garrafa de refrigerante, o plástico das vasilhas que sua mãe usa em casa para guardar mantimentos, canos de PVC, etc.

Você precisa absolver esses dois conceitos em sua vida: FLEXÍVEL e INFLEXÍVEL.

Quando é que se deve ser uma pessoa flexível e quando deve ser uma pessoa inflexível?

Você é uma pessoa sociável? Com certeza, terá muito amigos. Pode ser que em algum momento, um desses amigos o convide para praticar uma coisa errada; como sair para beber cerveja, fumar um cigarro, usar drogas ou fazer outra qualquer coisa que desagrade a Deus. Nesse momento, você deve ser inflexível; não pode negociar os seus princípios com ninguém.

Pode ser que o convite venha da pessoa mais chegada a você. Mesmo para esse colega, diga: “Não posso deixar o meu amado Salvador triste comigo”. Vocês lembram de José na casa de Potifar, no Egito?

Seja flexível, quando convidado a praticar o bem, para auxiliar o próximo, atender ao pedido dos seus pais para chegar em casa mais cedo, selecionar melhor os seus amigos, não freqüentar determinados ambientes. Nessas ocasiões, seja flexível e aceite fazer o que é bom. Lembre-se do que está em Atos, no capítulo 10, o apóstolo Pedro foi convidado para ir a um lugar que acreditava ser errado, nada menos que ir à casa de um gentil, um centurião romano!

4- Existem plásticos transparentes e plásticos que não são transparentes.
O plástico não transparente impede que se visualize o que está dentro ou por trás dele. Isto não acontece com o plástico transparente, pois com ele, você consegue visualizar tudo o que está dentro e por trás dele.

O apóstolo Paulo disse certa ocasião: “você é uma carta aberta que deve ser lida por todos”. II Cor. 3:2.

Em outras palavras, o apóstolo está dizendo que a vida dos que amam a Jesus deve ser transparente. As pessoas que praticam coisas erradas vivem se escondendo. Elas têm medo de serem descobertas. Mas aqueles que fazem de Jesus o seu guia, não precisam temer, pois são como lâmpadas acesas, que conseguem iluminar na escuridão.

Conclusão
Você sabe o significado da palavra PLÁSTICO? Esse nome vem do grego plastikos, que significa “maleável”.
Jesus deseja que você seja uma pessoa maleável. Existem muitas pessoas radicais, extremistas; pessoas que não conseguem se ajustar às dificuldades da vida, mas com Jesus na sua vida, você conseguirá ser uma pessoa melhor. Quando deixamos que Jesus tome conta da nossa vida, somos mais felizes e mais capazes de fazer o bem. É seu desejo permitir que Jesus o transforme, modelando você à Sua imagem? Que Deus nos ajude nesta decisão! 


Fonte:
http://ministerioinfantiljuniores.blogspot.com

Daniel na cova dos leões



Texto-aureo:salmos 34: 7

"O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra".Daniel já era um homem velho. Seu cabelo e sua barba já eram grisalhos. E ainda ele morava na terra longínqua da Babilônia. Ali ele era um servo nobre do rei.
Mas Nabucodonosor não era mais rei. Este já estava morto há muito tempo. Agora havia um outro rei, que se chamava Dario.
O rei Dario estimava-o e dizia: "Daniel é o melhor servo de todos. Quero fazê-lo muito mais importante ainda. Vou nomeá-lo vice-rei. Então ele será o chefe de todo o meu reino e de todos os outros servos meus".
Quando os outros servos souberam disso, ficaram com muita inveja.
Eles disseram: "Deverá ele ser o mais importante de todos? Isso não deve acontecer. Nós é que queremos ser os mais importantes. Vamos espreitá-lo bem para ver se Daniel faz alguma coisa errada. E então iremos contar logo ao rei. Então o rei não gostará mais tanto de Daniel".
Desde então, todos os dias iam espiar Daniel para ver se ele fazia alguma coisa errada. Mas Daniel não fazia nada de errado. Fazia seu serviço da melhor maneira possível. E orava três vezes por dia.
Quando Daniel orava, ele se ajoelhava em seu quarto, frente à janela aberta. Bem ao longe ficava Jerusalém. Ali estava uma vez o lindo templo, que agora estava queimado. Mas algum dia, o povo de Daniel iria morar lá de novo. E haveria lá também um novo templo, quando o castigo do povo tivesse passado.
Daniel olhava para longe, para lá onde ficava Jerusalém, e orava dizendo: "Senhor, deixa meu povo voltar em breve para sua pátria."
Daniel nunca se esquecia de orar, Isso ele fazia fielmente três vezes por dia. Os outros servos podiam vê-lo. E daí aqueles homens falsos imaginaram um plano para trazer desgraça sobre Daniel e para impedir que ele continuasse a ser o homem mais nobre e importante do país.
Eles foram falar com o rei. Inclinaram-se profundamente. Comportaram-se muito corteses e amáveis, e disseram: "Oh rei, nós sabemos uma coisa boa. O senhor sabe o que deve fazer? 0 senhor deve ordenar que todas as pessoas em seu país não peçam mais nada a ninguém, nem a homens e nem Deus, durante um mês inteiro. Somente ao senhor poderão pedir o que quiserem, pois o senhor é o nosso rei poderoso."
Isso agradou bem ao rei. Ele gostou do plano.
"Sim, isto eu farei", disse ele.
"E quem for desobediente será castigado com rigor", disseram os homens malvados. "Este deverá ser jogado na grande cova, onde estão os leões."
"É, isso mesmo," disse o rei.
Então ele mandou seus empregados passarem pelo país. E estes avisaram o povo por toda parte que ninguém mais devia orar nem devia pedir nada a ninguém, senão ao rei.
Todos ouviram esta ordem. Daniel também ouviu. Ele percebeu bem quem tinha imaginado este plano perverso. Foram seus inimigos. Estes queriam sua desgraça.
Que devia fazer Daniel?
Deus tinha dito que cada um que o amasse, também devia orar a Ele.
Mas o rei ordenou que isso não devia ser, mas que Daniel devia esquecer-se de Deus.
A quem Daniel devia obedecer agora?
A Deus naturalmente. E por isso Daniel continuava ajoelhando-se, três vezes por dia, frente à janela aberta.
Mas perto da janela estavam seus inimigos, espiando. E quando viram que Daniel assim mesmo orava, correram depressa para contá-lo ao rei.
"Rei", disseram eles, "o senhor não disse que ninguém devia pedir coisa alguma senão ao senhor, durante um mês?"
"Sim", respondeu o rei, Isto eu clisse"
"E se alguém é desobediente, não deve ele ser lançado na cova dos leões?"
"Sim", disse o rei, "assim deve ser."
"Oh rei", exclamaram eles, "então Daniel tem que ser lançado na cova dos leões. Ele foi desobediente. Ele ora a seu Deus, três vezes por clia"
Aí o rei se assustou. Compreendeu como os homens tinham sido falsos.
"Daniel não", gritou ele, "não, Daniel não!"
Mas os homens disseram: "Foi o senhor que deu essa ordem, rei e agora o senhor também tem que fazê-lo."
Sim, era assim mesmo naquela terra: O que o rei tinha dito, isso ele sempre tinha que fazer. Ele queria ajudar a Daniel, mas não podia. E quando anoiteceu, Daniel foi levado para a cova dos leões.
O rei estava bem triste e chamou: "Daniel, eu não posso ajudá-lo, mas espero que seu Deus o ajude."
Então Daniel foi lançado na cova.
Chegou a noite, mas o rei não pode dormir. Ele estava muito triste e sempre tinha que pensar em Daniel. Será que seu Deus cuidaria dele?
De manhã, o rei levantou-se bem cedo e foi para fora. Com o coração batendo, chegou à cova dos leões.
"Daniel", chamou ele. "Daniel. Deus cuidou de você?"
E de repente, o rei quase deu um salto de alegria. Porque do fundo da cova veio uma voz: "Sim, rei. Deus cuidou de mim. Ele mandou seu anjo, para cuidar que os leões não me fizessem mal algum, porque também eu não fiz nenhum mal."
O rei ficou muito contente.
"Tirem-no dali!" gritou ele. "Depressa, tirem Daniel da cova!"
Então vieram alguns homens, com uma corda grossa. Desceram a corda na cova e assim puxaram Daniel para cima. E então Daniel estava à frente do rei, vivo e são. Ele tinha passado a noite inteira com os leões ferozes, mas eles não lhe tinham feito nenhum mal.
Que grande milagre foi este! E como estava contente o rei, porque tinha Daniel de volta.
Mas então ele se lembrou dos homens malvados que queriam matar Daniel. Mandou seus soldados para buscá-los e então mandou jogá-los também na cova dos leões.
Mas agora não havia nenhum anjo que cuidasse deles. Todos foram comidos pelos leões.
Mas Daniel ficou sendo o servo mais importante do rei, sim, o mais nobre em todo o país.
E o rei ordenou que todas as pessoas naquela terra servissem ao Deus de Daniel.


O MAPA PARA O CÉU



_OI, CHORAMINGO!

O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO COM ESTE MAPA AÍ, HÉIN?

_ OI, LILICA! EU ESTOU TENTANDO CHEGAR NO CÉU, MAS EU AINDA NÃO ENCONTREI O CAMINHO CERTO. SERÁ QUE ESSE MAPA ESTÁ DE CABEÇA PARA BAIXO?


_ NÃO É NADA DISSO, CHORAMINGO! COM ESTE MAPA VOCÊ NUNCA VAI CONSEGUIR CHEGAR AO CÉU. O GUIA DO CAMINHO PARA O CÉU É ESSE AQUI, A PALAVRA DE DEUS DEIXADA AOS HOMENS PARA MOSTRAR O CAMINHO CERTO.

_ AI, AI, AI, LILICA, ISTO É A BÍBLIA! SÓ A BÍBLIA! NÃO É MAPA NENHUM, NÃO!

_ É SIM, CHORAMINGO! É AQUI QUE TEM AS INSTRUÇÕES PARA SE CHEGAR AO CÉU.

_ IH, LILICA! EU NÃO SEI, NÃO! EU ACHO QUE VOU PELO MEU MAPA MESMO, POIS ELE ME PARECE MUITO MAIS RÁPIDO, MAIS FÁCIL DE SEGUIR E AINDA POR CIMA É TODO DESENHADO, E EU NÃO PRECISO FICAR LENDO, LENDO, LENDO!

ENTÃO TÁ! QUEM AVISA, AMIGO É! MAS QUANDO VOCÊ SE ARREPENDER E QUISER VOLTAR, EU ESTAREI PRONTA A TE AJUDAR.

(CHORAMINGO DÁ AS COSTAS À LiLICA E COMEÇA A SEGUIR O SEU MAPA.)

_COITADA DA LILICA! ELA PENSA QUE É MAIS ESPERTA DO QUE EU, QUE SABE TUDO... MAS EU VOU PROVAR PRA ELA QUE EU SOU MUITO MELHOR E QUE POSSO CHEGAR AO CÉU SEM A AJUDA DELA E SEM AS DICAS DAQUELE LIVRO QUE, DIZ ELA, É A VERDADE. 1, 2, 3, PASSOS PARA A ESQUERDA...SIGA A PLACA DO ATALHO...VAMOS VER, VAMOS VER, AH! MAIS DOIS PASSOS PARA A FRENT... AAAAAHHHHH!!!... SOCORRO, SOCORRO...LILICA, TIRE-ME DAQUI...EU CAÍ EM UM BURACO...TÁ MUITO ESCURO... EU ESTOU COM MEEEEEEDO!...


_ PUXA! ESTAVA DEMORANDO! ACHEI QUE ELE NÃO IA ME CHAMAR MAIS! EU BEM QUE TE AVISEI, CHORAMINGO! SE VOCÊ NÃO FOSSE TÃO TEIMOSO, TERIA OUVIDO O MEU CONSELHO E SEGUIDO A PALAVRA DE DEUS E NÃO ESTE MAPA FALSO. E AGORA? VOCÊ VEM COMIGO OU VAI CONTINUAR NO CAMINHO DA MENTIRA?


_ PENSANDO BEM, LILICA... EU ACHO QUE VOU COM VOCÊ. PORQUE ESTE CAMINHO PODE ATÉ SER MAIS CURTO, MAS É TAMBÉM ENGANADOR E PERIGOSO.

_ É, POIS SE VOCÊ CONTINUAR NO CAMINHO DO PECADO NUNCA CHEGARÁ AO CÉU E FICARÁ SEPARADO DE DEUS PARA SEMPRE.

_ O QUE É PECADO, LILICA?

_ O PECADO É TUDO AQUILO QUE ENTRISTECE A DEUS. É A MENTIRA, É O PALAVRÃO, É A DESOBEDIÊNCIA AOS PAIS, É COLAR NA PROVA, MATAR, ENFIM... TUDO O QUE É RUIM.

_ EITA, LILICA! COITADINHO DE MIM! ENTÃO EU SOU UM PECADOR!?! E AGORA VOU FICAR AFASTADO DE DEUS? COMO VOU FAZER PARA CHEGAR AO CÉU?

_ VAMOS VOLTAR E SEGUIR O QUE A BÍBLIA DIZ. ELA DIZ AQUI QUE JESUS É O ÚNICO CAMINHO QUE LEVA AO CÉU. OLHE SÓ: "EU SOU O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA. NINGUÉM VEM AO PAI SE NÃO FOR POR MIM." JOÃO 14:6.

AQUI DIZ: " PORQUE DEUS AMOU O MUNDO DE TAL MANEIRA QUE DEU SEU ÚNICO FILHO, JESUS, PARA QUE TODO AQUELE QUE NELE CRÊ, NÃO PEREÇA, MAS TENHA A VIDA ETERNA." JOÃO 3:16.

_ AH! ENTÃO JESUS É O FILHO DE DEUS!

_ É, E A BÍBLIA DIZ AINDA QUE ELE MORREU POR CAUSA DOS NOSSOS PECADOS, FOI SEPULTADO E RESSUSCITOU AO TERCEIRO DIA. (I COR. 15: 3-4).

_ MAS E AÍ... COMO VOU CHEGAR AO CÉU?

_ BEM, PRA QUE NÓS PUDÉSSEMOS CHEGAR ATÉ O CÉU, ALGUÉM TINHA QUE PAGAR A PASSAGEM. CERTO? ENTÃO, JESUS CRISTO, O FILHO DE DEUS, PAGOU  COM O PRÓPRIO SANGUE QUANDO MORREU EM NOSSO LUGAR. QUEM CRER NO QUE ELE FEZ POR AMOR A NÓS, VAI PARA O CÉU.


_ PUXA, LILICA! QUE LEGAL! AGORA EU SEI QUE O ÚNICO CAMINHO PARA O CÉU É JESUS. TÔ TÃO FELIZ!!!! SERÁ QUE AS CRIANÇAS JÁ TEM JESUS NO CORAÇÃO, ASSIM COMO EU E VOCÊ?


_ TOMARA QUE SIM CHORAMINGO, PORQUE É MUITO GOSTOSO TER JESUS NO CORAÇÃO. ELE ENSINOU COMO É IMPORTANTE AMAR AS PESSOAS. VAMOS LÁ AMIGUINHOS, SE VOCÊ SABE DESSE AMOR, AME MUITO, CORRA ATÉ A PESSOA MAIS PERTO DE VOCÊ, DÊ UM FORTE ABRAÇO E DIGA... JESUS TE AMA E EU TAMBÉM!





















Desenhos editados pela tia Nádia, valeu tia Deus te abençoe!

O Dono do meu coração


 O Dono do Meu Coração!!!

“Eu estou à porta e bato. (disse Jesus) Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, eu entrarei na sua casa, e nós jantaremos juntos.” Apocalipse 3:20




Era a noite do 31 de dezembro, e na casa de Gladis reinava a alegria, todos esperavam emocionados a chegada do ano novo.
As crianças cantavam felizes, o pai e a mãe organizavam a janta
-que prometia ser deliciosa e abundante.
Todos estavam felizes.





Todos menos Gladis, que nesse dia havia brigado com os seus irmãos. 
Bateu boca com suas coleginhas, respondeu mal a sua mãe e desobedeceu ao seu pai quando pediu pra arrumar a mesa. 
Quando sua avó pediu pra comprar um refrigerante ficou com o troco.
Gladis estava mal-humorada. 
Achava uma cafonice isso de fazer janta com a família, avos, tios, primos, etc. 
Na final, com certeza fariam à pergunta que sempre faziam pra ela.
-Gladis, quem e o dono do seu coração? 
-Todos eles falavam sempre do amor de Jesus, mas Gladis não fazia caso de nada. 
Preferiu então ir no quarto e dormir.


Muito lentamente os seus olhos se fechavam e de repente um senhor bem idoso de longa barba branca se aproximou da sua cama e lhe disse:
-Venha comigo filinha, antes de ir embora quero que me acompanhe num passeio.
Assombrada Gladis olhou bem pro velhinho que parecia cansado, e então decidiu acompanhá-lo. Estava muito entediada naquela noite e caminhar parecia um ótimo programa.
Eles andaram e andaram ate que chegaram à frente de uma casa muito estranha.






O idoso se deteve na frente e então abriu a porta, os dois entraram. 
A casa estava em trevas. 
Havia mau cheiro e tudo estava muito bagunçado. 
Gladis se esforçava muito para enxergar alguma coisa. 
Quando de repente…

Ohhhhhhhhhhhhhhhhh que seres espantosos havia naquela casa. 
Gladis mal podia crer o que via. 
No centro da sala havia um ser horrível sentado num trono, e ao redor dele vários outros seres nojentos, mau vestidos e apavorantes.
Lentamente se aproximou um deles e ela perguntou:

- Quem é você e o que está fazendo neste lugar?
Eu sou a senhora mentira! 
A dona desta casa me usa muito, em todo momento sou requisitada. 
Ela me chama para ajudá-la a responder aos seus pais, também quando está com as suas colegas e com os seus irmãos!. 
Ah, estava me esquecendo, na escola eu sou muito usada também. Sabe? 
Eu sou muito criativa e sempre estou preparada para salvar a pele da minha dona. Hahahahaha.A mentira deu uma gargalhada tão feia, que Gladis ficou toda arrepeiadinha.

Após esta horrível senhora veio outra, tal vez mais feia que a anterior! 
Tinha um aspecto tão agressivo!
-Eu sou a senhora briga! E a dona de esta casa sempre me chama para que resolva uns assuntinhos pra ela. Comigo não perde nenhuma disputa! 
Eu sei morder, chutar, cuspir, puxar cabelo, falar palavrões, dar uns tremendos socos, jogar pedras, eu sei fazer exatamente tudo o que minha dona assiste na tv. 
Eu sou muito suja! Hahahahaha.
Na escola e nas brincadeiras sempre solicitam minha presença. 
Você quer brigar, cabecinha de fósforo!?
Gladis se assustou e retrocedeu uns passos e esbarrou nalguma coisa.



- Eii, cuidado onde você pisa! 
Não ta vendo que estou de sapatos novos?
- Perdão! 
-Disse Gladis aponto de chorar.
- Sem problemas, eu sou a dona vaidade! 
A dona desta casa anda comigo todos os dias. 
Eu sempre quero mais e mais. 
Não tô nem ai com ninguém, eu quero ser a primeira em tudo, eu quero comprar tudo o que vejo, e se não comprarem faço uma baita de birra. 
Você precisa de ver!! 
Hahahah.Eu fico com os trocos, roubo dinheiro dos meus pais e avós para comprar o que quiser! Gosto de esnobar os outros quando minha dona compra algo novo. 
Eu não deixo que minha dona pense noutras pessoas. 
Eu gosto de ser o centro, e…. olha só meu cabelo ta uma bagunça vou dar uma ajeitada nele. 
Até mais!

Gladis mal podia crer no que via. 
Que casa mais apavorante era essa! 
De repente ouve umas gargalhadas, vira com receio e enxerga um outro ser deitado num sofá.
-Oi! Eu sou a senhora preguiça! A dona da casa também me usa sempre, eu sou a sua fiel serva! Quando a mãe dela a chama para ajudar, limpar, arrumar quarto, fazer tarefa de casa… nossa só de pensar fiquei enjoada! 
Em fim, eu sempre apareço e sentamos na frente da tv, ou do vídeo game, e não fazemos nada!! Eu tenho preguiça até de tomar banho, de ir na escola, de fazer mandados, de limpar… 
Ehhh Me dá licença? 
To perdendo a minha novela favorita, sai da frente da tv fazendo favor! 
Eu não perco nenhum capítulo!



Hahahahaha 
–ria o homem horrível que estava sentado no trono. 
E com voz de mando disse:-Nesta casa eu mando. 
Eu sou o rei PECADO, e estes são os meu servos. 
E a cada ano que se passa eles aumentam nesta casa. 
Daqui ninguém nos manda embora!
NINGUÉM!
E fazendo uma pausa silenciosa disse…
-Bom, na verdade existe alguém que pode nos expulsar, mas você nunca saberá, nunca… hahahahaha.Gladis começou a chorar desconsolada.
O ancião a tomou da mão e lhe disse:
-Venha comigo, quero lhe ensinar algo. 
Eu vou te falar da pessoa que não quiseram te falar.
Saindo da casa logo chegaram a um monte e ali havia um homem pendurado numa cruz.
-Ohh porque esse homem tem que sofrer e morrer assim?
O Homem da cruz levantando a sua cabeça disse:-É por você, Gladis.



- Mas porque você derrama o seu sangue dessa maneira?
O homem respondeu:-Para poder lavar os teus pecados, é a única maneira de tirar os pecados do coração.



Enquanto Gladis pensava no que ouvia, se achou novamente no seu quarto, e ali também estava aquele homem maravilhoso que havia estado na cruz. 
Mas agora estava vivo! E estendia os seus braços em amor, e dizia:
-Filha, deixa que entre na sua vida, estou batendo na porta do seu coração, permita que eu seja o dono do seu coração.
Gladis não entendia direito o que isso queria dizer. 
Ela lembrou da pergunta que sempre a sua avô fazia. Quem é o dono do teu coração?

Então o velhinho explica:
Filinha, sabe aquela casa que fomos visitar? 
É o teu próprio coração, ele está cheio de coisas feias. 
Preguiça, vaidade, brigas, mentiras, roubos, está cheio de pecados.
Mas Jesus, o filho de Deus pagou na cruz o castigo por cada coisa má e feia que você fez. 
Ele deu a sua vida por você, morreu, mas ao terceiro dia ressuscitou.
E agora está esperando que você abra a porta da sua vida, para que todos aqueles pecados sujos sejam expulsos do seu coração, e assim Jesus possa ser o novo dono, o senhor do seu coração!
Eu sou o ano velho, e já estou indo embora pra não voltar mais. 
Você nunca foi feliz neste ano, porque o seu coração estava cheio de trevas e pecados. 
Eu já estou indo… Tome a decisão logo filinha, que neste ano novo, Jesus possa ser O DONO DO SEU CORAÇÃO…
O ancião virou e começou a ir embora. Nessa hora fogos começaram a estourar, luzes e muita alegria se ouvia desde a janela.



Gladis acordou assustada! Tudo tinha sido um sonho, mas que verdadeiro que pareceu pra ela! Que alegria poder tomar uma decisão tão importante neste ano novo!



Então Gladis se ajoelhou do lado da cama e com muita reverencia orou:
- Senhor Jesus obrigada pelo sonho, ainda que eu não possa te enxergar sei que o Senhor está aqui. 
Eu me arrependo das coisas feias e dos pecados que cometi, me perdoa e limpa meu coração. 
Eu abro a porta do meu coração para que o Senhor entre, eu já não quero mais a mentir, nem a ser preguiçosa, nem vaidosa, nem quero brigar, eu não quero mais o pecado, só o Senhor pode tirar as coisas feias que tenho aqui dentro e desde hoje Senhor Jesus te convido para que sejas O DONO DO MEU CORAÇÃO, quero amar-te, obedecer-te e servir-te sempre!!!!



Gladis se levantou muito feliz, por primeira vez se sentia completamente alegre, leve, parecia como que tivessem tirado um grande peso das suas costas. 
Jesus tinha lavado o seu coração e tirado todos os seus pecados e se sentia livre. Ela pulava de alegria, abriu a porta do seu quarto e correndo gritava para todos: JESUS É O DONO DO MEU CORAÇÃO, JESUS É O DONO!!! ALELUIA!!!. Essa era a melhor noticia para toda a família, que agora abraçados e com os olhos cheios de lágrimas, agradeciam a Deus pelo abençoado ano novo!
Conclusão:
E você amiguinho, como está o seu coração neste momento? Você tem brigado, mentido ou pegado alguma coisa que não é sua? Você tem feito coisas que não agradam a Deus? Isso tem um nome, se chama pecado. Jesus pode tirar todas essas coisas más do seu coração e se tornar o dono da sua vida. Você quer abrir a porta do seu coração para que ele entre e seja o Senhor?

fonte:http://sementinhakids.wordpress.com/recursos-2/historinhas-para-evangelizar/o-dono-do-meu-coracao/



A vendedora de púrpuras










Às vezes, a gente nem vê as formiguinhas, de tão pequeninas que elas são, mas Deus as criou para que a gente aprendesse também com elas. Elas sabem usar o seu dom, trabalhando, construindo formigueiros, guardando comida.
Sabe... tem pessoas que a gente vê na Bíblia, que parecem como formiguinhas. A historinha delas é pequenininha, mas é muito importante aprender com essas pessoas. Mas essas pessoas tem um dom especial. Um talento especial e não desperdiçam aquilo que Deus nos deu.
Deus nos dá habilidades e é importante a gente saber usar sempre esse talento que Deus nos deu para engrandecer o nome Dele.
E uma delas é Lídia.
Mas... quem era Lídia?
A sua historia está na Bíblia em poucas palavras, mas é muito linda a sua história.
Era uma vez uma mulher chamada Lídia.
Ela era muito boazinha e também era rica.
Puxa!!! Era rica??? Sim... sabe por quê? Ela tinha uma casa muito grande e gostava de receber as pessoas em sua casa.
Dona Lídia era uma vendedora.
Sabe o que ela vendia? Púrpura...
Mas... o que é púrpura??? A púrpura era uma tinta vermelha extraída de moluscos. Antigamente as pessoas não tinham roupas tão coloridas como as nossas. Eram sempre da mesma cor. E as pessoas enjoavam daquela cor. Então, descobriram que do molusco se conseguia extrair uma espécie de tinta vermelha. Puxa!!! As pessoas ficaram contentes, pois poderiam ter roupas vermelhas. Eba!!!
Mas... tinha um probleminha... Aquela tinta era muuuiiito cara. E só as pessoas ricas podiam comprá-la, porque custava muuuiiito dinheiro.
Dona Lídia, vendia dessa tal púrpura para as pessoas. Ia nos palácios, conversava com os ministros, tesoureiros, príncipes e vendia a sua púrpura. E ela era muito inteligente... Sabia fazer as contas direitinho, e ninguém enganava ela. Por isso ela era muito respeitada onde ela morava.
Mas... a Dona Lídia, não gostava de uma coisa, lá no lugar onde ela morava. As pessoas não acreditavam no nosso Deus criador de todas as coisas. Eles tinham vários deuses, e ficavam adorando aquelas imagens. Puxa... Dona Lídia não gostava daquilo, então ela decidiu a crer e temer somente no Deus dos judeus, que é o criador de todas as coisas.
Ali, na cidade de Filipos, que era onde Dona Lídia morava, tinha uma rio. E sabe o que ela gostava de fazer na beira daquele rio?
Será que ela ia pescar? Não...
Ela e outras mulheres gostavam de ir na beira daquele rio para orar. Conversar com Deus. Pedir a proteção de Deus... Agradecer a Deus.
E lá estava Dona Lídia, na beira daquele rio, quando de repente... Ele viu que alguns homens se aproximaram.
Ai... quem seria???
Seriam ladrões???
Quem poderia defendê-las??? Só tinha mulheres ali... Mas elas confiaram em Deus. E quando aqueles homens se aproximaram. Elas perceberam que eram pessoas de bem.
Um deles, chamado Paulo, falou que o Deus criador de todas as coisas enviou o seu filho Jesus para morrer pelos nossos pecados.
Dona Lídia escutou atentamente. Nunca tinha ouvido aquilo. Para ela aquilo era novidade.
Paulo também disse que Jesus morreu, mas ao terceiro dia ressuscitou. E quem cresse em Jesus, filho de Deus, e fosse batizado, seria salvo.
Dona Lídia não pensou duas vezes.
Ela logo quis se batizar e depois foram as pessoas da sua casa. Foi uma festa!!!
Dona Lídia ficou feliz, porque agora tinha Jesus.
E assim, ela convidou aquele homem – que era Paulo e seus amigos para ficarem em sua casa, porque eles nem tinham onde dormir. E lá, Dona Lídia, deu comida para eles, e preparou-lhes um quarto bem confortável.
Eles foram embora, mas ali, naquela cidade onde Dona Lídia morava foi estabelecida a Igreja de Filipos. Muitos daqueles homens que adoravam aqueles deuses estranhos que dona Lídia não gostava, se converteram e foram batizados em nome de Jesus. E assim o evangelho ali em Filipos foi crescendo e quem tomou a primeira decisão ali foi a dona Lídia, a nossa vendedora de púrpuras. Que tem uma história tão pequena como uma formiguinha, mas que foi muito importante para a igreja de Jesus. Que soube usar a sua profissão, ganhando muito dinheiro e ajudando as pessoas.
Fonte: http://amoministerioinfantil.blogspot.com/


Uma linda História para contar para as crianças na páscoa!!!

(Baseado em Êxodo 12)
Josué era um menino Israelita, morava no Egito com a sua família como escravo. Todo Israel esperava a libertação vinda do Senhor.
Ele sentava na calçada esperando o pai voltar para brincar, mas quando via ele chegar cansado sabia que de novo não brincaria. Mas ele se consolava com o seu cordeirinho Lambi, seu grande amigo. Josué só tinha Lambi.

 Chegando à noite o pai disse para a família
-Fiquei sabendo que Moises vai falar com Faraó, ele vai pedir para que Faraó deixe Israel ir adorar a Deus.
Toda a família recebeu a noticia com medo, pois sabiam que Faraó era um senhor terrível e dificilmente os libertaria.

 Depois dessa conversa, enquanto Josué ajudava sua mãe com a louça, começou a pensar o que esperaria por ele daí alguns anos. Josué era o primogênito da família, ou seja, o primeiro filho, e logo deveria trabalhar duro como escravo. Isso o entristecia muito.
 Passados uns dias Moises convocou os homens Israelitas, e disse que essa seria a noite da libertação, e que todas as famílias de Israel deveriam seguir as instruções que Deus dera.
Os homens ficaram muito felizes e se dispuseram obedecer a Palavra de Deus.

 De noite, Josué viu seu pai com um certo nervosismo, e ainda por cima de faca na mão saindo de casa. Josué decidiu segui-lo. E para sua surpresa, viu que seu pai estava indo direto para o curral pegar Lambi, seu cordeirinho.
Josué deu um grito de desespero.
- Não pai!!! esse é o meu cordeirinho!!! ele é meu amigo!!! O que o Senhor vai fazer com ele?
-Meu filho, esse é o melhor cordeirinho que nós temos para ser oferecido em sacrifício; ele não tem nenhum defeito. Deve ser este. Sinto muito meu filho.

 O pai não duvidou nem por um momento, e matou Lambi.
-Por quê papai? Por que o senhor fez isso? – perguntava Josué para seu pai.
-Meu filho, o cordeiro morreu para salvar a sua vida e a nossa.
Josué não estava entendendo nada do que seu pai falava.

 Então o pai pegou o sangue do cordeiro e passou no umbral da porta da casa. E falou:
-A morte passará esta noite pelas casas do Egito, mas não entrará onde estiver passado o sangue do cordeiro.

 Cada pai das famílias Israelitas fez a mesma coisa naquela noite. E todos comeram a PASCOA, o cordeirinho sacrificado. Todos estavam vestidos e preparados para sair de viagem.
Enquanto isso, a família orava ao Senhor; e Josué pensava em todos os fatos ocorridos.
-Lambi, você foi morto por mim? Será que seu sangue vai me salvar de verdade da morte e me trazer liberdade?

 Mas, a meia noite, do jeito que Deus tinha falado pelo seu servo Moisés, a morte passou por sobre todos os primogênitos do Egito. Pessoas e animais. Em cada casa podia-se ouvir lamentos e prantos.
-Porque aconteceu isso com a gente? Porque os nossos deuses não impediram esta mortandade? – era o clamor dos egípcios.

 Mas entre o povo de Israel tudo era muito diferente. Deus tinha guardado em paz e dado muita alegria a todos. O sangue do cordeiro tinha salvado os primogênitos. Todos estavam muito agradecidos a Deus.
 Desesperado Faraó chamou Moisés e tomou por fim a grande decisão de deixar o povo de Israel ir e servir ao Senhor Deus.
-Vão de uma vez! Agora! Vão e sirvam ao seu Deus! –disse Faraó muito irado.
 Todos os egípcios fizeram a mesma coisa, eles entregaram seus bens, roupas, gado, ouro, jóias, tecidos para os Israelitas. Os Egípcios ficaram com muito temor e deram a liberdade a todos os escravos. Agora eles eram livres, e já estavam prontinhos para sair. Tudo tinha acontecido como Deus tinha falado ao seu servo Moises.
 Josué e todo o povo entenderam que graças à morte do cordeiro, eles tinham sido salvos e livres da opressão e do jugo de Faraó. Essa foi a primeira páscoa.

-Querido Lambi, nunca esquecerei que a sua morte me deu a vida!! –falou agradecido Josué.

Aplicação:
Esta é a historia da primeira páscoa. Os israelitas tiveram que derramar o sangue do cordeiro nas ombreiras e vergas das portas. Naquela noite, o primogênito de cada casa seria morto onde não houvesse sangue.
Vejamos João 1:29 Quem foi chamado de Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo?
Sim, Jesus! O sangue de Cristo foi derramado na cruz pelos nossos pecados. Nós éramos escravos do pecado destinados à morte. Mas, o Senhor Jesus Cristo morreu por todos, e derramou o Seu sangue por todos os pecadores, para que sejamos livres da morte, assim como os israelitas.
Porque Jesus é chamado de “Jesus a nossa Páscoa”? Porque assim como Lambi, ele morreu para que possamos viver!
Que poder tem o sangue de Jesus? 1 João 1:7
Assim como os Israelitas, para sermos salvos devemos crer que o sangue de Jesus, nosso cordeiro, é capaz de nos limpar de toda condenação e pecado. E depois de termos fé, depois de termos crido, devemos confessá-lo como nosso Senhor.
Certamente éramos escravos do pecado, mas fomos libertos da escravidão para vivermos uma nova vida. Cristo é quem nos liberta da escravidão do pecado.
A páscoa então era aquela ceia dos Israelitas antes da libertação. Jesus depois instituiu a nova páscoa. Nós celebramos a ceia que relembra Cristo, o nosso cordeiro pascal. Jesus é a nossa páscoa. E o mais maravilhoso é que Jesus não permaneceu morto, mas ao terceiro dia ressuscitou dentre os mortos! Ele está vivo e quer morar no seu coração.
E você amiguinho, quer receber Jesus, o cordeiro, no seu coração? Você quer entregar a sua vida a Jesus e passar em sua vida o Seu sangue que purifica e limpa de todo pecado? Você quer se alegrar nesta páscoa recebendo a liberdade e a salvação da morte?

A nuvenzinha triste...


(Maria de Lurdes Pereira)



Lá no alto do céu vivia uma pequena nuvem. Ela era uma nuvem triste porque não gostava de ser nuvem.

Um dia a nuvem que não gostava de ser nuvem viu um passarinho voando bem alto e pensou: "Como eu gostaria de ser um passarinho e voar alto!"

E a nuvem pensou e fez. Esticou daqui, esticou dali e ficou feito um passarinho. Mas de novo se entristeceu: "Eu não sei cantar como passarinho!"

Uma pipa voava bem alto, perto das nuvens e então a nuvem pensou: "Já sei! Posso ser uma pipa como esta!"

E se esticou de um lado, encolheu de outro até ficar parecida com uma pipa. Mas ela não tinha linha e nenhuma criança lá embaixo para segurá-la. Então percebeu que nunca poderia ser uma pipa... e de novo se entristeceu.

Uma estrela brilhava lá no alto e quando a nuvenzinha a viu ficou alegre.

Ela bem que poderia ser uma estrela... e se esticou daqui, encolheu de lá até ficar parecida com a estrela, mas... e o brilho? Ela nunca brilharia como uma estrela. E de novo a nuvem se entristeceu.

Foi aí que um avião passou voando rápido. "Que lindo! Posso ser um avião!"

E a nuvenzinha se esticou daqui, se encolheu de lá até tomar a forma de um avião. Mas... não havia piloto, nem passageiros. Ela nunca seria um avião de verdade... e de novo se entristeceu.

Nisso, um foguete passou voando para o espaço e ela ficou toda animada: "Ora, não posso ser um avião mas posso ser um foguete, que voa sozinho!"

E ela tomou a forma de um foguete e aí lembrou que não tinha um motor possante para subir.

E a nuvem, mais triste ainda, começou a chorar porque não podia ser nada daquilo que queria ser... e chorou tanto que suas lágrimas caíram sobre a terra que estava seca e sobre as plantas que estavam murchas.

A terra molhada riu feliz e fez as plantas e flores brotarem, e tudo lá embaixo virou um jardim. Quando a nuvem viu o que tinha feito, também ficou feliz.

E daí pra frente resolveu que queria ser nuvem mesmo, pra molhar a terra e alegrar as plant
as. E foi o que ela fez!

O guarda-chuva ambulante



Um guarda-chuva grandão ia andando bem depressa pela rua.
Parecia possuir pés próprios, era bonito, feito de várias cores brilhantes, enorme ia saltitando pela rua abaixo.

Todo mundo ficou curioso à respeito do guarda-chuva estranho.
Crianças e adultos iam seguindo atrás, logo descobriram que os pezinhos pertenciam a um menino, ele andava depressa, sem dizer uma palavra, e o grupo seguia-o.

Finalmente chegaram a um lugar sombreado, debaixo de uma árvore bem grande, o menino colocou o enorme guarda-chuva no chão. E perguntou ele, as crianças que se aproximavam.
- Quem quer ouvir a história do meu guarda-chuva?
- Sentem-se então e escutem. Disse o menino, e todos obedeceram apesar do fato de alguns serem maiores 
do que ele.

Apontando para a parte preta ele começou:
- Estão vendo esta cor? O preto nos faz pensar na escuridão e no pecado, cada um de nós já fizemos coisas erradas uma vez ou outra. Muitas vezes pecamos numa hora quando ninguém está por perto, ou no escuro, quando ninguém pode nos ver. As coisas feias que praticamos são chamadas de pecado.
Todos escutavam com atenção.

Vocês estão vendo esta cor dourada, representada pela cor amarela?
Esta nos faz lembrar o céu, onde tem ruas de ouro, vocês sabiam que nenhum pecado pode entrar no céu? Porque se entrasse estragaria o céu!
Não existe pecado lá, por isso nenhum de nós pode ir para o céu, porque todos nós temos pecado no coração

Mais estão vendo esta cor vermelha? Continuou o menino... Esta nos conta que o Senhor Jesus Cristo morreu na cruz e derramou seu precioso sangue para nos perdoar os pecados.
O Senhor Jesus é o filho de Deus, Ele tomou o castigo que nós merecemos.
Logo, silenciosamente as crianças se ajoelharam no chão, cada um falou com Deus, confessando os seus pecados.
- Diga-lhe agora que você crê que o Senhor Jesus Cristo morreu em seu lugar e peça que Jesus lhe salve neste instante.
Baixinho, as crianças começaram a orar.
O menino tirou uma Bíblia pequena (um Novo Testamento) do seu bolso, abriu ela no Livro do Evangelho de João 3:16.
- Vou ler um versículo da Palavra de Deus, quando chegar às palavras “o mundo” você deve substituir pelo seu nome e quando eu falar “todo aquele” você coloca seu nome ali também, estão entendendo?
“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crê, não pereça mais tenha a vida eterna”.
Cada um leu o versículo, colocando o seu próprio nome.
- Isto significa que se você de fato crê que Deus lhe ama e que Ele mandou seu Filho para morrer em seu lugar, e se você confia em Jesus e o recebeu em seu coração então você acaba de nascer na família de Deus, e todos que pertencem a família de Deus têm a vida eterna. É a palavra de Deus que diz isto, e pode ter certeza: É a verdade.
Ele parou um instante, e olhando firmemente para todos disse:
- Vocês estão notando que tenho ainda uma outra cor no meu guarda-chuva? Qual a cor que falta? Os ouvintes responderam, todos juntos: “Verde”.
Está certo, não falei nada sobre o verde, pois bem, é o seguinte, depois de termos recebido o Senhor Jesus e termos o perdão dos nossos pecados, estamos prontos para irmos para o céu, Jesus quer que nós cresçamos espiritualmente, que sejamos crentes mais firmes cada dia que passa.
- O ver
de nos fala das coisas que crescem, como as árvores, as flores, as gramas..., Você só vai se tornar um crente forte, se você ler a Bíblia e orar todos os dias, e ir a igreja todos os domingo, não se esqueçam disso.
Ele fechou o guarda-chuva.
- Quero que vocês vão embora agora para contar aos outros o que eu lhes contei, voltarei amanhã para ver se vocês poderão repetir para mim tudo o que lhes falei sobre as cores.
Todos que puderem me dizer os significados das cores, e explicar como é que a gente se salva, receberá um livrinho com estas mesmas cores
, para poderem contar a mais alguém (o professor pode fazer vários livrinhos para darem aos seus alunos).
As crianças não voltaram logo para a brincadeira, em vez disso foram falar daquilo que acabaram de ganhar.

E o nosso amiguinho abriu o guarda-chuva novamente e continuou andando pelas ruas, procurando outras pessoas para ouvirem o Evangelho.

A PROCURA DE UM CORDEIRO



PARA DECORAR - “EIS O CORDEIRO DE DEUS QUE TIRA O PECADO DO MUNDO – JOÃO 1:29b)

CARTAZ 1
Vou contar a vocês uma história verdadeira.
Era uma vez uma menina chamada Rute, que morava bem longe daqui, noutro país. Quando ela estava com quatro anos, deste tamanho assim, seus pais começaram a levá-la à Escola Dominical.

CARTAZ 2
Lá ela foi aprendendo muitas coisas da Bíblia. Aprendeu os 10 mandamentos, aprendeu que devia ir sempre à Casa de Deus e ouviu muitas histórias. Ouviu contar também que Jesus era o Salvador do mundo, que Ele tinha morrido numa cruz e ressuscitado ao terceiro dia, e que era o Filhode Deus. Rute ficou sabendo todas estas coisas, e gostava muito das histórias da Bíblia e de ir à igreja. Mas nunca ninguém lhe falou que Jesus era o Salvador dela e que se importava com ela.

CARTAZ 3
E Rute foi crescendo. Quando aprendeu a le, começou a ler a Bíblia por si mesma. E como gostava! Lia a história de Abraão, que deixou tudo para obedecer a Deus; devorava a história de José que foi para a prisão porque amava a Deus, mas depois se tornou governador do Egito; e as histórias de Moisés, de Davi, de Rute, que tinha o mesmo nome dela, de Ester, de Daniel e tantas outras. Rute queria agradar a Deus como esses servos e servas daqueles tempos. Então, ela procurava fazer tudo o que a Bíblia mandava e ia sempre a igreja.
Mas... Rute descobriu que não conseguia fazer tudo como Deus queria. Ás vezes, sem querer, ela respondia para a mamãe, ou ficava com raiva, ou dizia alguma mentirinha e aquilo pesava no seu coração. Ela queria tanto agradar a Deus mas tantas vezes fazia o que eus não gostava.

CARTAZ 4
Então, Rute pensou uma coisa – aquelas pessoas da Bíblia que ela queria imitar, faziam uma coisa que ela nunca tinha feito e nunca tinha visto ninguém fazer, matavam um cordeiro, ofereciam-no a Deus e isso O agradava. “Por que será que o pastor da Igreja, e o papai, e as pessoas de hoje não fazem isto?”, pensou ela. “Acho que ninguém está pensando muito em agradar a Deus. Mas eu quero agradá-lo”. Sabem, Rute sentia que as coisas erradas que ela fazia deixavam triste o coração de Deus, então, ela queria fazer alguma coisa para agradá-lo no lugar daquilo. Vamos ver o que aconteceu.

CARTAZ 5
Rute pensou: “Agora já tenho 12 anos, posso comprar um cordeiriho, matá-lo e oferecê-lo a Deus. Então, Ele vai ficar contente”. Ela morava numa fazenda e o fazendeiro vizinho tinha criação de ovelhas. Rute resolveu, então, ajuntar dinheiro no seu cofre, e comprar um cordeirinho. Mas não ia contar nada a ninguém, com medo que os mais velhos rissem dela e não a deixassem fazer aquilo. Mas se eles não se importavam de agradar a Deus, ela se importava. E havia de comprar o cordeiro.
Mas vocês pensam que isto era fácil para Rute? Não! Primeiro, ia levar algum tempo, até ter o dinheiro necessário. Depois... “O cordeirinho precisa ser de um ano e sem mancha, como diz a Bíblia”, pensava ela, “será que eu encontro um assim? Se não, eu não vou conseguir agradar a Deus!”. E Rute ficava pensativa. De noite, às vezes, ele nem dormia direito, pensando. “E onde será que eu vou matá-lo, para ninguém ver? E será que eu vou ter coragem de fincar a faca num cordeirinho?” Em tudo isso ela pensava e pensava.
Foram-se passando os meses e o dinheiro também foi aumentando e aumentando no cofre. O coração de Rute batia com força, quando ela contava as notas e moedas e via que faltava pouco. Então, um dia... aconteceu uma coisa diferente! Vocês vão ver.

CARTAZ 6
Por esse tempo todo, Deus estava pensando muito em Rute, porque Ele ama as crianças e Se interessa até por uma menina pequena ou por um menino. Sabem como é que eu sei disto? É porque a Bíblia diz: Jesus um dia falou: “Deixai vir a mim os pequeninos” (Mc 10:14). E vocês vão ver pela nossa história como o Senho estava muito, muito interessado emRute e como Ele fez as coisas para ela.
Querem saber a coisa diferente que aconteceu? Um belo dia uma amiguinha de Rute convidou-a para assistir um programa especial para crianças no Exército da Salvação. Rute pediu a mãe e foi. No domingo de manhã lá estava ela, com os olhos brilhantes, curiosa para ver como seria o programa. Era uma novidade.

CARTAZ 7
E o Senhor Jesus tinha ali uma surpresa para Rute. Foi muito bonito, e na hora da pregação, o dirigente foi contar uma história especial para crianças. E sabem qual foi o versículo que ele usou? Foi João 1:29b: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”, Rute estava bem atenta. Aquele homem bem simpático falou uma coisa que ela não esperava! Ele disse que as pessoas da Bíblia, no Velho Testamento, ofereciam cordeiros e outros animais a Deus em sacrifício pelos seus pecados, mas que agora não é preciso mais isto porque Deus já mandou um Cordeiro perfeito, sem mancha, que veio mesmo do Céu, o Senhor Jesus, o Filho de Deus, que ao morrer na cruz, levou os pecados de cada pessoa, até dos meninos e meninas, e recebeu ali o castigo que mereciam. Então é só a pessoa aceitar o Cordeiro de Deus, que Ele está contente com ela. Nem vê mais os pecados e erros que a pessoa fez, porque todos eles caíram em cima de Jesus. “E o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado” (1 João 1:7b). Os olhos de Rute estavam deste tamanho! Seu coraçãozinho babia e bebia todas as palavras do pregador. O Espírito Santo de Deus estava abrindo seus olhinhos e falando com ela. Rute estava entendendo tudo tão bem! Ah! Eu quero aceitar o Cordeiro de Deus. Eu O aceito. Se o Senhor já tem um Cordeiro preparado, meu Deus, eu O aceito”. E vocês sabem que quando a gente diz lá de dentro do coração para o Senhor Jesus: “EU QUERO”, o coração se abre, e quando o coração se abre. ELE ENTRA. A Bíblia diz: E quando Jesus entra num coração, o que acontece? Ele o limpa, perdoa e dá-lhe a vida eterna. Ele mesmo fica morando lá para sempre! Aquela pessoa nasce de novo e agora á agradável a Deus.
E foi isso o que aconteceu com Rute. Como seu coração ficou contente! Agora ela entendia porque Jesus tinha vindo ao mundo! Como era maravilhoso. Ela não precisava mais comprar um cordeiro! Tinha aceitado o Cordeiro de Deus e Deus estava contente! Jesus era dela e ela era de Jesus! De agora em diante queria viver sempre para ELE e ser inteirinha dEle.
CARTAZ 8
Rute cresceu e se tornou uma moça. Ela estudou a Bíblia para poder falar melhor de Deus aos outros. E é coisa que ela faz com mais alegria – viver para Jesus, o Cordeiro de Deus, o seu Salvador.
Você já pôs os seus pecados sobre o Cordeiro de Deus? Tome o Cordeiro de Deus, o Senhor Jesus, como seu mesmo. E será a maior alegria para o coração de Deus e para o seu. Você quer?

CARTAZES
1 – Era uma vez...
2 – Lá ela foi...
3 - E Rute foi crescendo...
4 – Então Rute pensou uma coisa...
5 – Rute pensou: Agora que...
6 – Por esse tempo todo...
7 – E o Senhor Jesus tinha ali...
8 – Rute cresceu...

S PASTORES LOUVAM A DEUS


ALVO - Que a criança possa louvar a Deus pela salvação através do Seu Filho.
ENSINO PRINCIPAL – Você pode louvar a Deus pelo Senhor Jesus.
VERSÍCULO PARA DECORAR –
“Louvai ao Senhor, porque ele é bom”. Salmo 118:1
BASE BÍBLICA – Lucas 2:8-20
INTRODUÇÃO DA HISTÓRIA
Há um hino que costumamos cantar a qual seu título é: “A Deus demos glória”. E no coro nos fala assim:
Exultai! Exultai! Vinde todos louvar
A Jesus Salvador, a Jesus Redentor!
A Deus demos glória, porquanto do céu
Seu Filho bendito por nós todos deu
FIGURAS – 1C – 15 À 26
CAIXA DO EVANGELHO
Hoje eu trouxe alguns animais. Claro que não são animais de verdade. São apenas de brinquedo. Vejam se vocês podem adivinhar que tipo de animal é, antes que eu o tire do saco de surpresa.
Pois bem, pra começar
Número 1 vamos chamar: OVELHA
O que é que vem depois?
Já sei, é o número 2 CAMELO
Agora, desta vez
Vai o número 3: JUMENTINHO

Na nossa história de hoje, há um grande número de um destes animais. O que vocês acham? Serão camelos? NÃO Jumentos? NÃO Ovelhas? SIM. As ovelhinhas precisam de alguém que cuide delas. A pessoa que cuida das ovelhas é chamada de pastor. Os pastores cuidam das ovelhinhas.
COLOCAR FIGURAS – OVELHAS E PASTORES – 1C 21-23
Os pastores estavam no campo, cuidando das suas ovelhas. Era noite. Talvez os pastores juntassem lenha e fizessem uma fogueira. Então, todos ficariam ao redor da fogueira, aquecendo-se. Estava escuro e tudo em silêncio. Os pastores deviam estar com sono, mas não poderiam dormir todos de uma vez. Pelo menos um tinha de ficar acordado a noite toda, para espantar lobos, os ursos, ou leões que talvez procurassem matar as ovelhinhas. Vamos fazer de conta que estamos dormindo, enquanto um pastor fica de guarda
(Fundo musical – Todos dormem)
De repente, o céu ficou tão claro como se fosse dia! Todos os pastores acordaram depressa!
FIGURA 1C – 24
Os pastores viram um anjo!
_ Não se assustem! Disse o anjo.
Deus tinha mandado o anjo ali. Os pastores sabiam que Deus é santo. Ele é bom, é perfeito. Deus não pode pecar. Os pastores ficaram com medo. Sabiam que eles não eram bons, como Deus. Sabiam que eram pecadores. Desde que tinham nascido, eram pecadores. Muitas vezes, eles sabiam o que deviam fazer, mas nem sempre faziam o que estava certo. Não fazer o que devemos é pecado. Deus detesta o pecado. Ele precisa castigar o pecado. Os pastores estavam com medo! O seu pecado os separava de Deus.
Mas, o que foi mesmo que o anjo lhes disse?
- Não tenham medo!
Era como se o anjo tivesse dito:
- Deus ama vocês, pastores. Ele me mandou aqui com uma boa notícia... Hoje nasceu um Salvador para vocês. Vocês podem encontrar o Salvador (Aquele que pode salvá-los pecado) numa manjedoura em Belém.
Os pastores ficaram admirados. É verdade? O Salvador nasceu realmente?
FIGURA – ANJOS 1C 25-26
Então sabem o que aconteceu? O céu inteiro se encheu de anjos! E os anjos louvaram a Deus dizendo: “GLÓRIA A DEUS NAS MAIORES ALTURA E PAZ NA TERRA ENTRE OS HOMENS A QUEM ELE QUER BEM”.
TIRE OS ANJOS
De repente, os anjos não estavam mais lá. Então, os pastores disseram uns aos outros:
- Vamos a Belém ver o Salvador.
TIRE AS FIGURAS
FIGURAS – MARIA, JOSÉ , JESUS – PASTORES
Os pastores vieram à estrebaria. E lá, o que encontraram? Maria, José e o Senhor Jesus Cristo.
_ Encontramos o lugar! Vejam o bebê! É exatamente como o anjo falou! (Os pastores disseram uns aos outros).
- Maria e José ficaram olhando, enquanto os pastores se aproximavam da manjedoura! Será que os pastores tentavam chegar mais perto sem fazer barulho?
- Talvez andassem na ponta dos pés... Será que se ajoelharam junto ao Senhor Jesus? Esse bebezinho era o Salvador que Deus tinha prometido mandar!
Os pastores também eram pecadores. Você e eu somos pecadores. Todos nós, às vezes, fazemos o que queremos e não o que Deus quer. Deus enviou o Seu perfeito Filho Jesus para ser o nosso Salvador do pecado.
Talvez eles tivessem ouvido falar, desde menininhos, sobre a promessa, feita por Deus, de que Ele mandaria um Salvador. E Jesus veio mesmo! Eles sussurraram palavras de louvor.
O que fazemos quando louvamos a Deus! Ao louvar a Deus, lembramos como Ele é bom e dizemos isso a Ele. Dizemos: “Muito obrigado” para Ele.
CAIXA DE LOUVOR.
Vocês podem louvar a Deus. Vamos louvá-lo por Ter mandado o Senhor Jesus. Primeiro, vamos dizer as palavras da Bíblia. “Louvai ao Senhor, porque ele é bom”. Muito obrigado, Deus porque o Senhor é muito bom. Nós te louvamos!
Deus é muito bom porque Ele cumpriu a Sua promessa.obrigado pela salvação!
Como você pode louvar a Deus? Podemos louvar a Deus cantando. Dizendo que O amamos. Falando com Ele. e mandou Jesus para nos salvar.
Muito obrigado, Deus pelo Seu Filho! Muito
Também você pode louvar a Deus contando aos outros que Jesus é o Salvador.
CAIXA DO EVANGELHO
Vamos fazer uma brincadeira! Eu vou falar sobre a Caixa do Evangelho e veremos quem poderá apontar a figura de que estou falando. Eu vou lhe dar algumas pistas. Quem souber levante a mão
1 – Jesus não ficou sendo sempre um neném. Ele cresceu e tornou-se homem. (Fig. Cristo)
2 – Jesus morreu numa cruz, dando o seu precioso sangue pelo nosso pecado. Mas Jesus não ficou na cruz nem no túmulo. Jesus está vivo. (Cruz)
3 – Jesus está preparando um lugar para nós no céu. (Céu).
4 – Você pode pedir para Jesus ser o seu Salvador e perdoar os seus pecados (Criança)
5 – Quando temos Jesus como o nosso Salvador, Ele nos dá um coração limpo. Perdoa todo o nosso pecado (Coração).
O Senhor Jesus gosta de ouvir quando nós O louvamos e agradecemos a Ele por ser o nosso Salvador.
Você já falou com o Senhor Jesus para ser o seu Salvador? Se você já falou diga assim bem bonito. “MUITO OBRIGADO, JESUS”. Se ainda não disse levante a sua mãozinha para que eu possa ver e te ajudar.
SALMO 150:6 – TUDO QUANTO TEM FOLEGO LOUVE AO SENHOR
- Além de louvarmos a Deus com nossos cânticos e instrumentos, podemos louvar a Deus com uma vida de amor e de alegria, com nossa fé em Cristo, e com a vitória sobre os poderes de Satanás, com a fome espiritual. Com o amor de Deus derramado em nossos corações pelo Espírito Santo. Por podermos falarmos do evangelho.
SALMO 118:1 – Este salmo louva ao Senhor por seu amor eterno para com o seu povo. Esta teria sido a última frase cantada

Mamãe eu obedeço

Lucas era um menino muito pobre. Certo dia ele estava com muita fome e não tinha nada para comer. Você sabe o que é querer um pedacinho de pão e não ter nada para comer? O menino Lucas chorou muito. O pai tinha ido embora e nunca mais voltou. E a mãe trabalhava o dia todo. E Lucas? Ficava sozinho em casa.

Mas um dia a mãe foi mandada embora do emprego. E agora, o que fazer? Mamãe chegou em casa chorando.

- Que foi mamãe, o que aconteceu? - perguntou Lucas. E mãe contou tudo. Os dois se abraçaram e choraram.

De repente Lucas se levantou e disse:

- Mas mamãe, nós não temos Jesus?

- Temos sim filhinho.

Lucas só tinha cinco anos e falou como se fosse um adulto.

- Mamãe vamos orar

Lucas era tão pequeno e orou assim: "Jesus, eu sei que o Senhor responde às orações. Então Jesus, manda comida e um serviço para mamãe. Jesus, eu estou com muita fome e também estou triste, porque fico sozinho em casa o dia todo".

Lucas chorou baixinho para que a mãe não ficasse mais triste ainda; "Estou com fome Jesus". E foram dormir. Lucas colocou sua cabecinha no travesseiro e chorando falou: "Eu sei que você, Jesus, ouviu minha oração".
E dormiu. Logo ao amanhecer a mãe já estava pronta pra sair.

- Filhinho, eu vou procurar um emprego. Não saia de casa, fique quietinho tá certo? Abraçou Lucas com muito amor...

E Lucas ficou outra vez sozinho. Ele ficou preocupado. Lucas queria de alguma forma ajudar a mamãe. E pensou:

"Acho que vou sair de casa em casa perguntando se precisam de uma empregada que é muito boazinha, que é minha mãe, e abriu a porta para sair, mas lembrou do que a mamãe disse: Não saia de casa.

- Eu não posso desobedecer a mamãe. Lucas pensou, pensou e disse: - Jesus eu orei para o Senhor dar um trabalho para mamãe. Eu estou com muita fome. Mas eu vou obedecer! Não vou sair.

E fechou a porta, ficou sentadinho no chão, olhando para parede sem se mexer. E ficou ali, já sem forças de tanta fome, ficou durante uma hora, depois passaram duas horas, três horas e... Alguém bateu.

- É a mamãe! E correndo abriu a porta, mas não era ela.

Sabem quem estava ali? Uma moça de olhos bondosos com muito carinho disse:

- Bom dia. Eu estava em casa orando, e de repente fui até a janela. Eu moro naquela casa grande do outro lado da rua, e vi quando sua mãe saiu e vi também que ela estava chorando. Então Deus falou ao meu coração: "Vá lá", e eu estou aqui. O que aconteceu?

Lucas arregalou os olhinhos e contou tudo chorando, chorando toda sua tristeza.

- Ah! - disse a moça - Foi por isso que Jesus me mandou aqui. Estou precisando de alguém para tomar conta da minha casa. Alguém como sua mãe. Não para ser empregada, é para tomar conta das outras empregadas. Preciso de uma governanta, e tem mais, no jardim existe uma casa para vocês.

Lucas ficou até sem ar. Nem podia falar. Quando mamãe entrou chorando...

- Quem é esta moça?

- Sou sua patroa. Vocês vão morar comigo. Vai ter uma casinha só pra vocês dois. Lucas nunca mais vai ficar sozinho. Vai ter comida, roupa e tudo mais que precisam. Eu também sou de Jesus e Ele me mandou aqui... Seu filho é maravilhoso e me contou tudo o que vocês estão passando.

Mamãe nem podia falar. Lucas pulou no colo e disse:

- Viu mamãe, Jesus respondeu minha oração!

A mãe feliz abraçou o seu filhinho dizendo:

- Lucas você tem mais fé do que a mamãe, muito mais... Deus ouviu você meu filho!

Assim logo se mudaram para aquela linda casa. E Lucas nunca mais passou fome e nunca mais ficou sem a mamãe. Que bom, não é? Jesus respondeu a oração de Lucas.


E você também já se sentiu sozinho sem ninguém para lhe ajudar? Deus está sempre conosco para nos ajudar. Lucas teve fé e acreditou que Deus ia responder sua oração. Deus ouve nossas orações. Orar é falar com Deus! Podemos falar com Deus durante todo dia; deitado, em pé, andando; mas sempre com respeito.

Quando você precisar, faça como Lucas! E saiba que Deus ouve e quer ajudá-lo.


O surdinho

A meninada toda estava na rua. Como era divertido brincar com o surdinho!
- Sur-di-nho! Sur-di-nho! - chamavam os meninos.

E batiam nele de um lado e de outro. O menino surdinho até ficava tonto. Os garotos às vezes caçoavam tanto dele, mas tanto, que o surdinho corria pra casa, chorando, chorando. Um dia os meninos abusaram demais. Chegaram até a lhe dar tapas, pisar nos pés, beliscar e empurrar com tanta força que surdinho caía no chão.

Queria ir para casa, mas não podia... Os moleques o agarravam... Assim que conseguiu escapar, fugiu, deixando os moleques rindo e caçoando dele. Mamãe - vocês sabem como são as mamães - logo percebeu que alguma coisa não ia bem. Correu e abraçou Surdinho.

- Que foi filhinho, que foi?
Ele também abraçou a mamãe e chorou muito, muito. Depois enxugou os olhinhos, ameaçou um sorriso, jogou um beijo para mamãe e saiu. Ela estava fazendo o almoço e com gestos falou que ele não demorasse. Mamãe ficou em casa com um aperto no coração.

Surdinho passou escondido pela rua. Quando viu um menino, entrou num jardim até que o garoto sumiu. Olhou dos lados e não viu ninguém. Começou a correr, até ficar muito cansado. Daí começou a andar devagar. Estava tão distraído que nem sabia por onde andava. Seu coraçãozinho estava muito cansado. Sabem? Ele se achava fora da cidade. Longe, não?

De repente, Surdinho viu o trilho do trem. Começou a andar nele e a se equilibrar. Pulava nas madeiras que seguravam os trilhos. Achou tão gostoso brincar ali, sozinho, que até começou a sorrir. E pulava, pulava e ria bastante. Era a primeira vez que isso acontecia.

Sua mãe, lá em casa ficou aflita, e cada vez mais aflita. Lembrou-se do Surdinho, da sua tristeza, e pensou: "Está acontecendo alguma coisa com ele. Saiu correndo para a rua. Viu os meninos brincando.

- Hei, sabem do Surdinho?

- Não está em casa?

- Não, ele saiu e não voltou. Ajudem-me a procurá-lo.

Surdinho continuava correndo pelo trinho, rindo, rindo.

- Piuiiii! - apitou o trem, lá longe.

Mamãe ouviu aquele apito e gritou:

- O trem, o trem!

Ela correu em direção à linha do trem. Os meninos foram atrás.

- Piuiiiiiiii! - apitou o trem mais forte, mais perto.

De longe mamãe viu Surdinho pulando e o trem se aproximando. As crianças começaram a gritar. Ficaram desesperadas. Queriam passar na frente do trem. Mamãe, chorando, gritou:

- Filhinho!

O maquinista do trem viu o menino, tentou brecar, mas não deu tempo...

O Surdinho morreu! Mas morrer é simplesmente ir morar no céu, com Jesus, um lugar lindo e maravilhoso. Agora Surdinho estava feliz no céu. Agora ninguém caçoava dele e podia ouvir tudo, tudo. Ouvia a voz de Jesus, tão meiga e amiga.

Os meninos choravam arrependidos. Haviam maltratado tanto o Surdinho que ele fugiu para longe e o trem o matou. Agora o jardim perdeu a graça. A rua ficou triste sem Surdinho. As crianças não quiseram mais brincar na rua. Nunca mais caçoaram de outro menino. Nunca mais jogaram pedra num aleijado. Nunca mais riram de um bobinho. Nunca mais bateram num surdinho. Nunca mais, nunca mais.

E vocês? Têm tratato sempre com bondade e alegria as pessoas que são aleijadas, ou têm algum problema? Quando você vir alguém assim não critique nem dê risadas. Ao invés de você criticar, ore por ele. Jesus ensinou claramente que devemos amar uns aos outros. Quando alguém abusa de nós, devemos pagar o mal com o bem. Jesus promete recompensar-nos se assim fizermos.

Fonte: Tia Ester

O Barquinho...

Era uma vez um menino chamado Toninho. Toninho morava perto de um rio e, por isso, gostava muito de barcos. Ele sempre fazia barquinhos de papéis, mas eles acabavam se desmanchando na água.

Um dia, enquanto caminhava pelas ruas da pequena cidade onde morava, ele viu na vitrine da loja, um barco bem bonito, do jeitinho que ele queria. Toninho entrou na loja e perguntou o preço do barco ao dono da loja. Era um valor muito alto e Toninho não tinha o dinheiro para comprar ao barco. Saiu muito triste da loja. Foi no caminho que teve uma idéia. Iria construir o seu próprio barco, mas não de papel, como das outras vezes. Agora ele iria construir um barco de madeira.
Por vários dias, Toninho, juntamente com o seu pai, construiu um lindo barco, o qual o término foi pintado com cores alegres.

Os olhos de Toninho brilharam de alegria ao ver o lindo barquinho colorido. Ficara lindo.
Com todo cuidado, Toninho colocou o barco no laguinho, que ficava perto do rio. E ali brincava alegremente com o seu barquinho.

Um dia, quando Toninho brincava com o seu barco, veio uma forte tempestade levou o barco de Toninho para o rio. Toninho tentou alcançar o barco, mas foi em vão. As águas estavam muito agitadas e levou o barco para longe. Toninho ficou muito triste. O pai até queria fazer outro barco, mas Toninho queria aquele, porque ele tinha gostado muito dele. Outro barco não seria a mesma coisa.

Toninho ficou a caminhar tristemente pelas ruas da cidade. Quando, de repente, ao olhar para uma vitrine de uma loja, viu um barquinho muito parecido com o seu. Ele entrou na loja e pediu ao vendedor para mostrar o barquinho. Toninho pegou o barquinho nas mãos e examinando-o cuidadosamente e concluiu:

- Esse é o meu barquinho.

O vendedor sorriu para o menino e disse:

- Esse barco pode ser seu garoto, mas tem que pagar o preço dele.

Toninho, entre lágrimas, tentou explicar o ocorrido para o vendedor. Mas, o vendedor disse que para Toninho ter o barco de volta, ele teria que pagar o valor do mesmo, porque aquele barco agora pertencia à loja. Toninho saiu da loja muito triste, pensando o que fazer para conseguir o seu barco de volta. Decidiu que iria trabalhar muito, até ajuntar o dinheiro e comprar o barco.
E assim Toninho fez. Por vários dias, Toninho trabalhou incessantemente como entregador, limpador de calçadas, etc. Até que um dia, conseguiu ajuntar o dinheiro para comprar o seu barquinho.

Toninho foi apressadamente a loja, com medo de não encontrar o barquinho. Mas... Para a sua alegria, o barco ainda estava lá. Toninho entregou o dinheiro ao vendedor que lhe deu o barco em troca. Toninho, tomou em seus braços o barquinho dando um suspiro aliviado e disse:

- Meu barquinho querido. Você é meu duas vezes. A primeira vez, porque eu te construí e agora a segunda vez porque eu te comprei.

Essa história é semelhante a nossa vida. E poderíamos dizer que somos como aquele barquinho. Um dia, Deus fez o homem com muito amor e carinho, mas a tempestade (pecado), separou o criador da criatura. Mas... Deus, o criador, teve um plano e através de Jesus Cristo, seu filho, Ele pode trazer o homem de volta para os braços do criador.

Muitas pessoas ainda andam longe do criador, mas Deus espera ansiosamente para tomá-lo em seus braços amorosos, porque o preço já foi pago através do sangue de Jesus derramado na cruz por causa dos nossos pecados.

Autor: desconhecido -
Se alguem souber o nome do autor, por favor me avise para que eu possa dar os devidos créditos.

A Casa na Rocha



Mateus 7:24-27
A nossa vida é como uma casa...

O nome do primeiro era senhor Prudente e o nome do segundo homem era senhor Insensato.
Um dia, o senhor Insensato avistou um lugar lindíssimo.
 
Tinha uma vista maravilhosa, um mar muito lindo com ondas que sacolejavam para lá e para cá. O céu era límpido e azulado e as gaivotas sobrevoavam sobre aquele imenso azul. 
Ao ver aquele lugar tão lindo, o senhor Insensato decidiu que iria construir a sua casa naquela areia bem branquinha, dizendo:
- É aqui mesmo que eu vou construir a minha casa! E você, amigo Prudente??? Vai ficar andando muito por ai??? Vai se cansar à toa. Eu já achei o meu lugarzinho... Vou construir aqui na areia, que fica bem pertinho do mar, assim, fica até mais fácil de ir à praia. Quando eu quiser pescar, eu lanço o anzol daqui de dentro de casa...

O senhor Prudente, que não gostava muito de falar, tentou dar um conselho:
 

- Sabe... senhor Insensato, eu acho que esse lugar não é muito firme para construir uma casa... as ondas do mar podem vir e levar a sua casa, porque a areia é algo que se esparrama facilmente...
 

Mas... o senhor Insensato nem ouviu o que o senhor Prudente disse, ele queria era construir a casa dele.
 

O senhor Prudente continuou a procurar um lugar. E logo adiante achou um belo lugar para construir a sua casa. O solo era bem firme, na verdade, era grande rocha, que parecia estar muito firme. E ali começou a sua construção.
 


A primeira  nuvem foi a da mentira. O senhor Insensato nem ligou, afinal de contas ele gostava contar umas mentirinhas de vez em quando... E assim a casa do senhor Insensato ficou ligeiramente torta.
A segunda  nuvem foi a dos problemas.. O senhor Insensato ficou desesperado, começou a reclamar sem parar, dizendo que Deus não era bom. Que a vida dele era muito ruim, e nem quis mais saber de trabalhar... reclamava o dia inteiro. E a casa dele entortou mais um pouquinho.
  A terceira nuvem foi a da falta de amor... O senhor Insensato, que já estava revoltado com os seus problemas e também estava afundado cada vez mais na mentira, resolveu ficar com raiva de todo mundo achando que ninguém o amava. Achou que o amor não existia mais. Decidiu se envolver com drogas para fugir do mundo... Coitadinho!!! E a casa dele ficou bem torta dessa vez.


As últimas nuvens que chegaram foram a da desonestidade e da fome.... 


O senhor Insensato, a cada dia que passava, ficava mais revoltado com os seus problemas e se afundava cada vez mais na mentira, e na violência. Não tinha mais dinheiro para nada, nem para sustentar o vício, nem para comer. Daí, decidiu usar de desonestidade para conseguir as coisas. A casa dele, ficou por um fio.
O senhor prudente passou por momentos de fome em sua casa, mas não desistiu de lutar, porque sabia que se agisse de forma desonesta, nunca seria um vitorioso.
E assim... depois de tantas nuvens....
Caiu uma chuvarada, e o mar ficou bravio, o vento soprou forte e a casa do Insensato não resistiu e caiu e ficando somente os destroços soltos na areia.
Mas... o que será que aconteceu com a casa do senhor Prudente?
  Bom... os ventos sopraram nela com muita força, uma torrente de água também caiu sobre ela, mas ela permaneceu ali... quietinha. Nada aconteceu àquela casa, porque ela estava firmada na rocha e não na areia.

Assim é a nossa vida. O nosso destino, depende de nossas decisões. Jesus Cristo nos orienta a ser como o sr. Prudente, ou seja, estar sempre firmado em bons princípios.
 Aonde você quer construir a sua casa (vida). Na rocha ou na areia? Isso só depende de você!




O Melhor Presente

Tita e Bidu são amiguinhos e muito pobres. O Bidu tá sempre reclamando, sempre resmungando, já Tita vive alegre, sabe aceitar coisas simples e grandiosas. Tita fala de Jesus, o presente de Deus para nós.

Os personagens podem ser humanos ou bonecos(fantoches)

Dêem graças em todas as circunstâncias, pois esta é a vontade de Deus para vocês em Cristo Jesus.
 
TITA: Que dia lindo!                                 
BIDU: Olá, Titã, tudo bem?
TITA: Tudo, e com você?
BIDU: Comigo vai tudo mal!
TITA: Tudo mal?! Por que, Bidu?
BIDU: Hoje é o Dia das Crianças, e eu gostaria de ganhar um presentão, mas ganhei um presentinho.
TITA: Deixe de ser ingrato, você deve agradecer a Deus, porque você ganhou presente. Eu não ganhei nenhum e nem por isso estou reclamando.
BIDU: Sabe o que é, Titã, no ano passado teve um festão na minha rua e o dono da festa falou que quem colocasse o sapato na janela,ele iria colocar um presente. Então coloquei o sapato do meu pai
para ganhar um presentão e ganhei uma loção de barba!
TITA: Ah! Ah! Ah! É por isso que você sempre se dá mal. Você enganou a si mesmo . Ah! Ah! Ah! Ora, Bidu, você não sabe agradecer, está sempre insatisfeito, reclamando de tudo e ainda por cima é egoísta.
BIDU: Egoísta, eeeuuuuu?!
TITA: É egoísta, egoísta mesmo. Está sempre pensando em você e não consegue pensar porque seus pais não puderam lhe dar um presente melhor. A minha mãe me deu um gostoso beijo e um abração.
BIDU: Só isso?
TITA: E eu acho melhor que tudo. E depois ela me falou de um presente que o pai de todo mundo quer nos dar. Ele é o melhor de todos.
BIDU: Oba! Como eu faço para encontrar esse pai de todo mundo e ganhar esse presente, hein?!
TITA: Você pode aceitar esse presente ou não.
BIDU: Ah! Então não deve ser bom, se fosse bom eu não precisaria recusar.
TITA: Bidu, tem muita gente que não quer, mas não sabe o que está perdendo!
BIDU: E o que elas podem estar perdendo?
TITA: A salvação!
BIDU: Salvação?
TITA: Vou explicar. Essa pessoa é o dono de tudo, de todo ouro, de toda prata e de toda espécie de pedras preciosas que existe na terra.
BIDU: Puxa! Então ele é muito rico e pode me dar um presente bem grande.
TITA: Você só pensa nisso, Bidu. As pessoas precisam pagar para nos dar um presente. Isso não significa ter o presente que quiserem. Mas aquela pessoa no dá um presente de graça, não precisa pagar.
BIDU: É mesmo?! E quem é essa pessoa? Quem é? Quem é?
TITA: É Jesus, e quando nós e aceitamos, reconhecemos que Ele é o nosso Salvador, e que só ele perdoa os nossos pecados. Então, ele passa a ser o nosso melhor presente.
BIDU: Ah! Eu não quero uma pessoa, Tita, eu quero um presente.
TITA: Mas é o nosso maior presente. Deus deu o seu único filho pra morrer por nós, para que fôssemos salvos. Ele está preparando um lugar no céu para os que quiserem aceitá-lo. O céu é um lugar especial, onde vamos vê-lo face a face, ficar pertinho dEle. Bidu, você daria o seu filho para morrer pelo mundo?
BIDU: Eu hein, Titã! Você ta doida?
TITA: Será que Jesus também deveria estar doido quando morreu na cruz por você, um menino egoísta e mau?
BIDU: Eeeuuuuu, você acha, é?
TITA: Acho!
BIDU: Sabe de uma coisa... (CHORA) você tem razão, eu não passo de um menino mau. O meu pai está desempregado, e ele faz um esforção para me dar esse presentinho com tanto carinho, e eu tão mau que sou ainda fiz malcriação. Coitadinhos dos meus pais! (CONTINUA CHORANDO) Eu nunca sei me conformar com o que podem me dar. Estou sempre deixando-os tristes. Sabe, Tita?
(CHORA)
TITA: O que é, Bidu?
BIDU: Eu não sou merecedor de entrar lá, naquele lindo lugar, e nem mereço nenhum presente!
TITA: Não é assim também, Bidu. Agora você está arrependido e sabe que Jesus pode perdoar os pecados. É só pedir perdão aos seus pais e a Deus, para que seus pecados sejam perdoados, e
Jesus será o seu melhor presente!
BIDU: Obrigada por ter me ensinado tudo isso e que Jesus é o nosso melhor presente.
TITA: Bidu, vou cantar uma canção para você. É assim:
Eu tenho um tesouro
Eu tenho sim
Eu tenho um tesouro
Dentro de mim
Esse tesouro tem muito valor
Esse tesouro é Jesus Cristo
Meu Salvador

TITA: Aprenderam, crianças? Então, se vocês acham que Jesus é o melhor presente, cantem também. (CONVIDÁ-LAS A CANTAR)

Fonte: http://www.teatrocristao.net

Para ouvir esta história, feche os olhos e imagine uma cidade bem bonita.
Uma cidade onde bicho fala e homem entende.
Nessa cidade, havia uma formiguinha que trabalhava sem parar. Ficava o dia inteiro procurando alimento para que quando o inverno chegasse ele não lhe faltasse.
Nos dias difíceis de
 trabalho, a formiguinha se alegrava com o canto da cigarra.
- Como é bom ouvir dona Cigarra cantando!
Um dia, sabendo que o inverno estava quase chegando, ela correu para buscar uma última folhinha que havia deixado perto de uma árvore.

No caminho, de repente, caiu um floco de neve bem em cima do seu pezinho.


AFLITA, VENDO QUE NÃO PODIA LIVRAR-SE DA NEVE E IRIA ASSIM MORRER DE FOME E DE FRIO, VOLTOU-SE PARA O SOL E DISSE:
– OH, SOL, TU QUE ÉS TÃO FORTE, DERRETE A NEVE E DESPRENDE MEU PEZINHO… E O SOL, INDIFERENTE NAS ALTURAS, FALOU: – MAIS FORTE DO QUE EU É O MURO QUE ME TAPA!




- Ó! Muro, já que o senhor é tão forte, que tapa o Sol, que derrete a neve, por favor, desprenda o meu pezinho!
O Muro virou-se para a Formiguinha e disse:
- Pobre Formiguinha, nada posso fazer! Mais forte do que eu é o Rato que me rói!

Desanimada, a Formiguinha viu um rato, apressado, passando bem perto do muro e perguntou:
– OH, RATO, TU QUE ÉS TÃO FORTE, QUE RÓIS O MURO, QUE TAPA O SOL, QUE DERRETE A NEVE, DESPRENDE MEU PEZINHO… MAS O RATO QUE TAMBÉM IA FUGINDO DO FRIO, GRITOU DE LONGE: – MAIS FORTE DO QUE EU É O GATO QUE ME COME!

JÁ CANSADA, A FORMIGUINHA PEDIU AO GATO:                      – OH, GATO, TU QUE ÉS TÃO FORTE, QUE COMES O RATO,    QUE RÓI O MURO, QUE TAPA O SOL, QUE DERRETE A NEVE, DESPRENDE MEU PEZINHO… E O GATO, SEMPRE PREGUIÇOSO, DISSE BOCEJANDO: – MAIS FORTE DO QUE EU É O CÃO QUE   ME PERSEGUE!


AFLITA E CHOROSA, A POBRE FORMIGUINHA PEDIU AO CÃO: – OH, CÃO, TU QUE ÉS TÃO FORTE, QUE PERSEGUES O GATO, QUE COME O RATO, QUE RÓI O MURO, QUE TAPA O SOL, QUE DERRETE A NEVE, DESPRENDE MEU PEZINHO…
E O CÃO, QUE IA CORRENDO ATRÁS DE UMA RAPOSA, RESPONDEU SEM PARAR: – MAIS FORTE DO QUE EU É O HOMEM QUE ME BATE!


JÁ QUASE SEM FORÇAS, SENTINDO O CORAÇÃO GELADO DE FRIO, A FORMIGUINHA IMPLOROU AO HOMEM:
– OH, HOMEM, TU QUE ÉS TÃO FORTE, QUE BATES NO CÃO, QUE PERSEGUE O GATO, QUE COME O RATO, QUE RÓI O MURO, QUE TAPA O SOL, QUE DERRETE A NEVE, DESPRENDE MEU PEZINHO… E O HOMEM, SEMPRE PREOCUPADO COM SEU TRABALHO, RESPONDEU APENAS:
– MAIS FORTE DO QUE EU É A MORTE QUE ME MATA!


TRÊMULA DE MEDO, OLHANDO A MORTE QUE SE APROXIMAVA, A POBRE FORMIGUINHA SUPLICOU: – OH, MORTE, TU QUE ÉS TÃO FORTE, QUE MATAS O HOMEM, QUE BATE NO CÃO, QUE PERSEGUE O GATO, QUE COME O RATO, QUE RÓI O MURO, QUE TAPA O SOL, QUE DERRETE A NEVE, DESPRENDE MEU PEZINHO…
E A MORTE, IMPASSÍVEL, RESPONDEU: – MAIS FORTE DO QUE EU É DEUS QUE ME GOVERNA!


QUASE MORRENDO, A FORMIGUINHA OROU BAIXINHO:
– MEU DEUS, TU QUE ÉS TÃO FORTE, QUE GOVERNAS A MORTE, QUE MATA O HOMEM, QUE BATE NO CÃO, QUE PERSEGUE O GATO, QUE COME O RATO, QUE RÓI O MURO, QUE TAPA O SOL, QUE DERRETE A NEVE, DESPRENDE MEU PEZINHO…


e Deus ordenou que a morte fosse embora,para que não matasse o homem
Que fez o homem ficar tão feliz, que fez o cão correr atrás do gato,para que o gato não comesse o rato.para que o rato roesse o muro,e com isso o sol pudesse atravessar e derreter  a neve do pé da formiguinha
Crianças saiba que antes de pedir algo para nossas famílias devemos primeiro orar para Deus.
A nossa amiga formiguinha demorou tanto para chegar a Deus que quase morreu de frio.
Mas Deus com sua infinita misericórdia entrou com providencia para que ela não morresse.
Devemos sempre confiar em Deus, pois ele sempre quer o melhor para nós.
E nos guarda com suas mãos.
 


A Pesca Milagrosa (Lc 5, 1-11) - Teatrinho e história
Teatrinho/Motivação:                                                             
O Convite

Criança 1: Olha pessoal, recebi um convite muito legal!
Criança 2: Nossa! É um convite para uma festa?
Todos: Eu quero ir também!
Criança 1:  Calma pessoal! O convite é para toda nossa turma e está escrito bem assim: Para as crianças (falar o local que vocês estão).
Criança 2: Então abre logo isso aí!
Criança 3: Posso ler?
Criança 1: Claro que pode!
Criança 3:  “Convido as crianças... para caminhar espalhando o amor de Deus pelo mundo, sendo assim pescadores de homens. Amo todos vocês! Assinado: Jesus.”
Criança 4: Uau! Eu quero ser pescador de homens. (joga uma rede sobre algumas crianças  que estão assistindo e diz: Jesus te ama)
Criança 1:  O que é isso?
Criança 4: Ué! Agora sou pescador de homens!
Criança 1:  Mas não é isso que é ser pescador de homens.
Criança 5: Como assim não é...?
Criança 3:  Então o que é ser pescador de homens?
Criança 1: É falar do amor de Deus e de Jesus para as pessoas. Isso é pescar homens.
Criança 5:  A bem, agora sim eu entendi!
Criança 2:  Eu quero ser um pescador de homens!
Todos: Eu também!!!
(Entra a professora)
Tia: Olá, turminha! Que euforia é essa?
Todos: Oi, tia!
Criança 1: É que recebemos um convite para sermos pescadores de homens e eu tava explicando para a turma o que é isso.
Tia: Vocês querem ser pescadores de homens?
Todos: Queremos!!!
Tia: Que bom! Hoje nós vamos ouvir a história que conta como Pedro e Tiago largaram tudo para seguir Jesus. 




História: 

A pesca maravilhosa (Lc 5, 1-11)

Método para contar a história: Dramatização utilizando as próprias crianças

Escolha uma criança para ser Jesus e as demais serão os pescadores. Organize as cadeiras da sala (ou com as crianças sentadas no chão) de forma que monte um barco e combine com "os pescadores" que eles e deverão ficar sentados e fazer os movimentos como se realmente estivessem no mar pescando.

Hora da História:

         Pedro, André, Tiago e João tinham passado a noite toda pescando. Eles jogaram suas redes no mar, mas não conseguiram pescar nenhum peixinho. Jogaram novamente e nada... E assim eles passaram a noite toda. Eles lançaram as redes várias vezes, mudaram de lugar e nada! Nenhum peixinho. (As crianças deverão fazer os movimentos como se estivessem lançando as redes no mar).
           Ao amanhecer, eles já estavam cansados, desanimados e muito tristes, pois eles e suas famílias viviam da pesca. Como poderiam voltar para casa de mãos vazias?
          Os barcos já estavam parados na margem do rio e os pescadores já tinham descido dos seus barcos (as crianças deverão sair das suas cadeiras), com suas redes vazias e estavam lavando-as (as crianças deverão fazer os movimentos como se estivessem lavando as redes),  se preparando para ir para casa descansar um pouco e voltar à noite para pescar novamente, quando viram uma multidão se aproximando (as crianças  param de lavar as redes e olham para "a multidão", enquanto isso Jesus caminha em direção aos pescadores).
          Jesus estava caminhando e ensinando a Palavra de Deus. A multidão era tão grande que muitos não podiam vê-lO, nem ouvir direito o que Jesus falava. Jesus, então, viu os barcos parados na margem  do rio e próximos aos barcos viu os pescadores lavando as redes de pesca (As crianças lavam as redes). E assim, Jesus, entrou no barco de Pedro, e  pediu que  ele empurrasse um pouco o barco para que se afastasse da margem (um dos pescadores faz movimentos como se estivesse empurrando o barco). Sentado no barco (Jesus senta em uma das cadeiras), Jesus ensinava a multidão (Jesus ensinando). Quando Jesus acabou de ensinar, disse para Pedro (Jesus fica de pé e olha para um dos pescadores): "Leve o barco para a parte do rio que é bem funda e lance a rede." Pedro respondeu: (A criança para quem Jesus olhou finge responde) "Senhor, trabalhamos a noite toda e não pescamos nada. Mas, confiando em Tua Palavra, lançarei a rede de novo." (As crianças voltam para suas cadeiras e sentem-se). Os pescadores lançaram as redes (As crianças lançam as redes no mar), e quando eles puxaram  tinham tanto peixe que as redes estavam pesadas (As crianças fazem caretas como se estivessem puxando uma rede bem pesada). Eram tantos peixes que as redes quase arrebentaram. Foi preciso chamar o barco dos outros pescadores para que eles viessem ajudar. Encheram os dois barcos com os peixes que estavam nas redes.
          Como eles ficaram felizes! Agora tinham muitos  peixes e não voltariam para casa de mãos vazias. E vendo este milagre Pedro, ajoelhou-se aos pés de Jesus, e disse: "Senhor, afasta-se de mim, que sou um homem pecador." E Jesus respondeu: "Não tenha medo, de agora em diante você será pescador de homens." Depois deste milagre, eles, passaram seguir a Jesus e tornaram-se pescadores de homens.

Comentários:

* Jesus é mesmo maravilhoso! Ele sempre supre as nossas necessidades.
* Pedro não entendeu por que Jesus mandou ele pescar de novo, mas obedeceu.
* Devemos obedecer a Jesus mesmo quando não entendemos.
* Ser pescadores de homens significa falar sobre Jesus para as outras pessoas.
* Jesus quer que todos sejam pescadores de homens. 













Pesca Maravilhosa

 Alegoria das ferramentas!!! Amo demais esse texto, trabalhei com minha turma na primeira semana!!!



Alegoria das ferramentas! 

Contavam que em uma
 marcenariahouve uma estranha assembléia. Foi uma reunião onde as ferramentas se juntavam para acertar suas diferenças. 
Um martelo estava exercendo a presidência, mas os participantes exigiram que ele renunciasse. A causa? Fazia muito barulho, e além do mais passava todo o tempo golpeando.
O martelo aceitou sua culpa, mas pediu que também fosse expulso o parafuso, alegando que ele dava muitas voltas para conseguir algo. Diante do ataque, o parafuso concordou mas por sua vez pediu a expulsão da lixa. Observou que ela era muito áspera no tratamento com os demais entrando sempre em atritos.
A lixa acatou com a condição de que se expulsasse também o metro, que sempre media os outros segundo a sua medida como se fosse o único perfeito.
Nesse momento, entrou o marceneiro, juntou todas as ferramentas e iniciou o seu
 trabalho. Utilizou o martelo, a lixa, o metro, o parafuso. E a rústica madeira se converteu em belos móveis, úteis e funcionais.
Quando o marceneiro foi embora para casa, as ferramentas voltaram à discussão. Mas o serrote adiantou-se e disse:
_ Senhores hoje ficou provado que temos muitos defeitos, mas o marceneiro trabalha com nossas qualidades, ressaltando nossos pontos valiosos. Portanto, em vez de pensar em nossas fraquezas, devemos nos concentrar em nossos pontos positivos!
Então, a assembléia entendeu que o martelo era forte, o parafuso unia e dava força, a lixa era especial para limpar e afinar asperezas, o metro era preciso e exato.
Todos se sentiram como uma equipe , capaz de produzir com qualidade... E uma grande alegria tomo conta de todos pela
 oportunidade de trabalharem juntos!!

Obs:O avental em e v a com as ferramentas, encontrei no cantinho ludico da gre adorei!!!!
 




O melhor Presente





O MELHOR PRESENTETita e Bidu são amiguinhos e muito pobres. O Bidu tá sempre reclamando, sempre resmungando, já Tita vive alegre, sabe aceitar coisas simples e grandiosas. Tita fala de Jesus, o presente de Deus para nós.

Os personagens podem ser humanos ou bonecos(fantoches)

VERSÍCULO-CHAVE – 1 Tessalonicenses 5:18
Dêem graças em todas as circunstâncias, pois esta é a vontade de Deus para vocês em Cristo Jesus.
 
TITA: Que dia lindo!
BIDU: Olá, Titã, tudo bem?
TITA: Tudo, e com você?
BIDU: Comigo vai tudo mal!
TITA: Tudo mal?! Por que, Bidu?
BIDU: Hoje é o Dia das Crianças, e eu gostaria de ganhar um presentão, mas ganhei um presentinho.
TITA: Deixe de ser ingrato, você deve agradecer a Deus, porque você ganhou presente. Eu não ganhei nenhum e nem por isso estou reclamando.
BIDU: Sabe o que é, Titã, no ano passado teve um festão na minha rua e o dono da festa falou que quem colocasse o sapato na janela,ele iria colocar um presente. Então coloquei o sapato do meu pai
para ganhar um presentão e ganhei uma loção de barba!
TITA: Ah1 Ah! Ah! É por isso que você sempre se dá mal. Você enganou a si mesmo . Ah! Ah! Ah! Ora, Bidu, você não sabe agradecer, está sempre insatisfeito, reclamando de tudo e ainda por cima é egoísta.
BIDU: Egoísta, eeeuuuuu?!
TITA: É egoísta, egoísta mesmo. Está sempre pensando em você e não consegue pensar porque seus pais não puderam lhe dar um presente melhor. A minha mãe me deu um gostoso beijo e um abração.
BIDU: Só isso?
TITA: E eu acho melhor que tudo. E depois ela me falou de um presente que o pai de todo mundo quer nos dar. Ele é o melhor de todos.
BIDU: Oba! Como eu faço para encontrar esse pai de todo mundo e ganhar esse presente, hein?!
TITA: Você pode aceitar esse presente ou não.
BIDU: Ah! Então não deve ser bom, se fosse bom eu não precisaria recusar.
TITA: Bidu, tem muita gente que não quer, mas não sabe o que está perdendo!
BIDU: E o que elas podem estar perdendo?
TITA: A salvação!
BIDU: Salvação?
TITA: Vou explicar. Essa pessoa é o dono de tudo, de todo ouro, de toda prata e de toda espécie de pedras preciosas que existe na terra.
BIDU: Puxa! Então ele é muito rico e pode me dar um presente bem grande.
TITA: Você só pensa nisso, Bidu. As pessoas precisam pagar para nos dar um presente. Isso não significa ter o presente que quiserem. Mas aquela pessoa no dá um presente de graça, não precisa pagar.
BIDU: É mesmo?! E quem é essa pessoa? Quem é? Quem é?
TITA: É Jesus, e quando nós e aceitamos, reconhecemos que Ele é o nosso Salvador, e que só ele perdoa os nossos pecados. Então, ele passa a ser o nosso melhor presente.
BIDU: Ah! Eu não quero uma pessoa, Tita, eu quero um presente.
TITA: Mas é o nosso maior presente. Deus deu o seu único filho pra morrer por nós, para que fôssemos salvos. Ele está preparando um lugar no céu para os que quiserem aceitá-lo. O céu é um lugar especial, onde vamos vê-lo face a face, ficar pertinho dEle. Bidu, você daria o seu filho para morrer pelo mundo?
BIDU: Eu hein, Titã! Você ta doida?
TITA: Será que Jesus também deveria estar doido quando morreu na cruz por você, um menino egoísta e mau?
BIDU: Eeeuuuuu, você acha, é?
TITA: Acho!
BIDU: Sabe de uma coisa... (CHORA) você tem razão, eu não passo de um menino mau. O meu pai está desempregado, e ele faz um esforção para me dar esse presentinho com tanto carinho, e eu tão mau que sou ainda fiz malcriação. Coitadinhos dos meus pais! (CONTINUA CHORANDO) Eu nunca sei me conformar com o que podem me dar. Estou sempre deixando-os tristes. Sabe, Tita?
(CHORA)
TITA: O que é, Bidu?
BIDU: Eu não sou merecedor de entrar lá, naquele lindo lugar, e nem mereço nenhum presente!
TITA: Não é assim também, Bidu. Agora você está arrependido e sabe que Jesus pode perdoar os pecados. É só pedir perdão aos seus pais e a Deus, para que seus pecados sejam perdoados, e
Jesus será o seu melhor presente!
BIDU: Obrigada por ter me ensinado tudo isso e que Jesus é o nosso melhor presente.
TITA: Bidu, vou cantar uma canção para você. É assim:
Eu tenho um tesouro
Eu tenho sim
Eu tenho um tesouro
Dentro de mim
Esse tesouro tem muito valor
Esse tesouro é Jesus Cristo
Meu Salvador
TITA: Aprenderam, crianças? Então, se vocês acham que Jesus é o melhor presente, cantem também. (CONVIDÁ-LAS A CANTAR)
FIM.
 Peça do site VILMA-ENSINAR BRINCANDO

Teatro de Fantoches - Dia das crianças


















































Teatro de Fantoches "Achei a Felicidade"





  

BETO: Olá, Margarida! Não tenho visto você. 

MARGARIDA: Estava de castigo, não pude sair. 

BETO: De castigo? O que você andou aprontando Margarida? 

MARGARIDA: Eu não estudei para a prova e as minhas notas não foram boas. 

BETO: E quanto você tirou? 

MARGARIDA: Dez, sem o um na frente 

BETO: Dez?! Sem o um na frente? Então você tirou zero? 

MARGARIDA: Fala baixo, ninguém precisa saber. 

BETO: Margarida, seu pai tem razão. Você precisa estudar mais e brincar menos, senão vai ser pior. Voce não vai passar de ano. Cuidado, Margarida! 

MARGARIDA: É, eu já pensei nisso e me arrependi de não ter estudado. 

BETO: Margarida! 

MARGARIDA: O que é, Beto? 

BETO: Você viu? 

MARGARIDA: Você viu o quê, Beto? O quê? Fala logo! 

BETO: Você viu o circo que chegou na cidade? 

MARGARIDA: Eu não, mas escutei um barulho de bandas tocando. 

BETO: Foi o circo que chegou na cidade. 

MARGARIDA: Beto, escuta só! Você está escutando alguém chorando? (ALGUÉM CHORA POR TRÁS DO CENÁRIO) 

BETO: Estou, de onde vem este choro? Vamos ver? (BETO E MARGARIDA SE ABAIXAM, SAEM RAPIDAMENTE E ENTRA O PALHAÇO CHORANDO) 

PALHAÇO: Buá! Buá! Buá! (BETO E MARGARIDA FALAM JUNTOS: “UM PALHAÇO CHORANDO!”) 

BETO: Oh, seu palhaço! Por que você está chorando? 

MARGARIDA: Eu achava que palhaço não chorava, só fazia palhaçadas. 

BETO:
 O que houve? 

MARGARIDA: É, vamos! Fale, o que houve? Qual é o seu nome? 

PALHAÇO: Sabe o que é… eu consigo fazer todo mundo feliz, mas eu sou tão triste. Atrás desta máscara. eu escondo a minha Infelicidade. 

MARGARIDA: Acalme-se seu, seu.. 

PALHAÇO: Paçoca. meu nome é Paçoca, Todos me chamam assim. 

MARGARIDA: Acalme-se, Paçoca, nós estamos aqui e queremos ajudá-Io. 

BETO: Qual é o seu problema? 

PAÇOCA: Ninguém pode me ajudar, eu fui ao medico e ele me deu um bocado de remédios e não resolveu meu problema. Procurei um amigo, e todos estavam ocupados. Ninguém pode me ajudar! 

BETO: Por que você está doente? 

PAÇOCA: Não, não estou, tenho muita saúde 

MARGARIDA: Está precisando de dinheiro? 

PALHAÇO: Não, eu sou muito rico. 

BETO: Já sei é advogado! 

PAÇOCA: Não. Eu quero alegria e ninguém pode me dar nem ajudar. Se pelo menos eu pudesse comprar, mas nem isso posso. 

BETO E MARGARIDA: Ah! Então é fácil 

PAÇOCA:
 Fácil, como fácil? Vocês sabem de alguma solução? 

BETO: Puxa, eu estava pensando que fosse um problema grave. 

PAÇOCA: É grave, pois faço as pessoas sorrirem, se divertirem e no entanto, por trás da minha máscara, sou tão infeliz.
 
BETO: É fácil, Paçoca, você só precisa conhecer uma pessoa muito especial que se chama Jesus. 

PAÇOCA: Jesus! 

MARGARIDA: É, Jesus! Ele é o Príncipe da Paz, é a alegria que você tanto procura. Ele é o nosso Salvador! Vou cantar uma música para você. Escuta só, Beto, Vamos cantar aquele carinho que fala assim. 
Cristo é realidade Cristo é realidade Ele não é sonho “: Ele é real 
Ele é a paz, a alegria, 
O amor, Ele é a vitória (bis) Estou falando de Jesus Cristo


PAÇOCA: Que lindo! E isso que eu preciso! Como posso vê-lo? Como posso falar com Ele? 


BETO: Agora você não pode ver, porque Ele é Espírito, “. mas voce pode falar com Ele, pois nos ouve, e tudo pode fazer por você. 


MARGARIDA: A Palavra de Deus fala assim em João .14.1: “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus”, .e em João 14.14 nos diz: “Se pedirdes alguma coisa .em meu nome eu o farei”. 


BETO: Sabe, Paçoca, Ele é como o vento. A gente não pode ver o vento, mas pode sentir. 

MARGARIDA: Quando deixamos Jesus tomar conta de nossas vidas, Ele cuida de nós, nos livra do perigo e nos dá a paz que tanto precisamos. 

BETO: Paçoca faz uma experiência com Jesus. Passe a conversar com Ele e fale pra Jesus onde é a sua dor. Ele é o Médico dos médicos, o nosso advogado e o nosso melhor amigo. Nunca nos desampara e nunca está ocupado. 

MARGARIDA: Jesus ama você, Paçoca, e quer lhe dar a paz que tanto precisa. Deixa Ele tomar conta de você? 

PAÇOCA: Eu deixo, eu deixo! 

BETO: Então, abaixe sua cabeça, peça perdão por seus pecados e que Jesus tome conta de você. 

PAÇOCA: Tá bom! (OS TRÊS ABAIXAM A CABEÇA E FAZEM DE CONTA QUE ORAM) 
PAÇOCA: Puxa! Estou me sentindo bem, parece que alguma coisa me modificou. Estou sentindo uma paz… Estou alegre. 

BETO: Que bom! Você encontrou a felicidade. 

MARGARIDA: Paçoca, vou lhe dar esta Bíblia. Ela vai ensinar a você como chegar ao céu e ver Jesus face a face. 

BETO: Leia com atenção, pois aí tem resposta para tudo que você quiser. 

PAÇOCA: Obrigado, meus amigos! Eu encontrei a felicidade que tanto precisava. Vou ler a Bíblia agora mesmo. Tchau! Até breve! 
Margarida e Beto cantam:
A alegria está no coração, De quem já conhece a Jesus 
A verdadeira paz só tem aquele Que já conhece a Jesus 
O sentimento mais precioso Que vem do nosso Senhor É o amor que só tem 
Quem já conhece a Jesus


AS QUATRO SEMENTINHAS





BOM PARA O DIA DAS CRIANÇAS

Um caipira saiu a semear...
É uma versão da parábola do semeador(Lucas 8 de 4 a 15), contada para crianças, interpretada por crianças...

SEMEADOR: “que bão dia para samiá umas semente! ispero que elas brote e dê muitos fruto! Pena que num depende de mim o seu crescimento , mas minha parte eu tô fazeno (olha pro chão, perto do saco de sementes) _uai, sô! O saco deve tê rasgado e caiu quatro sementinha aqui no chão (abaixa-se e as pega) _vão sê as primeira a sê samiada.... (sai em seguida)


NARRADOR: Então o semeador passou o dia inteiro semeando todas as sementes que havia colocado em sua sacola... estava um dia maravilhoso e ele trabalhava com muita vontade e alegria... 
Haviam passarinhos cantando bem alto nos pés de eucalipto, o sol iluminava de um dourado maravilhoso o milharal do sitio vizinho, que era cercado por umas plantas espinhosas, mas apesar do perigo dos espinhos, até que era uma cerca muito bonita que se estendia até umas pedreiras lá no alto do morro... o semeador trabalhou duro, mas nunca deixava o sorriso sair do seu rosto, pois aquela era sua vida... 
No fim da tarde, quando o sol já estava se despedindo, o semeador volta para sua casa, feliz por mais um dia de trabalho...agora era só esperar as sementinhas germinarem...


SEMENTINHA 1: Acho que caí de mal jeito...ai, minhas costas..parece que fui pisada...preciso chegar naquela terrinha ali..não vejo a hora de nascer!!


CORVO: Hum...olá sementinha...


SEMENTINHA 1: Quem é você?


CORVO: Eu??? Sou um corvo.


SEMENTINHA 1: Corvo? O que é um corvo?


CORVO: Eu sou uma ave... Sabe o que nós aves mais gostamos de fazer?

SEMENTINHA 1: Não... Nunca conversei com ninguém, que não fosse semente.


CORVO: Gostamos de engolir sementes apetitosas e gordinhas como 

você....uahh!!

SEMENTINHA 1: Socorro!!! Alguém me ajude!!!

o corvo a ataca...

SEMENTINHA 2: Ai , que alegria! Estou germinando! Vejam minha raiz aparecendo, logo, logo darei muitos, frutos para alegria de todos! lá-lá-lá-lá....

o sol aparece

SEMENTINHA 2: Puxa vida, que calorão!!!

SOL: É verdade, sementinha... Hoje nem eu estou me aguentando...ufa!!

SEMENTINHA 2: Será que não dá pro senhor ir mais pra lá, não? Eu estou ficando desidrata!

SOL: É uma pena... Fui criado para não sair daqui... Não posso fazer nada... Só vai melhorar lá pelas cinco e meia da tarde...


SEMENTINHA 2: Mas seu sol, não tô aguentando... Preciso de água senão vou morrer! Alguém me ajude! Água, água!!! Água!!! Cof!!! Cof!!! Água!!!

SOL: Sinto muito, mas quando me emociono, esquento ainda mais...buá – tadinha da sementinha...


SEMENTINHA 2: Água...á-g-u-a...á... ( se encolhe e fecha os olhos) adeus, estou morrendo...

o sol continua chorando


SEMENTINHA 3: Aqui estou eu! Já estou crescendo, vejam que bom lugar eu estou, protegida do corvo que comeu a minha amiga e protegida do sol que secou a outra sementinha...coitadinhas...ainda bem que me dei bem...

ESPINHEIRO: Com licença, ô sementinha...


SEMENTINHA 3: Pois não, espinheiro...quer dizer alguma coisa?


ESPINHEIRO: Sabe o que é? Essa terra já tem dono..os espinheiros já vivem aqui por muito tempo, não sei se você vai conseguir viver no meio de tantos espinhos, não...

SEMENTINHA 3: Ué, por que você tá dizendo isso agora? Nós crescemos juntos...

ESPINHEIRO: é, mas as plantas da minha família crescem mais rápido e jogamos nossos braços por todo lado e sinto que vou crescer mais... (começa a levantar devagar e abraça a sementinha).


SEMENTINHA 3: Tire essas mãos espinhentas de cima de mim!! Eu quero crescer!!!

ESPINHEIRO: Não posso, faz parte da minha natureza enrolar em qualquer coisa!

SEMENTINHA 3: Me solta!!! Socorro!! Você está me sufocando! Cof! Cof! Aiii!!! Cof! Cof!

ESPINHEIRO: Sinto muito, sementinha, não posso fazer nada!
(a sementinha morre nos braços do espinheiro)

ESPINHEIRO: Eu tentei avisar... Essa terra só dá espinhos...

árvore entra


SEMEADOR: Mas que belezura de arve, meu Deus...óia só quanta fruta nela! é já tá na hora de coiê o que eu prantei...bem dispos eu faço isso..agora vô discansá um poco imbaixo dessa sombrinha...

ÁRVORE: Olha só como estou linda! Eu também era uma sementinha, mas tive tudo a meu favor. Cresci em terra boa... Não fui comida pelos pássaros, não fui pisada... Tive sol na medida certa... Não fui jogada no meio das pedras e nem no meio dos espinhos... Aí vieram as chuvas e aqui estou eu! Firme! Forte! Feliz e alegre!


NARRADOR: “ e os seus discípulos o interrogaram, dizendo: Que parábola é esta?
Respondeu-lhes jesus:
A vós outros é dado conhecer os mistérios do reino de Deus; aos demais, fala-se por parábolas, para que, vendo, não vejam; e , ouvindo, não entendam.
Este é o sentido da parábola: A semente é a palavra de Deus;
A que caiu a beira do caminho são os que a ouviram; Vem, a seguir, o diabo e arrebata-lhes do coração a palavra, para não suceder que, crendo, sejam salvos...
A que caiu sobre a pedra, são os que, ouvindo a palavra, a recebem com alegria; estes não tem raiz, creem apenas por algum tempo e, na hora da provação, se desviam...
A que caiu entre espinhos são os que ouviram e, no decorrer dos dias, foram sufocados com os cuidados, riquezas e deleites da vida; os seus frutos não chegam a amadurecer...
A que caiu na boa terra são os que, tendo ouvido de bom e reto coração, retêm a palavra; estes frutificam com perseverança...

FONTE:


WEB -http://www.teatrocristao.net



Vai ter com a Formiga





Objetivos:  Após o culto a criança deverá ser capaz de:

·         Entender que não podemos ser preguiçosos.
·         Aprender a cumprirem as tarefas que podem realizar.

Quebra-gelo: Colocando as anteninhas na formiga

Material: 02 cópias da formiga. 
 2 Lenços ou panos pra vendar os olhos.
 2 Lápis.

Dividir as crianças em dois grupos. Cada grupo escolhe um representante ao que se vendarão os olhos. As folhas serão fixadas na parede. Os dois ao sinal do líder deverão, de olhos vendados e com lápis em mãos, tentar colocar as 2 anteninhas na cabeça da sua formiga. Os integrantes do grupo podem orientar com palavras o lugar correto de fazer as antenas. Ganha o grupo que conseguir colocar as anteninhas no lugar correto em menos tempo.

Após o quebra gelo explicar que hoje estaremos mostrando que a Bíblia nos ensina a aprender com as formiguinhas. Faça a leitura do tema do culto no painel que estará no centro da sala.





Para a mensagem uma professora  caracterizou-se  de formiguinha, e montamos um lindo cenário de formiguiero. As crianças ficaram numa empolgação só!
MENSAGEM: 
 Preparação: Antes da classe começar faça uma trilha começando do lado de fora da sala, pelo corredor. Corte pedacinhos de papel e vá deixando cair no chão, formando a trilha. No final da trilha – que vai dar num cantinho da sala – esconda pedacinhos de papel com uma palavra cada um, formando a frase: Podemos fazer nosso trabalho sem que ninguém precise mandar. Escreva uma palavra em cada papelzinho – dobre. .

Você alguma vez já parou para ver uma colônia de formigas no formigueiro?

O que vc viu?
(Deixe as crianças comentarem suas impressões...)

Você provavelmente viu as formigas indo e vindo nas mais diferentes direções, entrando e saindo do formigueiro, carregando partes de bichinhos, sementes, folhas e outras coisas, carregando também pedrinhas e pedacinhos de plantas. Todas as formigas parecem estar bem ocupadas fazendo alguma coisa, não é mesmo?
 

Você alguma vez viu alguma formiga sentadinha, assitindo as outras formigas trabalharem?
 
Você alguma vez viu uma formiga sentada lá, sem fazer nada, esperando que outra formiga lhe diga o que fazer?
Não! Todo formigueiro tem uma Formiga Rainha, mas ela não precisa dizer a ninguém o que deve ser feito. Ela não organiza nada, nem tem que ficar toda hora mandando fazer isso ou aquilo.
Ela é muito ocupada passando o dia todo botando ovos e mais ovos. Esse é o trabalho dela.

Todas as formigas do formigueiro tem um trabalho a fazer. Existem muitas tarefas para serem feitas num formigueiro. Algumas formigas são responsáveis por cuidar das larvas ou dos bebês formigas. 

O formigueiro tem que ser mantido limpo e em ordem.
Novos "quartos" precisam ser construídos, pois o formigueiro está sempre crescendo.
O formigueiro precisa de proteção.
Algumas formigas são encarregadas de ir lá fora encontrar mais comida e trazer para dentro do ninho.
Todas as formigas tem um trabalho a fazer, e elas fazem direitinho!
Elas não ficam preocupadas com quem está fazendo o quê, ou quão difícil é o seu trabalho.
Elas veem alguma coisa que precisa ser feita e elas fazem!

Elas não precisam de alguém pra dizer que está na hora de ir pro trabalho, ou para lembrar o que é que precisa ser feito. Elas apenas fazem o que é preciso para manter o formigueiro ativo.
 
O que aconteceria se as formigas não fizessem isso? Elas provavelmente não conseguiriam sobreviver.
O que aconteceria se uma formiguinha visse algum lixo jogado no chão do formigueiro e dissesse para si mesma:-"Não fui eu quem jogou esse lixo ali... então eu não tenho que pegar esse lixo. Não fui eu quem fez essa bagunça, então não sou eu quem vai limpar!"
O formigueiro rapidamente se tornaria entulhado de lixo, não é mesmo? Que bagunça seria!!

Deus fez as formigas.
 
Ele deu a cada uma um trabalho e elas fazem seu trabalho.
Elas não precisam de alguém dizendo o tempo todo a elas o que é preciso fazer. Elas fazem!
 

Você sabia que a Bíblia fala que podemos aprender algo com essas formiguinhas?
 
Exatamente! (abra sua Bíblia e leia).
Em Provérbios 6.6 está escrito: - "Vai ter com a formiga, ó preguiçoso, considera os seus caminhos e sê sábio." 

Agora nós vamos descobrir o que as formigas podem nos ensinar e como podemos nos tornar sábios.
 

(Escreva no quadro 
O QUE PODEMOSAPRENDER COM AS FORMIGAS?)
Uma formigunha passou aqui pela sala e deixou uma trilha que vai mostrar a resposta para essa pergunta...
(Mostre para as crianças o começo da trilha)
Deixe que uma criança de cada vez percorra a trilha até o final e traga um dos papéis que vc ali colou. Enquanto uma criança faz a trilha faça com que as outras tentem descobrir a frase juntando os papéis que já foram encontrados.
Você também pode perguntar o que elas acham que podemos aprender com as formigas. Continue até que todas as palavrinhas tenham sido achadas e, assim, todos vejam a resposta..

Formigas não tem ninguem que as guie e diga o que precisam fazer.
 
Elas não tem alguem vigiando para se certificar de que estão realmente fazendo seu trabalho.
Elas sabem exatamente o que tem de fazer e fazem.
Elas não precisam de ter alguem em cima para saber se estão fazendo tudo certo.

A Bíblia nos diz que deveríamos ser mais parecidos com as formigas.
 
Quando a gente vê alguma coisa que precisa ser feita, a gente deveria fazer.
Não deveríamos ter que esperar que alguém viesse nos dizer o que fazer.
Se você vê um lápis no chão, você deveria pegá-lo. Você sabe que o chão não é lugar para deixar um lápis. Ele pode ser pisado, estragado, partido. Mesmos que o lápis não fosse seu e você nem fosse usá-lo, você deveria pegá-lo do chão porque ali não é o lugar dele.
Você não precisa esperar que a sua professora diga para você pegá-lo.
Você pode ser sábio e decidir por si mesmo que isso é a coisa certa a fazer.

Quantos de vocês tem tarefas para fazer em casa?
 
Que tipo de tarefinhas vocês tem que fazer?
(deixe cada um responder)
 
Você fica esperando até que sua mãe ou seu pai te mande fazer suas tarefas, ou você faz porque você sabe que tem um trabalho para fazer?
Seus pais não deveriam ficar te dizendo todo dia o que você tem de fazer.
Você deveria se esforçar para lembrar o que tem para fazer, e fazer sem que niguém precise ficar mandando ou te lembrando.
Quanto mais você vai crescendo, ficando mais velho, mais tarefas e responsabilidades você terá na vida.
Seus pais não podem ficar para sempre te lembrando de tudo o que você tem de fazer.
Uma criança sábia
 irá se esforçar para se lembrar de todas suas tarefas.

Você pode pensar em algumas coisas que você pode fazer sozinho, sem depender do papai ou da mamãe ficar te cobrando? 
(Deixe que as crianças respondam)
Aqui estão alguns exemplos:
 
Arrumar a cama - escovar os dentes - pentear os cabelos - guardar os brinquedos depois de brincar - tirar a louça da mesa depois das refeições - deixar o quarto arrumado - fazer o dever de casa - estudar para a prova, etc.
Quando você faz essas coisas sem precisar ser mandado, você está se tornando sábio como a formiga.

Quais são alguns dos trabalhos que Jesus quer que nós façamos?
 
Mostrar às pessoas que nós nos importamos - ouvir os outros - tratar bem as pessoas - ser amável - obedecer nossos pais - compartilhar nossa fé e falar das Boas Novas da Salvação - convidar um amiguinho para vir à igreja - não correr pela igreja - prestar atenção no culto sem conversas ou andanças - manter nossa sala e a igreja limpas e arrumadas, etc.

Será que precisamos ficar esperando que alguém nos venha falar todas essas coisas?
 
Não, se formos sábios faremos tudo isso porque já sabemos que essas coisas precisam ser feitas.





familia garrafa

* História _ A Família da garrafa

                           A FAMÍLIA GARRRAFA


Apresentação para a classe de sua igreja... (amei!!!)
Arranje cinco garrafas de tamanhos diferentes, preferivelmente de vidro transparente, procurando aproximar os tipos de garrafas com os membros da “família”. Leia a estória antes de caracterizar os “personagens”.

1. Papai Garrafa
Arranje uma garrafa de boa altura, fina, em cujo gargalo se colocará uma moeda ou nota meio enrolada.

2. Mamãe Garrafa
Pode ser bojuda, não muito alta, podendo ter como tampa uma panela de brinquedo ou qualquer outro objeto doméstico.

3. Florinda Garrafa
Será ideal ser representada por uma garrafa de vidro trabalhado, não muito alta, sendo colocada no alto uma flor ou um ramalhete de flores.

4. Rosa Garrafinha
De pouca altura e pequeno diâmetro, lembrando uma “menina”. Como tampa, poderá servir um carretel (ou retrós) de da linha.

5. Zezé Garrafa Bolão
Deve ser de pouca altura, tendo como “cabeça” uma bola de plástico ou borracha.

As garrafas devem estar vazias; uma boa quantidade d’água deve estar à disposição do narrador, que deverá usá-la para encher as garrafas no momento propício.
Começa-se então, a estória, apresentando-se cada membro da família Garrafa.

Aqui está Papai Garrafa, alto, magro, sempre preocupado com os negócios. Trabalha muito – de manhã à noite – e se preocupa só em ganhar dinheiro. Os propósitos da sua vida estão resumidos em dinheiro. Podemos vê-lo ao chegar em casa à noite, cansado e nervoso. Já vem gritando com todos, sem pensar que mamãe Garrafa e os filhos também tiveram os seus afazeres e contrariedades. Negócios, dinheiro – dinheiro, negócios – esta é a única preocupação de papai Garrafa.

Olhemos agora para Mamãe Garrafa. Que vida atarefada! Cuida dos filhos, cozinha, varre e limpa a casa; não tem o mínimo de sossego durante o dia; sua maior preocupação é manter tudo na maior ordem e o mais perfeito possível; e por isso mesmo vive correndo de lá para cá; sua vida é uma roda-viva entre as coisas materiais.

E aqui está sua filha mais velha – Florinda Garrafa. Que já é uma mocinha. Os seus pensamentos são leves como uma pluma e está sempre com roupas bonitas e enfeites atraentes. Com isto a sua cabecinha está cheia, não dando lugar a estudos e coisas mais sérias. Sonha bastante, lê romance, assiste novelas, e então, dá asas a sua imaginação. Não tem senso de responsabilidade; por exemplo, não sente que Mamãe Garrafa talvez esteja cansada e precisa de alguma ajuda. Florida não pode estragar o seu penteado, suas unhas, sua “toilette”.

E aqui está Rosa Garrafinha, menina de dez anos. É meiga, boazinha, estudiosa, alcançando sempre boas notas na escola. Gosta de costurar para suas “filhas” – as bonecas, e assim vive despreocupada com outros assuntos. É quieta e procura não atrapalhar os outros, mas pensa só em si,esquecendo-se que já é grande e pode ser de muito auxílio para o próximo.

Por último vem Zezé Garrafa Bolão. É um menino de sete para oito anos. É o valentão do lugar. Comanda todos os garotos, e muitas janelas já foram quebradas por causa da sua mania por futebol. Não tem consideração pelas coisas de casa, não procura poupar a Mamãe com todo o seu serviço. Geralmente está com a camisa suja ou rasgada, os sapatos cheios de lama, os cabelos em desalinho.

Toda a vizinhança conhece a família Garrafa tal qual a temos descrito. Um certo dia, porém, algo aconteceu para que tudo se transformasse. Uma pequena influiu para que todos os membros da família se tornasse completamente diferentes. Veja o que aconteceu:

Convidada por uma amiguinha, Rosa Garrafinha foi a uma aula bíblica. Lá teve a oportunidade de ouvir de Alguém chamado Jesus Cristo. Ouviu que Ele é o Filho de Deus, deixou Seu lar no Céu e veio aqui à terra para encher vidas vazias com a Água da Vida. Todos os corações, de crianças e adultos, são secos e sedentos por causa do pecado. Mas Jesus levou nossos pecados sobre si na cruz, tomando o castigo que merecíamos. Morreu, mas ao terceiro dia ressuscitou e está vivo, no Céu. Por isso, Ele agora pode nos oferecer de graça esta água preciosa.

– Rosinha pensou: “É justamente isso que eu preciso!” Com um coração sincero e humilde voltou-se para Cristo, o Salvador (vá despejando água na garrafinha), e sua vida foi transformada... em um instantinho! De vazia, sem vida, Rosa Garrafinha sentiu a Graça de Deus enchendo a sua alma em toda a sua plenitude. A costura, seu egoísmo de fazer somente o que lhe agradava – tudo isso desapareceu; e o Mestre, amigo das crianças, encheu a sua vida.

Rosa Garrafinha voltou correndo para casa.
- Mamãe – disse com o rosto todo iluminado – adivinha só o que aconteceu comigo!

Mamãe Garrafa preparava apressadamente o jantar e nem quis prestar atenção para o que sua filha lhe dizia. Rosa, porém, continuou a seu lado, contando-lhe com alegria transbordante o que lhe acontecera.

Mamãe sentou-se. Impressionada com o testemunho de Rosinha, ouviu atentamente todas as experiências que havia tido naquela tarde e, meditando sobre a sua própria vida, sentiu-se também só, sem alegrias e necessitada de Alguém que a amparasse e tomasse conta de todo o seu ser. Lembrou-se do tempo de criança e de como havia aprendido a louva-LO; agora ali estava, arrependida de ter vivido longe dos caminhos de Deus, sem vida e sem a Água essencial à alma.

Mamãe Garrafa então orou com a filha, ali mesmo na cozinha (coloque água na mamãe enquanto apresenta). Dali a instantes, era outra a atmosfera daquele lar. Até as panelas pareciam cantar junto com Mamãe e Rosa Garrafinha.

Esta auxiliou a mãe no preparo do jantar e logo tudo estava pronto.

Sete horas da noite. Chega Papai Garrafa, cansado e nervoso, pronto a responder de mau humor a quem lhe dirigir a palavra. Mas... que diferença! A mesa posta, a cozinha arrumada, Rosa em um vestido limpo e bem penteada. Mamãe com um rosto alegre e bem arrumada:

- Pronto, papai, aqui estão os seus chinelos e o jornal da tarde – disse-lhe a menina com um sorriso que o desarmou completamente.

Logo depois chega Florinda Garrafa, no momento em que a família se dirigia para a sala de jantar. Estranhou o ambiente – a calma, o sorriso nos lábios de todos – porém nada disse. “Que teria acontecido?” Pensavam papai e Florinda, muito desconfiados. Já na hora da sobremesa, aparece o Zezé Garrafa Bolão fazendo barulho, falando alto, mas... ao avistar na sala os pais e irmãs tão diferentes, ficou desarmado para continuar com sua atitude costumeira. Foi bem depressa para o quarto, aprontou-se o mais rápido possível e desceu para jantar.

Acabada a refeição, Papai não agüentou mais de curiosidade e, juntamente com Florinda e Zezé, procurou saber o que havia sucedido.

Mamãe então contou sua experiência daquela tarde. Rosa narrou também tudo quanto havia se passado com ela. Papai, Florinda e Zezé prestavam tanta atenção que pareciam querer engolir as palavras que escutavam. Depois papai (vá despejando água no Papai) com toda seriedade expôs o desejo que surgira em seu coração de se voltar para Deus, deixa tudo quanto até aquele momento havia sido a coisa essencial de sua vida.

Florinda, também, com lágrimas nos olhos reconheceu ter sido superficial, egoísta, orgulhosa (Despeje água na Florinda). Agora queria ser diferente pela graça divina.

Zezé Garrafa Bolão ouviu tudo atentamente. Uma tremenda luta se travava no seu íntimo. Queria deixar Aquele Amigo e Salvador entrar em seu coração (derramar devagar um pouco de água em cima da bola), e por outro lado, outra força procurava persuadi-lo a conservar tudo quanto mais estimava – os jogos, o futebol, a BOLA.

Papai se rendeu; Cristo saciou sua sede espiritual com Água da Vida. Florinda, resolvida a abandonar todas as coisas passadas abriu seu coração para que o Salvador lhe desse também daquela Água. Por fim, Zezé Garrafa Bolão, com fé tão simples de uma criança, confessou sua firme decisão (retire a bola e despeje água em Zezé Bolão) de receber de igual modo a Água da Vida Eterna.

Cristo entrou naquele lar, e a noite foi memorável para toda a família Garrafa. Todos juntos se ajoelharam e oraram, e pela graça divina aquelas vidas foram plenamente cheias da Água cuja “Fonte salta para a Vida Eterna”.

Esta é apenas uma estória extraída da imaginação de um ser humano, mas a verdade nela revelada é a de que pelo poder de Cristo Jesus podemos saciar nossas almas sedentas, porque Ele afirma: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba” (João 7.37b).
A LUVA LULU













VERSÍCULO: "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que enviou o seu filho unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna" Jo 3:16

FIGURAS:














ACHEI A FELICIDADE

BETO: Olá, Margarida! Não tenho visto você.
MARGARIDA: Estava de castigo, não pude sair.
BETO: De castigo? O que você andou aprontando Margarida?
MARGARIDA: Eu não estudei para a prova e as minhas notas não foram boas.
BETO: E quanto você tirou?
MARGARIDA: Dez, sem o um na frente
BETO: Dez?! Sem o um na frente? Então você tirou zero?
MARGARIDA: Fala baixo, ninguém precisa saber.
BETO: Margarida, seu pai tem razão. Você precisa estudar mais e brincar menos, senão vai ser pior. Voce não vai passar de ano. Cuidado, Margarida!
MARGARIDA: É, eu já pensei nisso e me arrependi de não ter estudado.
BETO: Margarida!
MARGARIDA: O que é, Beto?
BETO: Você viu?
MARGARIDA: Você viu o quê, Beto? O quê? Fala logo!
BETO: Você viu o circo que chegou na cidade?
MARGARIDA: Eu não, mas escutei um barulho de bandas tocando.
BETO: Foi o circo que chegou na cidade.

MARGARIDA: Beto, escuta só! Você está escutando alguém chorando? (ALGUÉM CHORA POR TRÁS DO CENÁRIO)
BETO: Estou, de onde vem este choro? Vamos ver? (BETO E MARGARIDA SE ABAIXAM, SAEM RAPIDAMENTE E ENTRA O PALHAÇO CHORANDO)
PALHAÇO: Buá! Buá! Buá! (BETO E MARGARIDA FALAM JUNTOS: "UM PALHAÇO CHORANDO!")

BETO: Oh, seu palhaço! Por que você está chorando?
MARGARIDA: Eu achava que palhaço não chorava, só fazia palhaçadas.
BETO: O que houve?
MARGARIDA: É, vamos! Fale, o que houve? Qual é o seu nome?
PALHAÇO: Sabe o que é... eu consigo fazer todo mundo feliz, mas eu sou tão triste. Atrás desta máscara. eu escondo a minha Infelicidade.
MARGARIDA: Acalme-se seu, seu..
PALHAÇO: Paçoca. meu nome é Paçoca, Todos me chamam assim.
MARGARIDA: Acalme-se, Paçoca, nós estamos aqui e queremos ajudá-Io.
BETO: Qual é o seu problema?
PAÇOCA: Ninguém pode me ajudar, eu fui ao medico e ele me deu um bocado de remédios e não resolveu meu problema. Procurei um amigo, e todos estavam ocupados. Ninguém pode me ajudar!
BETO: Por que você está doente?
PAÇOCA: Não, não estou, tenho muita saúde
MARGARIDA: Está precisando de dinheiro?
PALHAÇO: Não, eu sou muito rico.
BETO: Já sei é advogado!
PAÇOCA: Não. Eu quero alegria e ninguém pode me dar nem ajudar. Se pelo menos eu pudesse comprar, mas nem isso posso.

BETO E MARGARIDA: Ah! Então é fácil
PAÇOCA: Fácil, como fácil? Vocês sabem de alguma solução?
BETO: Puxa, eu estava pensando que fosse um problema grave.
PAÇOCA: É grave, pois faço as pessoas sorrirem, se divertirem e no entanto, por trás da minha máscara, sou tão infeliz.
BETO: É fácil, Paçoca, você só precisa conhecer uma pessoa muito especial que se chama Jesus.
PAÇOCA: Jesus!
MARGARIDA: É, Jesus! Ele é o Príncipe da Paz, é a alegria que você tanto procura. Ele é o nosso Salvador! Vou cantar uma música para você. Escuta só, Beto, Vamos cantar aquele carinho que fala assim.
Cristo é realidade Cristo é realidade Ele não é sonho ": Ele é real
Ele é a paz, alegria,
amor,  Ele é a vitória (bis) Estou falando de Jesus Cristo

PAÇOCA: Que lindo! E isso que eu preciso! Como posso vê-lo? Como posso falar com Ele?
BETO: Agora você não pode ver, porque Ele é Espírito, ". mas voce pode falar com Ele, pois nos ouve, e tudo pode fazer por você.
MARGARIDA: A Palavra de Deus fala assim em João .14.1: "Não se turbe o vosso coração; credes em Deus", .e em João 14.14 nos diz: "Se pedirdes alguma coisa .em meu nome eu o farei".
BETO: Sabe, Paçoca, Ele é como o vento. A gente não pode ver o vento, mas pode sentir.
MARGARIDA: Quando deixamos Jesus tomar conta de nossas vidas, Ele cuida de nós, nos livra do perigo e nos dá a paz que tanto precisamos.
BETO: Paçoca faz uma experiência com Jesus. Passe a conversar com Ele e fale pra Jesus onde é a sua dor. Ele é o Médico dos médicos, o nosso advogado e o nosso melhor amigo. Nunca nos desampara e nunca está ocupado.
MARGARIDA: Jesus ama você, Paçoca, e quer lhe dar a paz que tanto precisa. Deixa Ele tomar conta de você?
PAÇOCA: Eu deixo, eu deixo!

BETO: Então, abaixe sua cabeça, peça perdão por seus pecados e que Jesus tome conta de você.
PAÇOCA: Tá bom! (OS TRÊS ABAIXAM A CABEÇA E FAZEM DE CONTA QUE ORAM)
PAÇOCA: Puxa! Estou me sentindo bem, parece que alguma coisa me modificou. Estou sentindo uma paz... Estou alegre.
BETO: Que bom! Você encontrou a felicidade.
MARGARIDA: Paçoca, vou lhe dar esta Bíblia. Ela vai ensinar a você como chegar ao céu e ver Jesus face a face.
BETO: Leia com atenção, pois aí tem resposta para tudo que você quiser.
PAÇOCA: Obrigado, meus amigos! Eu encontrei a felicidade que tanto precisava. Vou ler a Bíblia agora mesmo. Tchau! Até breve!

Margarida e Beto cantam:

A alegria está no coração, De quem já conhece Jesus
A verdadeira paz só tem aquele Que já conhece Jesus
sentimento mais precioso Que vem do nosso Senhor É amor que só tem 

VERSÍCULO: "Não se turbe o vosso coração, credes em Deus". Jo 14:1
ÁGUIAS OU GALINHAS?


FIGURA 1
Rodrigo e Ana gostavam de passar férias no campo, na casa do avô João e da avó Luisa. Brincavam todo o dia, corriam, nadavam e ajudavam nas tarefas do campo.


FIGURA 2
Pelas noites, os avós liam com eles porções da Palavra de Deus. Cantavam e oravam juntos. Essa noite, tinham meditado no Pai Nosso, com ênfase na frase final: “Porque Teu e o reino, o poder e a glória, por sempre…”
-Devemos estar preparados para o retorno do nosso poderoso Rei!- repetia sempre a avó.


FIGURA 3
Os meninos ficaram curiosos com o que a avó tinha dito. Mas na manhã seguinte tinham esquecido o assunto. As crianças brincavam entretidas quando chegou o avô com algo nas mãos:
-“Olhem crianças, Olhem o que achei no quintal!”
Era um pintinho de algum pássaro diferente! Mas, que diferente era!


FIGURA 4
O avô o levou ao galinheiro. Os pintinhos, patos, gansos, peru… todos começaram a gritar e a correr daqui pra acolá, apavorados e gritando. Era uma bagunça!


FIGURA 5
Dona galinha muito seria o inspeciono, primeiro com um olho e depois com o outro. O pintinho era muito estranho, e tremia da cabeça aos pés. No final a galinha abriu as suas assas e o cobriu. Os pintinhos se aproximaram para examinar o novo maninho.


FIGURA 6
Os dias passaram e os pintinhos cresceram e o pintinho estranho também. Ele era muito diferente de todos! Tinha assas enormes! Voava de um canto ao outro. Todos os outros integrantes do galinheiro tentavam imitá-lo mais não conseguiam.


FIGURA 7
Rodrigo e Anita acompanhavam o crescimento deste pássaro com muita curiosidade. E perguntavam. –“Vovô, que pássaro e este?” O avô João respondia misteriosamente: “Um dia saberão!”


FIGURA 8
Um dia aconteceu algo… Rodrigo e Ana estavam juntando frutas quando ouviram um som. Parecia um chamado desde muito longe. –”Esta vindo lá de cima! Olha! O que será isso? ” -O som ia se aproximando, se ouvia mais perto a cada momento.
Por fim conseguiram ver! La encima no céu, voava um enorme pássaro. Ele voava em círculos sobre o galinheiro enquanto repetia sem parar o seu chamado. –Avô! Avó! Venham correndo, rápido…


FIGURA 9
Então aconteceu algo maravilhoso. O pássaro estranho estendeu suas assas e começou a se elevar. Passou pela tela de arame do galinheiro. Voou sobre os telhados da casa, voou até que se uniu com aquele majestoso pássaro nas alturas!
Era uma águia! O nosso pássaro estranho era uma águia!-gritavam as crianças.
Os moradores do galinheiro estavam alvoroçados. Os pintinhos pulavam e sacudiam as assas tentando voar sem êxito. As galinhas e os galos cocoricavam. Os gansos grasnavam. Os cachorros latiam. Os canários assoviavam descontrolados…


FIGURA 10
Passados uns minutos a calma foi voltando na chácara. Os avós e as crianças se sentaram na varanda.
-Sabem crianças?- disse o vovô. Um dia acontecerá com a gente algo parecido…
– É verdade!- Afirmou a avó. Um dia Jesus nosso Rei voltará nas nuvens e nos chamará como a águia…
  

FIGURA 11
Quando alguns ouvirem o chamado, irão com Ele, como aquele filhote de águia. Mas outros ficarão como aquelas galinhas.
-Eu não sei se serei águia ou galinha quando Jesus vier!- disse Rodrigo muito pensativo e visivelmente preocupado.
– Nem eu! -disse Ana com os olhinhos cheios de lágrimas.


FIGURA 12
Filhinhos –disse o vovô- somente os que receberam Jesus no seu coração têm a vida eterna e poderão voar em direção a Ele quando forem chamados. Aqueles que não recebem Jesus nos seus corações são somente galinhas… ficarão aqui quando Jesus vier. Não poderão ir com Ele ainda que tentem.
-Eu quero ser águia! –gritaram Rodrigo e Ana levantando a mão com entusiasmo.


FIGURA 13
Ali mesmo falaram com Deus:
-Senhor Jesus, entra em meu coração. Me perdoa pelos pecados. Limpa meu coração de toda sujeira. Não quero ser uma galinha quando o Senhor vier buscar os seus filhos!
– Querido Rei, eu quero ser um águia e estar atento ao teu chamado e subir com o Senhor quando vier naquele glorioso dia! Seja o Rei e Senhor da minha vida.

E você amiguinho? Está pronto para ouvir o grande chamado final? Está preparado para quando o Rei vier, cheio de poder e Gloria?

História extraída da revista argentina “El puentecito”. Ilustrada no Photoshop e adaptada pela Pra Gabriela Pache de Fiúza. (revisão Luis Henrique Lucena Coelho) Fonte: http://portalsementinhakids.com/ 

O CORVO NICO


João 3.1-21

O corvo Nico era muito triste, pois o motivo de sua tristeza era ser da família dos corvos.
O que ele mais queria mesmo era pertencer à família dos pombos.
Um dia Nico teve uma idéia. Mas não contou para seus pais, porque os nossos pais sempre nos acharão lindos.
- Já sei, se eu ficar junto com os pombos e fizer amizade com eles, então serei da família dos pombos! Assim ele tentou, se aproximou, mas os pombos ficaram desconfiados e isto nada adiantou.
Nico voltou triste...e pensando...pensando....teve outra idéia.
- Se eu comer as comidas que eles comem e também fizer o barulho que eles fazem (gruuh...gruuh...) eu serei aceito na família dos pombos.
E assim ele fez. Os pombos olhavam, olhavam...e esta idéia também não deu certo.
Nico ficou muito desanimado e muito triste. Mas em alguns dias teve uma outra idéia..uma idéia muito melhor que as outras. E foi assim que pensou:
- Se eu tiver a cor deles, então serei da família dos pombos para sempre.

(preparar um bandeja com farinha de trigo, colocar em cima da mesa, e ao chão um regador pequeno ou um baldinho para fazer a chuva)

Então ele passou tinta branca e cinza em seu corpo, e mesmo tendo ficado um pouco estranho ficou quase igual aos pombos. (coloque-o na bandeja de trigo, esfregando-o ao trigo).

O tempo passou e a cada dia Nico estava mais feliz, porque agora ele podia ficar junto com os pombos e... comer a comida deles, fazer o barulho deles (gruhh) e ter a cor deles. Ele se sentia um verdadeiro pombo!
Mas a sua alegria durou pouco. De repente veio a chuva e começou a estragar todo o disfarce de Nico, e com isto sua alegria também. A chuva fez escorrer toda tinta branca...E agora?
- Vou fugir porque os pombos ficaram bravos.
E assim, Nico voou para casa e chamou mamãe, que não sabia de nada.
Então contou tudo para ela. A mãe de Nico explicou que a única maneira de um corvo fazer parte da família dos pombos era ter nascido na família dos pombos. Ele precisaria nascer de novo, mas isto não poderia acontecer com ele.
- Nico, meu filho, isto só pode acontecer com as pessoas, elas sim podem nascer de novo.

- Na Bíblia há uma história de um homem que foi procurar Jesus e o perguntou como pode um homem nascer de novo mesmo sendo velho?
Nicodemos estava fazendo como o corvo Nico. Nicodemos perguntou a Jesus:
- Será que uma pessoa podia voltar na barriga de sua mãe novamente?
Ao que Jesus respondeu: - Não é deste nascimento natural (da barriga da mãe) que eu estou falando.
Estou falando de nascer de novo espiritualmente, mudar de família e pertencer à família de Deus.
Como se faz isto? Através do sacrifício de Jesus na cruz isto se tornou possível. 

“Assim importa que o filho do homem seja levantado, para que todo aquele que nEle crê tenha a vida eterna” João 3.14-15.

Você deseja participar da família de Deus? (fale dos benefícios de ser filho de Deus e de pertencer à família de Deus)
Então você precisa nascer de novo em Jesus. (fazer o desafio)

(Adaptado de Denilze – APEC, Campinas)

VERSÍCULO: “Assim importa que o filho do homem seja levantado, para que todo aquele que nEle crê tenha a vida eterna” João 3.14-15.


A HONESTIDADE DE HENRIQUE

Uma carteira de senhora no banco do bonde! Foi a descoberta que Henrique fez no momento em que o bonde arrancava, depois de uma parada. Henrique vira à senhora que acabava de descer. Tinha-a visto no bonde e lembra-se de que essa era a carteira que ela levava.
Imediatamente tocou a campainha. Desceria na primeira esquina. Era o que de melhor poderia fazer. Precisava encontrar a dona da carteira. Voltou depressa à esquina onde a senhora havia descido e encaminhou-se para o lado onde ele a vira seguir. Correu vários quarteirões, olhando à direita e à esquerda, em cada esquina que chegava, para ver se a via. De repente percebeu que assim nada faria. Parou um pouco para pensar e nesse momento encontrou um de seus amigos, um jovem mais ou menos de sua idade.
- Parece que você andou correndo – disse Jaime. – Está muito agitado. Que aconteceu?
Henrique contou rapidamente a história da carteira e explicou que não sabia como entregá-la à dona.
- Suponho que pertence a alguma senhora rica – disse Jaime rindo – e você espera receber uma gratificação. Bem poderia ficar com a carteira. Você não receberá mais do que ela vale e contém. E isso de querer encontrar uma pessoa de quem não sabe o nome, é como procurar agulha em palheiro.
- Não me parece que a dona seja rica, disse Henrique, e, portanto não faço isso visando uma recompensa. Ela vestia-se bem, porém suas roupas não pareciam ser de muito preço. Quanto a encontrá-la, creio que você tem razão. Mas, quem sabe, se eu olhasse dentro da carteira encontraria o nome e o endereço.
- Como me haveria de rir se nela estivessem apenas alguns níqueis! Isso sim seria uma boa peça, depois de tanta correria...
- Oh! Isso não teria importância alguma, replicou Henrique. Não é a quantia de dinheiro que haja dentro o que me preocupa, mas sim a sua devolução. Você sabe que, segundo dizem, os grandes ladrões começaram com pequenas desonestidades. Tenho certeza de que todos os que acabam roubando automóveis ou grande soma de dinheiro, começaram roubando apenas alguns níqueis.
- Nunca pensei nisso – disse Jaime. Mas acho que você tem razão. Muitos começam até por uma fruta ou umas balas. Já tenho visto tanta gente fazer isso e não dar a mínima importância ao caso! Essas coisas, porém, não lhes pertencem e mais tarde, como você já o disse, farão roubos mais vultuosos.
- Voltando ao assunto da carteira, vejamos o que ela contém.
Henrique abriu a carteira e exclamou:
- Oh! Aqui está um cartão!
Diz: “Sra. H. Lemos, ao cuidado do Dr. D. Lemos. É uma pessoa de muita influência. Tinha uma expressão muito agradável, mas não era diferente de qualquer outra senhora”.
- Talvez, no final você acabe recebendo mesmo uma gratificação – disse rindo Jaime.
- Talvez..., Respondeu Henrique; mas eu não estava pensando nisso.
- Já sei – replicou Jaime. – Já sei. Sei que é honrado. Sei que você não pensava na recompensa, mas dava o primeiro lugar às coisas que vêm em primeiro lugar. Antes de tudo você quis devolver a carteira.
Ao olharem um pouco mais, viram que havia alguns cheques de banco. Não os contaram. Fecharam depressa a carteira, depois de descobrirem o endereço da Sra. Lemos.
- Devo ir bem depressa à casa do Dr. Lemos a fim de encontrar sua mãe e entregar-lhe a carteira. Já passei pela casa dela, mas não a vi porque mora na terceira casa depois da esquina e já havia entrado quando lá cheguei. Quer vir comigo, Jaime?
- Não. Preciso voltar para casa. Foi você quem achou a carteira. Não tenho parte nesse assunto. Sinto-me orgulhoso em ser seu amigo. Creio que amanhã a notícia sairá nos jornais.
Henrique não demorou muito para chegar à casa do Dr. Lemos. Que diria? Não teve, porém, de esperar muito. Perguntou simplesmente se a Sra. Lemos morava ali. Fizeram-no passar por uma sala onde a mãe do doutor estava sentada junto ao telefone.
Já havia mandado, pelo telefone, um anúncio para o diário e telefonara para a companhia de bondes para que revistassem o carro em que viajara, quando chegasse ao extremo da linha.
- Acho que tudo será em vão, pensou ela. O mais provável é que alguém a encontrou e quem quer que seja que a tenha achado poderá aproveitar bem a quantia de dinheiro que continha.
Nem sequer ergueu a cabeça para ver quem estava entrando. Henrique se deteve e disse:
- A senhora conhece esta carteira?
Sua tristeza tornou-se alegria. Henrique nunca soubera quanto prazer podia infundir num momento.
- Oh! Minha carteira! Sim, conheço-a, mas até me parece mentira. Pensei que jamais a tornaria a ver. E aqui estão também os meus cheques. Nunca poderei recompensá-lo bastante por isso. Dar-lhe-ei dinheiro, mas quero que saiba que aprecio muito um rapaz honrado. São muito poucos. Sente-se. Quero conversar com você antes que se retire. Quero saber seu nome e seu endereço. Ah! Seu nome é Henrique Martins e mora na Rua do Comércio, 496! Muito bem! Quero que me conte como encontrou minha carteira, e porque correu tanto para me encontrar quando podia ter ficado com ela, como faria a maior parte dos meninos de sua idade. Ah! Sim. Seus pais o ensinaram a não guardar qualquer coisa que não fosse sua, não é?
O rapaz anuiu com a cabeça.
- Sim. Lembro-me de quando era bem pequeno, uma vez brincara com um menino vizinho de casa, e levara para casa umas lindas bolinhas que lhe pertenciam. Ele possuía muitas e nem sequer daria pela falta daquelas. Ao chegar a casa, mamãe me perguntou onde as conseguira. Quando lhe disse que Benjamim tinha muitas e que aquelas não lhe fariam falta, falou-me do mal que eu acabara de fazer. Que pensa a senhora que minha mãe disse? Lembro-me de suas palavras, como se ela as houvesse dito hoje:
“- Filho, essas bolinhas não são tuas e não podes guardá-las. Eu irei contigo à casa de Benjamim e lhe devolveremos as bolinhas, dizendo que nunca mais tomarás alguma coisa que não te pertence”.
“Muito me custava fazer isso, mas minha mãe insistiu em que eu os fizesse. Quando disse a Benjamim e a sua mãe quanto lamentava ter feito isso, sua mãe me olhou sorrindo e isso me animou. Disse ela a minha mãe que poderia ficar com as bolinhas, pois Benjamim possuía muitas. Minha mãe, porém, insistiu em não aceitá-las por eu as ter levado sem permissão. Não ouvi muito mais o que minha mãe e a de Benjamim falaram, porque comecei a brincar com meu companheiro, mas escutei esta frase de mamãe:
“- Quero que meu filho seja sempre honrado e nunca tome alguma coisa que não lhe pertença”.
- Agora compreendo esse seu gesto, disse a Sra. Lemos. Um jovem cuja mãe proporciona tais lições, nunca verá o cárcere. Muito bem, meu filho. Viva sempre de acordo com esses ensinos e nunca se perderá.
Depois de curto silêncio, Henrique disse que sua mãe o esperava. Acrescentou ainda que seu pai fora sempre muito escrupuloso em todos os negócios.
- Aqui estão duzentos cruzeiros pelo trabalho que teve em me procurar. Quero que venha sempre me visitar depois de sair da escola. Você trabalha?
- Faço trabalhinhos aqui e ali, quando os consigo, porque são tantos os meninos da vizinhança que procuram trabalho que não quero ser egoísta, pois muitos deles necessitam trabalhar tanto quanto eu. Seria uma felicidade arranjar um trabalho fixo durante as férias. Mas preciso ir. Quero agradecer muito por este dinheiro. Nunca tive tanto!
Nesse dia, quando o Dr. Lemos voltou para casa, sua esposa e sua mãe lhe contaram do jovenzinho que havia devolvido a carteira. O doutor guardou silêncio por um instante, dizendo depois:
- Estão precisando de um rapaz de confiança na farmácia que fica em baixo do meu consultório. Terá uma oportunidade para subir, e poderá também trabalhar durante à tarde quando começarem as aulas.
Tomou o telefone para falar com o farmacêutico. Depois de explicar porque se interessava por aquele rapaz em particular, o farmacêutico respondeu:
- Diga-lhe que se apresente para o trabalho amanhã de manhã.
Os anos que se seguiram demonstraram que Henrique e a farmácia eram inseparáveis, porque Henrique era fiel nas mínimas coisas. Podia-se ter nele toda confiança e seu patrão mostrava tê-la.


VERSÍCULO: Pois zelamos o que é honesto, não só diante do Senhor, mas também diante dos homens. 
2 Co 8:21



O PEIXE SAPO

Você sabia que há um peixe que pesca peixes? Ele vive devorando outros peixes, o que significa que se alimenta desses peixes. Ele é chamado de peixe-sapo.

O peixe-sapo esconde-se no fundo do oceano e aguarda que peixes pequenos nadem por perto. Quando percebe que um peixinho está se aproximando, o peixe-sapo ergue um pequeno mastro sobre sua cabeça, com algo que se parece a uma isca, e a agita para frente e para trás.

O peixe-sapo continua balançando-a até que finalmente chama a atenção do peixinho inocente. A isca parece muito tentadora ao mover-se para frente e para trás. Você consegue imaginar com o que ela se parece? Talvez o peixinho pense em algo como uma bolacha gigante de peixe flutuando à sua frente. Finalmente, o peixinho se deixa dominar pela curiosidade e nada para ver mais de perto. E esta não é uma boa idéia!

Você consegue imaginar o peixinho piscando os olhos e balançando a cabeça, mal podendo acreditar no que está vendo? Será que é mesmo uma bolacha gigante? Então, quando o peixinho está exatamente no lugar em que o peixe-sapo deseja que ele esteja, abre sua bocarra e o peixinho é levado por uma corrente de água para dentro da sua boca. Não há como escapar. O peixinho é que se torna uma bolachinha, enquanto o peixão se delicia e começa novamente a agitar sua isca para atrair outros peixinhos.

Naturalmente, a isca do peixe-sapo não é alimento de verdade. Trata-se apenas de um pequeno pedaço de pele que se parece com algo que não é. Pode nem mesmo parecer real e não é para se comer, de verdade, mas serve para seu propósito mortal. Ou seja, chamar a atenção do peixinho pelo tempo suficiente para o bote do peixe-sapo. Esse é um erro fatal que os peixinhos sempre comentem. Ficam com os olhos atentos na isca em vez de procurarem ver o peixe gigante que a está agitando.

Um texto na Bíblia diz: “Sejam sóbrios e vigiem. O diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão que ruge, procurando a quem possa devorar” (I Pedro 5:8). Em certo sentido, ele se parece com o peixe-sapo.
 
O maligno tem coisas a oferecer que nem sempre são o que parecem. Ele pode agitar algo perto de seus olhos, que parece ser muito divertido, mas que se trata apenas de uma isca. Se alguém lhe oferecer alguma droga, está, de fato, oferecendo-lhe “uma isca do diabo”. Pode parecer divertido tentar algo novo. Você poderá ouvir até que não fará mal experimentar “somente uma vez”. É então que você precisa se lembrar do peixe-sapo e de como ele consegue sua refeição.

Lembre-se, o peixinho parou apenas uma vez para ver o que estava acontecendo. Essa pequena curiosidade foi suficiente para mandá-lo para a barriga do peixe-sapo. Portanto, não se esqueça: se você for atraído por uma “isca”, o inimigo já estará por perto, aguardando o momento certo para o devorar.

Não seja o peixinho que o peixe-sapo está esperando para o jantar. Olhe para a isca e esteja atento a quem a está oferecendo! Peça forças a Jesus para fazer você ver e entender o que realmente está acontecendo e, assim, vencer a tentação.

http://bloggerdatiadebora.blogspot.com

VERSÍCULO: Sejam sóbrios e vigiem. O diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão que ruge, procurando a quem possa devorar” (I Pedro 5:8).

O REI DE CALÇA JEANS



Davi tinha ganhado o presente que tanto queria, já fazia bastante tempo. Era um enorme jogo de montar, aquele que conhecemos por “legos”. Este jogo consiste, como sabemos, em muitas pecinhas de diferentes formas, cores e tamanhos, você deve encaixar e desencaixar para construir o que quiser.

Como Davi desfrutava desse brinquedo! Ele brincava quase todos os dias, era o seu brinquedo preferido! E quantas coisas que ele construía: Fabulosas torres, raríssimas pontes, surpreendentes prédios… em fim! Era um arquiteto do futuro! Passava horas entretido com seu brinquedo.

No domingo, Davi havia passado horas excelentes na igreja com muitas outras crianças. Cantavam lindas canções e aprendiam de Deus, conversavam, faziam planos e desfrutavam ouvindo lindas historias. Justamente nesse domingo Tia Mimí, uma das professoras, lhes havia contado sobre o nascimento de Jesus e a passagem em Mateus 2, onde uns magos seguindo uma estrela levaram presentes para Jesus. Esses presentes eram muito valiosos e com certeza ajudaram nos cuidados e sustento de Jesus nos primeiros anos de vida. Também contou que uns irmãozinhos gêmeos, quando ouviram esta história da Bíblia também quiseram dar presentes a crianças que não tinham brinquedos e que não ganhariam nada no natal. Eles foram “reis magos invisíveis” no Natal, preparando uma lindíssima surpresa para um vovozinho muito pobre e seus netinhos, colocando lindos presentes na porta da casa junto com um folheto que falava de Jesus e tinha o endereço da igreja, sem serem vistos. E para surpresa dos gêmeos, o vovô e as crianças foram para a igreja dos gêmeos no domingo e entregaram as suas vidas a Jesus.

As quase cem crianças que escutavam a Tia Mimi estavam muito atentas e interessadíssimas com a historia. No se ouvia nenhum mosquito voar; sobre tudo quando Tia Mimi, ao finalizar, lhes fez uma importantíssima proposta: o que vocês acham de nós também sermos “reis magos ou anjos invisíveis” para estas festas? Olhem seus brinquedos e roupas. Pensem em algum amiguinho que não tenha brinquedos. Seria muito emocionante compartilhar com alguém um pouco daquilo que Deus nos deu!!!
Tia Mimí pediu para as crianças se tomarem das mãos e orarem para pedir a Jesus orientação sobre o que fazer e para que cada criança tomasse decisões sobre a proposta para esse natal. 


Logo as idéias começarão a surgir no coração e na cabeça de Davi. É que quando falamos com Deus e o escutamos, Ele também fala conosco! O seu Espírito nos guia a fazer a vontade de Deus!!!

Poucos dias depois, Tia Mimi encontrou Davi muito ocupado.

Conferia uma por uma as diversas pecinhas do seu enorme “legos”. Se estavam sujas, ele as limpava; se faltava alguma, colocava tudo de cabeça para baixo, até encontra-la.

Você esta preparando outra invenção, outra grande construção? Perguntou Mimi.

– “Não! -respondeu Davi – estou preparando o “legos” para dar de presente as crianças da família Garcia”

Tia Mimi ficou muda enquanto Davi continuava falando:

-“ O papai deles esta desempregado e eles são muitos. Com certeza os pais não poderão comprar nenhum presente para as crianças no Natal. Acho que eles vão amar este brinquedo, né? Bom…isso espero! É um brinquedo que todos podem jogar!!

-“Mas… você têm certeza que quer dar esse brinquedo??…” perguntou Mimi, insegura.

Davi, arrumou o cabelo e falou com convicção:

-“Eu já estou grandinho, Tia Mimi. Já brinquei muito de “legos”. Quero compartilhar o que tenho, como dissemos no domingo. Já tinha um tempinho que essa idéia estava dando voltas na minha cabeça, e no domingo tomei a decisão. Creio que é uma idéia de Jesus. A única coisa é que…”

-“É o que, Davi?…” Mimi segurou a respiração.

-“A caixa é muito grande! Você me ajudaria a levá-la?…”
Ao entardecer carregaram o pacote no carrinho da Tia Mimi. Na casa da família Garcia, estavam João Paulo, Luis e Lucas, os três mais pequenos. Davi entregou a caixa com um sorriso um pouco tímido e uma explicação curtinha: “Oi, João Paulo! Isso é para vocês!” E João Paulo respondeu com outro sorriso um pouco tímido também, e com outra resposta curtinha: “Ah, que bom! Obrigado Davi!” e entrou de novo na casa. 

Como do lado de fora escurecia e dentro da casa havia luz, Davi e Mimi não agüentaram a tentação de espiar pela janela, para ver o que estava acontecendo. Viram a João Paulo abrir o pacote, enquanto Luis e Lucas olhavam impacientemente. De repente se ouviu um enorme “ OHHHH”… e as pecinhas de diversas cores se espalharam sobre a mesa.

“Que fantástico!”

“Para fazer casinhas!”

“E torres!”

“E aviões!” …

Então um dos três gritou emocionado:

-Vocês se lembram… se lembram que havíamos pedido a Jesus para que nos mandasse algum presente?”

Então Lucas, o mais pequeno se jogou sobre a mesa exclamando:

-Muito obrigado, Senhor! Muito obrigado Senhor!

Imediatamente João Paulo e Luis se jogaram sobre a mesa, abraçando as pecinhas coloridas e exclamando uma e outra vez:

-“Obrigado, obrigado, Senhor Jesus!”…

Davi e Mimi em seu esconderijo, estavam tão surpreendidos que ficaram mudos…


-“Ouviu isso? Eles haviam pedido a Jesus! Ouviu? … Eu jamais esquecerei deste momento!…”

Davi falava baixinho para não ser ouvido.

Davi e Tia Mimi caminharam uns metros em direção ao carro e Davi parou emocionado, fechou os seus olhos e chorando orou a Jesus. Agradeceu por poder ser um instrumento de Deus para abençoar esses meninos no Natal, agradeceu pelo Espírito Santo, porque ele fala aos nossos corações e porque Deus responde todas as orações. Foi uma oração entre lágrimas e sorrisos.

Com sua franja ao vento, sua camisa meio para fora e sua desgastada calça jeans azul, não parecia exatamente um anjinho, nem muito menos ainda um “Rei Mago”, mas em seus olhos de cor castanho havia o brilho do céu e a felicidade de rei. É que estava sendo comprovado que seu presente tinha muito, muitíssimo valor. Não só para seus três queridos amiguinhos, mas também para seu grande amigo Jesus. Porque quando voltavam a casa no carrinho da tia Mimi, se lembrou de algo muito, muito importante que Jesus disse:

“lhes a seguro que tudo o que fizerem por um destes irmãos meus mais humildes, por mim mesmo o fizeram”. (Mateus 25:40)
Li esta história real na revista evangelística infantil “El Puentecito”. Desenhada e adaptada por Gabriela Pache de Fiúza. Traduzida por Luis Henrique Lucena Coelho.

FIGURAS:









SALIM - ELE FALOU A VERDADE

Figura 1 (CAPA). Este garotinho vai contar a sua história para nós. Seu Noé é Salim. Ele vivia em um país muito distante do nosso, a Pérsia. Salim não tinha papai, vivia com sua mãe que era muito pobre e fazia um grande esforço para cuidar de Salim.
Chegou um tempo em que ela não tinha mais condições de sustentar o menino e precisou mandá-lo viver com um tio que morava na cidade de Shiraz.
Figura 2 – A mamãe estava muito triste por ter que se separar do seu filho amado, mas era preciso que Salim fosse, lá ele teria condições de estudar e de ter uma vida bem melhor junto com seu tio. Quando Salim estava pronto para partir, mamãe o chamou e disse:
- Filho amado, você vai para longe de mim, mas precisa me prometer que não vai esquecer de 3 coisas que lhe valerão para a vida toda a fim de que você seja um homem de valor. Primeira: que você vai usar de bondade com qualquer pessoa que puder ajudar. Segunda: vai orar a Deus todos os dias. E terceira: sempre vai falar a verdade.
Salim prometeu. A mãe pegou o saquinho onde dentro havia 3 moedas de ouro e costurou-o dentro do colete de Salim, dizendo que era tudo que ela possuía e que aquele pequeno tesouro lhe ajudaria a comprar alguma coisa que necessitasse.
Figura 3 – Salim viajou na companhia de uma caravana (um grupo) de negociantes,q eu levavam mercadorias para serem vendidas em outros lugares. Shraz ficava bem longe de ontem a mamãe dele morava. Bem atrás de duas montanhas e do deserto. Com certeza Salim iria sentir muita saudade da mamãe, mas ele entendia que isso era preciso e que mamãe estava fazendo o melhor que podia.
O serviço de Salim na caravana era ajudar a dar alimentos para os camelos quando a caravana parava para descansar e passar a noite. Salim fazia seu serviço com muita alegria e disposição. Embora com saudades de sua terra e da mamãe, ele nunca estava de mau humor. A caravana havia passado por grandes desfiladeiros (espécie de aberturas que serviam de caminho nas montanhas). Os rochedos dos lados eram muito altos, havia tantas curvas que era difícil enxergar adiante e foi num lugar assim que tiveram que parar, pois a noite havia chegado e não dava para continuar. Todos deitaram para dormir.
Figura 4 – No meio da noite, tudo estava muito escuro e aí chegaram muitos ladrões que costumavam assaltar os viajantes. Quando Salim acordou com o barulho que faziam, viu todos os empregados e os negociantes amarrados e os ladrões ao redor de uma fogueira que haviam feito para se aquecer por causa do frio da noite. E um a um dos negociantes e dos empregados eram levados na presença do chefe dos ladrões, que procurava fazê-los contar quais mercadorias levavam e onde estava o dinheiro delas.
Chegou a vez de Salim. Ele era tão pequeno que o ladrão não queria perder tempo e foi logo dizendo:
- Menino, quanto dinheiro você tem e onde está?
Salim respondeu: - Tenho três moedas de ouro costuradas no meu colete.
O homem deu risada e foi embora. Daí um pouco, outro ladrão fez a mesma pergunta e Salim deu a mesma resposta. Este também não acreditou. Chegou um terceiro e tudo igual, só que este ficou irritado e achando que Salim estava caçoando deles. Então pegou o menino e o levou ao chefe dos ladrões. Os homens contaram a ele o que o garoto dizia. Ele olhou bem para Salim e achou que havia alguma coisa errada. Então, fez a mesma pergunta.
Figura 5 – Todos ficaram quietos olhando para aquele menino tão pequeno, achando que ele não tinha dinheiro algum e esperando sua resposta. Então Salim, olhando bem nos olhos do chefe dos ladrões, disse:
- Tenho 3 moedas de ouro e elas estão costuradas no meu colete! Já falei isso para os outros 3 homens que me perguntaram, mas eles riram e não acreditaram em mim!
E mostrou para o ladrão onde estavam as moedas. Aquele homem ficou surpreso e respondeu:
- Três moedas de ouro? Se isso é verdade porque você me contou? Ninguém contou nada até agora, só você!
E o chefe dos ladrões desabotoou o colete de Salim e viu que realmente havia um saquinho costurado. Abriu e... lá estavam as três moedas de ouro que Salim havia falado.
- Então é verdade! Por que você me contou? – perguntou ele.
Foi ai que o chefe dos ladrões ficou mais surpreso ainda, porque Salim respondeu:
- Contei porque quando deixei minha mãe lá na cidade onde eu morava ela me fez prometer três coisas. A primeira foi: usar de bondade com qualquer pessoa que pudesse ajudar. A segunda foi: orar a Deus todos os dias. E a terceira: sempre falar a verdade.
Todos ficaram admirados com a resposta daquele garotinho e ficaram aguardando o que o chefe dos ladrões iria fazer.
Figura 6 – Todos estavam em silêncio na expectativa de ver o que ia acontecer agora. O chefe dos ladrões tirou do seu próprio cinto mais três moedas de ouro e entregou todas para Salim que agora ficou com seis moedas de ouro. Todos ficaram envergonhados, pois ninguém falou a verdade, somente aquele garotinho. Muitos se arrependeram e pensaram:  “se eu tivesse contado a verdade quem sabe teria ganho o dobro, outro tanto, como aconteceu com Salim”.
O chefe dos ladrões ficou impressionado com a coragem e a honestidade de Salim, que mesmo longe da mamãe estava obedecendo e cumprindo uma promessa que havia feito para ela. Por essa razão ele achou que valeria a pena recompensar Salim por sua atitude correta.
Figura 7 – Salim pôde dizer àqueles homens que ele era um menino que dizia a verdade e obedecia a mãe, pois tinha Jesus em seu coração e que ele havia aprendido na Bíblia que sempre devemos dizer a verdade, obedecer ao papai e a mamãe e ajudar as outras pessoas. Aqueles homens que ficaram envergonhados e disseram uns para os outros, começando mesmo do chefe deles, que daquele dia em diante iriam trabalhar honestamente e nunca mais roubariam. Um menino tão pequeno os ensinou a importância da verdade e da honestidade.
Você sempre obedece sua mãe e seu pai?
Jesus nosso salvador, sempre cumpre tudo o que nos prometeu. Ele fica esperando para ver qual será nossa atitude diante de uma situação difícil. Ele espera que nós cumpramos tudo que prometemos para Ele um dia.

CTECA – CENTRO DE TREINAMENTO PARA EVANGELIZAÇÃO DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES
Rio de Janeiro – 01/04 – Tel (21)
Adaptação e Ampliação: Ruth Rustici ...

VERSÍCULO: João 8:31-32 escrever o versículo..

FIGURAS:









UMA DIFERENÇA INTRIGANTE

Hoje tenho dois convidados comigo. Gostaria de apresentar-lhes o João Côco Feliz e o Carlos Côco Resmungão. Por fora, ambos se parecem muito, mas, no íntimo, são bem diferentes. O João Côco Feliz tem sempre um sorriso no rosto. Ele está sempre feliz porque ama a Jesus e sabe que Ele o ama. João Côco Feliz se assemelha ao texto que se encontra em Provérbios 17:22: “O coração alegre serve de bom remédio”. João Côco Feliz sempre faz com que as pessoas se sintam bem quando estão com ele.

Agora quero apresentar-lhes o Carlos Côco Resmungão. Ele é um bebezão que está sempre chorando e querendo que tudo seja feito de acordo com a sua vontade. Talvez você conheça algumas crianças assim. Se não conseguem que as coisas sejam feitas à sua maneira, batem os pés e começam a berrar até que sejam atendidos. O Carlos Côco Resmungão se parece muito com a segunda parte do verso acima que diz: “mas o espírito abatido seca os ossos”. O Carlos chora muito, não porque esteja triste, mas simplesmente porque quer sempre que a sua vontade seja feita.

Como já disse, o Carlos e o João se parecem muito por fora, mas por dentro são muito diferentes. Vou mostrar-lhes a diferença entre eles ao chacoalhar a cabeça deles.

A diferença é que uma faz barulho e a outra mostra o som do líquido sendo agitado dentro (as crianças sempre demonstram surpresa com a diferença entre os côcos).

Bem, meninos e meninas, sabemos que as pessoas não são realmente como estes cocos. Não assobiamos ou parecemos um chocalho quando alguém nos agita, mas somos diferentes, sim, pela forma como pensamos. Todos conhecemos pessoas que estão sempre tristes, sempre reclamando, sempre infelizes. Ninguém gosta de estar com elas. Por outro lado, conhecemos pessoas que são sempre amáveis, que estão sempre felizes. Essas são pessoas cujo coração é alegre e tornam felizes todos os que estão ao seu redor. Conforme diz a Bíblia: “O coração alegre serve de bom remédio; mas o espírito abatido seca os ossos” (Provérbios 17:22).
Bem, meninos e meninas, a diferença entre o  Carlos Côco Resmungão e o João Côco Feliz está na maneira de se comportar: Todos conhecemos pessoas que estão sempre tristes, sempre reclamando, sempre infelizes. Ninguém gosta de estar com elas. Por outro lado, conhecemos pessoas que são sempre amáveis, que estão sempre felizes. Essas são pessoas cujo coração é alegre e tornam felizes todos os que estão ao seu redor. Mas qual é a diferença mesmo?
A diferença é o que tem dentro de cada um deles.. um é vazio, e o outro tem Jesus. Só com Jesus podemos realmente ser felizes e fazer os outros felizes...

Eu quero ser como o João Côco Feliz, e você?
Criança feliz , só com Jesus!!!

VERSÍCULO:  “O coração alegre serve de bom remédio” (Provérbios 17:22).

RECURSOS VISUAIS: Dois côcos, lã para o cabelo, botões para os olhos, nariz e boca.

COMO PREPARAR: Perfure um dos côcos e extraia a água, deixando-o secar por várias semanas, se possível. Depois de seco, coloque-o sobre uma base que faça ruído quando você chacoalhá-lo (ou se você já tiver um côco seco, poderá usá-lo).

Depois, cole o cabelo e faça o rosto com os botões. O côco que faz barulho, o Carlos, deve ter uma expressão zangada; o outro, João Côco Feliz, deve ter um largo sorriso.


O SEGREDO DA MELANCIA


            Cartaz nº 1 – João
- Bem, aqui certamente não é Kansas City, com certeza! – falou João repugnado, olhando hectares e mais hectares de milho plantado na fazenda de seu tio no estado de Kansas. – Se eu tivesse lembrado do que esta fazenda ficava tão distante da vida real, nunca teria vindo aqui de novo – virou-se e andou vagarosamente até a casa.

Cartaz nº2
- Oh, João! Que bom que você está de volta! – disse Tia Laura ao ver João entrar na cozinha. – Veja! Eu fiz sua torta predileta!
João amava torta de maça, e já estendendo a mão para receber a torta disse:
- Oba! Obrigado, Tia!
-Ainda não, filho – disse ela, rindo – espere até o jantar. Porque não sobe, lava as mãos e descansa um pouco? Chamarei logo que o jantar estiver pronto.

Cartaz nº3 – João olhando da janela do quarto
Sentado no quarto de hóspedes, João começou a pensar sobre sua última visita no verão, dois anos antes, quando conheceu André.
André morava perto da fazenda do Tio Jaime. Todas as lembranças sobre André foram boas. Ele gostava de jogar beisebol e era um bom jogador. Ao mesmo tempo não era orgulhoso ou exibido. Como era bom lembrar do tempo que passaram juntos nadando no rio. João então pensou: “Será que ele ainda mora na outra fazenda?”. De repente ficou em pé. – Eu tenho que perguntar – disse ele descendo a escada e entrando na cozinha.
- Tia Laura, você lembra do André? – perguntou João.
Por um momento sua tia pareceu ficar surpresa. Então ela disse:
- André? Oh, sim, nós lembramos muito bem dele.
Foi ai que Tio Jaime entrou e disse:
- Pensando em um jovem ótimo, André era um dos melhores. Todos gostavam dele e era bem-vindo em todas as casas.
Tia Laura parecia saber o que João estava pensando.
- João, - ela falou – nós sabemos que você é da cidade e acostumado a ter muitos colegas ao redor. A vida campestre talvez seja um pouco enfadonho para você, mas queremos fazer sua visita a mais agradável possível.
- Bem, eu sou feliz, mas seria com ter um colega aqui... é por isso que perguntei sobre André. – respondeu João.
João olhou para Tio Jaime e disse:
- Eu escrevi cartas para o André, mas ele parou de responder depois de algumas cartas. O senhor sabia que um dia quando eu estava aqui a outra vez, que nós estávamos nadando no rio e eu quase morri afogado? Se não fosse o André, eu teria morrido, mas ele me salvou.
Tia Laura ficou muito chocada com a história:
- Nunca ouvimos isto – ela comentou.
- André me ajudou em outras coisas também – explicou João. – Eu estava furioso com mamãe e papai porque eu pensei que eles me mandaram pra cá só para se livrarem de mim. Até tentei culpar os senhores e disse a André que deveriam me mandar de volta pra casa.
João viu como a tia ficou magoada, então rapidamente continuou:
- Mas estou bem agora. André me ajudou a entender quanto os dois me amam.
Houve um momento de silêncio, então João falou novamente:
- Me desculpe, Tio Jaime. Eu estava errado, mas me sentia tão só e precisava culpar alguém.
- E nos culpou – Tio Jaime disse, parecendo entender.
- Bem... sim – confessou João. – Mas André logo tomou conta da situação.
- Como? – perguntou Tia Laura.
- Quando fiquei reclamando, André disse que Tio Jaime é o fazendeiro mais sábio do mundo.
- Foi mesmo? – Tia Laura perguntou, surpresa.
- Foi! André disse que Tio Jaime uma vez contou o segredo da melancia. E ele disse que este segredo mudou sua vida – João continuou.
-Com um grande sorriso e lágrimas formando nos olhos, tio Jaime falou:
- Eu nunca vou esquecer aquele dia!
- Por favor, pode me contar o segredo também? – João perguntou.
- Quer dizer que André não contou? – perguntou Tio Jaime.
- Bem, ele começou, mas sua mãe o chamou para jantar. E foi a última vez que vi André, porque voltei para casa no outro dia.
Tio Jaime pensou um momento e depois levantou:
- Bem, eu já ia terminar o trabalho e Tia Laura precisa lavar a louça, mas pensando melhor, vou pegar uma das nossas melancias gigantes e vou contar o segredo para você também.
Em poucos minutos João esta sentado no terraço da casa com seus tios. Em frente do Tio Jaime estava uma melancia enorme!
- Ah! – disse Tio Jaime pensativo – Fazem poucos anos que sentei aqui mesmo e contei o segredo da melancia para André... certo, Laura?
Tia Laura, com os olhos cheios de lágrimas, acenou com a cabeça.
João ficou perplexo com o silêncio da Tia, mas sua curiosidade sobre o segredo foi maior.
- Bem, João – disse Tio Jaime, cortando a melancia ao meio – quando Deus criou o universo, o sol, a lua, as estrelas, o mundo, ele deve ter olhado para o espaço e se sentido só. Não sabemos com certeza, porque a Bíblia não diz. Mas sabemos que no sexto dia, Deus criou o homem e Ele o chamou Adão. Então Ele o colocou em um lindo jardim, onde criou também Eva, que se tornou a esposa de Adão.

Cartaz nº5 Adão e Eva.
Tio Jaime continuou:
- Tudo correu muito bem por um tempo, até um dia quando Eva ouviu uma voz – uma voz que não tinha escutado antes. Era o Diabo que tinha entrado no corpo de uma serpente. Sabe João, Deus tinha dado a Adão e Eva tudo – tempo agradável, tudo o que precisava para comer, tudo, quer dizer, MENOS Sua permissão para comer o fruto da árvore do conhecimento do bem e do MAL. Só havia uma regra que Deus disse que tinha que obedecer: não podiam comer do fruto daquela árvore. E, sabe, o diabo era tão astuto, que conseguiu convencer Eva a escutar só um minutinho. E foi ai que o problema começou.
Tio Jaime pegou uma semente de melancia e colocou na sua mão.
- A semente de curiosidade, foi isto mesmo. Eva sabia tão bem quanto Adão que ela deveria ficar longe daquela árvore; mas não, não resistiu a tentação, e antes de pensar duas vezes, ela deu uma mordida na fruta.
Espantado João perguntou:
- Ela comeu??
 - Sim – disse Tio Jaime, olhando à semente na sua mão. – Filho, me diga uma coisa, que é que você vê aqui? Algo brilhante ou algo escuro como a noite?
- Algo escuro – respondeu João
- Certo – Tio Jaime concorda. -  E você sabe o que aconteceu depois que Eva comeu da fruta daquela árvore e ofereceu para Adão, e ele também comeu! Bem, é triste, mas quando desobedeceram a Deus, o pecado entrou no mundo. Naquele dia, o coração do homem se tornou tão escuro quanto esta sementinha. A Bíblia nos diz: “Como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porquanto todos pecaram”. A palavra TODOS é importante porque quer dizer exatamente isto: todos!
- João, leia aqui – Tia Laura disse, tirando uma Bíblia pequena do bolso do avental. Ela abriu para Romanos 3:23.
- “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” – Leu João.
- Está certo, Tio Jaime. Diz TODOS. – pensativo ele cochichou – mas isto também me inclui...

Cartaz nº 4 novamente
Tio Jaime apontou mais uma vez para a melancia.
- E pense só nisto – ele falou. – Em pouco tempo, aquela sementinha se espalhou pelo mundo todo, um pouco parecido com as sementinhas escuras desta melancia. E sabe – ele disse – há algo que todos nós fazemos quando comemos a melancia: cuspimos fora as sementes. Nós podemos nos livrar das sementes, mas não temos nenhuma maneira de nos livrar do pecado.
- João – disse seu tio. – Deus pode tirar o pecado... e o fez, dando ao mundo o melhor presente que poderia receber.
Mais uma vez Tio Jaime aponta para a melancia.
- Me diga, filho, o que PE que está cobrindo as sementinhas escuras?
- A parte vermelha – disse João.
- Certo, e você sabe de que a parte vermelha me lembra? A Bíblia diz que o sangue de Cristo, o Único Filho de Deus, nos purifica de todo pecado (I João 1:7). Deixe me contar como é que acontece.
- No Jardim do Éden, Deus fez uma promessa que mandaria um Salvador ( Gênesis 3:15) – alguém para nos salvar do pecado. Durante milhões, todo mundo esperou, até uma noite, Deus mandou seu Único Filho, Jesus, para nos salvar do nosso pecado (Gálatas 4:4).
- Agora Jesus não foi uma pessoa qualquer. Ele era perfeito em todos os sentidos. Ele era bondoso e andou fazendo o bem. Mas o povo não era bondoso para Ele, porque Ele falava a verdade. Ficaram furiosos. Eles pregaram Jesus na cruz no monte de Calvário. Bem, deixe-me dizer outra coisa – falou Tio Jaime. – Quando Jesus morreu na cruz, Ele tomou sobre si o castigo do NOSSO pecado. Veja só, João. Deus disse que o salário do pecado é a morte – ou separação eterna de Deus. Nós merecemos morrer por nossos pecados. Mas quando Jesus Cristo morreu, o preço total foi pago. Escute o que Deus diz na Bíblia: “Cristo morreu por nossos pecados... foi sepultado e, foi ressuscitado (ou viveu) ao terceiro dia” (I Coríntios 15:3,4). Jesus vive hoje. Agora é possível ter perdão dos nossos pecados para podermos viver para sempre com Ele.
Tio Jaime continuou:
- Um dia, um grande rei, Davi, fez algo muito errado.

Cartaz nº6 – O Rei Davi
- Quando se arrependeu do seu pecado, ele orou a Deus e disse: “Lave-me, e eu serei mais algo que a neve” (Salmos 51:7). É isto que o sangue de Jesus faz por nós, João. Quando cremos no Senhor Jesus como Salvador do pecado, ele nos perdoa. Seu sangue tira o nosso pecado.
- Está vendo como esta parte da casca é branca? Isto me lembra de como Deus vê os nossos corações – o nosso interior – depois que Jesus nos limpa do pecado. André ouviu o mesmo segredo e naquela hora, ele queria ter o coração limpo do pecado.
- E ele creu em Jesus? – João perguntou.
- Com certeza. E você, João? – perguntou Tio Jaime. – Você gostaria de fazer o que André fez? (PAUSA) A Bíblia diz que se você crer no Senhor Jesus Cristo será salvo (Atos 16:31). Você gostaria de pedir perdão a Deus pelo seu pecado, hoje mesmo?
- Oh, sim! – disse João.
- Então repita esta oração – seu tio disse – Mas tem que ser com sinceridade.
Tio Jaime orou uma oração simples e João repetiu:
- Senhor Deus, eu sei que sou pecador e me arrependo de tudo que eu tenha feito errado. Creio que Jesus morreu na cruz por mim. Eu peço que me limpe de todo o pecado, obrigado. Em nome de Jesus, amém.
Quando terminaram, João pulou:
- Oh, estou tão feliz, Tio Jaime. Eu quero ver André e e dizer a ele que Jesus também é meu Salvador agora!
Os olhos de Tia Laura encheram de lágrimas mais uma vez:
- Talvez você deva se sentar de novo, João. Tio Jaime tem mais algo para dizer.
- Lembra do lugar do rio onde você disse que André salvou sua vida dois anos atrás? – perguntou Tio Jaime.
- Nunca esquecerei – disse João.
- Bem, André não tinha um colega com ele quando foi nadar um dia, e ele morreu afogado.
João mal conseguia entender o que seu tio estava dizendo:
- Quer dizer que André morreu? – perguntou.
- Todos nós ficamos muito tristes com a morte de André, - continuou Tia Laura. – Ele era um bom menino e todos nós sentimos muito a falta dele.
Ela ficou pensativa um momento e depois sorriu, dizendo:
- Mas somos gratos porque sabemos que ele está com Jesus agora
Tio Jaime mais uma vez olhou para a melancia e disse:
- André está em um lugar bem melhor, pode ter certeza disto. E não terminamos a história da melancia. Algumas pessoas não sabem o que acontece antes que a melancia comece a se formar. Você gostaria de saber? – perguntou Tio Jaime sorrindo para João.
- É, eu acho que sim – João respondeu tristemente.

A FLOR DA MELANCIA – O CÉU Cartaz nº 7 – O Céu
- Bem, - disse Tio Jaime – há uma linda flor na planta da melancia. É dourada como as ruas no Céu, onde Deus habita. A bíblia diz, “As ruas do Céu são de ouro puro” e é onde André está agora. Ele está com Deus – Deus que o amou e Deus que ama a você. (João 3:16)
João pensou durante alguns minutos, então sorriu.
- Sabem , - ele disse – quando deixei de receber as cartas do André, eu pensei que ele tivesse me esquecido. Agora eu sei porque. Eu sou tão feliz que sei onde ele está agora.
- E tenho certeza que ficará feliz em ver você um dia, João – disse Tia Laura.
Cartaz nº 8
Tio Jaime se inclinou e pegou as duas bandas da melancia, colocou-as juntas e perguntou:
- João, deixe-me perguntar uma coisa. Qual a cor que você vê quando eu junto as duas partes da melancia?
- Verde – João respondeu. – Só posso ver o verde.
- Certo – disse seu tio. – E o verde nos lembra das coisas que crescem. Você sabia que a Bíblia nos manda crescer no conhecimento do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo? Veja João, quanto mais nós crescemos obedecendo a Palavra de Deus, mais perto estamos do Senhor. E quanto mais aprendemos da Palavra dEle, mais fácil se torna resistir aquelas sementinhas de tentação e pecado. O segredo está bem aqui dentro dessa melancia - disse Tio Jaime. – Deus tem um plano maravilhoso para as nossas vidas.
João ficou quieto alguns minutos, então olhou para seus tios e disse:
- Eu não estava feliz quando cheguei aqui. Tinha raiva de todos. E estava errado. Mas agora eu sei porque estou aqui e quero ficar.
Tio Jaime riu:
- Bem, não vai demorar muito e seus pais chegarão para levar você de volta para casa. E quando chegar em casa, me prometa que vai contar o segredo da melancia para seus colegas.
Poucos dias depois, os pais de João chegaram. Ficaram muito felizes em vê-lo.
E João, bem... Ele estava feliz, também. Tinha muitas coisas para contar aos pais, mas havia uma coisa especial que foi a primeira que ele contou. Alguém pode adivinhar o que foi? (Deixe as crianças responderem).


Agora eu tenho uma pergunta para você: você já descobriu o segredo da melancia? Você já creu no Senhor Jesus Cristo como seu Salvador do pecado? Você pode fazer isto hoje mesmo. Nós temos a promessa de Deus: “Creia no Senhor Jesus Cristo e serás salvo” (Atos 16:31). Você pode recebê-Lo agora mesmo ou até na sua casa, mas gostaria de mostrar que Jesus é SEU Salvador. Se você está pronto para aceitar Jesus como Salvador, encontre comigo (Fale um lugar específico para encontrar com os que querem aceitar a Cristo).

OBJETIVOS DA LIÇÃO: Para a criança não salva: que ela possa crer em Jesus Cristo e ser salva hoje.
Para a criança salva: que ela possa testemunhar a pelo menos duas crianças esta semana.

TEXTO BÍBLICO: Gênesis 3:15; Romanos 3:23; 5:12; I João 1:7; Salmos 51:7; Aos 16:31 – Outros versículos são usados durante a lição.

VERSÍCULO:                      “Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo...” Atos 16:31
Este versículo será ensinado durante a lição, Faça uma explicação do versículo fazendo perguntas:
“Deus quer que você creia o que sobre Jesus Cristo?” (Que Ele morreu e ressuscitou para nos salvar).
“Como é que mostramos a Deus que nós cremos no Seu Filho?” (Recebendo Jesus como Salvador).
“Quando cremos em Jesus, Ele nos salva do que?” (Nosso pecado).
“O que significa isto?” (Ele perdoa o pecado e limpa nosso coração).

Divida o grupo em dois times e coloque os dois times de frente um com o outro. Peça para dizerem o versículo alternando as palavras.

VISUAIS: Coloque os cartazes em ordem, 1-4. Na media que  vai contando a lição, coloque os cartazes 1-3 atrás. Vire os cartazes depois de mostrar no  4. Os cartazes 5-8 já estarão na ordem certa.
      Para visuais especiais, corte 4 “melancias” de cartolina dupla face verde (duas de cada folha). Corte um retângulo 18cm. X 25 com, no centro. Cole as figuras 1-4 sobre a abertura, colocando as bordas. Figuras 5-8 aparecerão no outro lado. Tire cópias do lembrete para cada criança. Elas podem pintar o lembrete e usá-lo para contar o segredo da melancia para colegas.
Para o trabalho manual, vai precisar de um prato de papel, e lápis para cada criança(bastante hidro-cores – verde, vermelho e preto). Também, cópias dizendo as cores e versículos, para serem coladas dentro de cada melancia.
Caso não haja tempo de fazer o trabalho manual, dê à cada criança uma cópia da folha.

JOGOS: Os jogos seguintes preparam o ambiente da história com o tema da melancia. SERÁ NECESSÁRIO PELO MENOS DOIS AJUDANTES. Prepare tudo com antecedência. Oferecça um palito de picolé para que a criança que não gosta de melancia, possa tirar as sementes. Será necessário bastante guardanapos ou toalhas de papel.

COLEÇÃO DE SEMENTES: Na hora de servir a melancia, dê também um copinho de plástico para cada criança. Fale para colocar cada sementes que achar dentro do copinho, por que haverá duas competições e eles VÃO PRECISAR de TODAS as sementes!
Depois que todos terminarem de comer a melancia, peça para cada criança contar suas sementes. A criança que estiver com mais sementes, ganha um prêmio.

SOPRAR A SEMENTE: Corte duas melancias grandes de duas folhas de cartolina dupla face verde – o tamanho da folha. Se for usar em várias classes, deve ser plastificados. (Alternativo: com um marcador, desenhe dois ovais em um saco de lixo branco). Se o grupo for muito grande, prepare mais do que 10 crianças. Divida o grupo em times e faça uma linha pelo menos um metro de distância da sua “melancia”. Uma criança de cada time pega 3 sementes do seu copinho. A criança coloca uma das 3 sementes na ponta da língua e assopra, tentando colocar a semente dentro da “melancia”. Crianças assopram uma semente de cada vez e vai para o fim da fila. Continua até cada criança assoprar as três sementes. O objetivo do jogo não é rapidez, e sim pontaria. No final do jogo, os juízes contarão o número de sementes em cada oval. O time que tiver mais sementes dentro, será o vencedor.

REVEZAMENTO DE MELANCIA: Encha alguns balões verdes. Divida o grupo em times de dez, e coloque em filas. Dê um balão, representando uma melancia, à primeira criança de cada fila. Quando eles ouvirem o apito, o balão de cada time é passado por cima da cabeça da primeira criança, entre as pernas da segunda criança, e alternando dessa maneira até a última criança da fila. Aquela criança corre até a frente da fila e o jogo continua até que a criança original esteja na frente de novo. A equipe que terminar primeiro será a vencedora. Cada time tem direito a só mais um balão, no caso de estourar o primeiro.

ARREMESSO DE MELANCIA: Pegue um balão verde para cada 2 crianças e coloque água dentro. Divida as crianças em duas filas, uma olhando para a outra, com 30 cm de distância. Todos de uma fila recebem um balão cheio d’água. Cada criança deverá arremessar sua “melancia” para a criança que está na sua frente, que será o seu parceiro. Então as duas filas dão um passo para trás e arremessa os balões mais uma vez. Cada vez que são jogados os balões, fale para eles darem um passo para trás. Isto continua até estourar um balão. Aquela dupla sai da competição e o jogo continua. A última dupla são os vencedores.

FIGURAS: 





















UMA MENTIRA PUXA A OUTRA

– Por que você chegou atrasada hoje, Judite? – perguntou a professora bondosamente.
Judite ficou envergonhada. Como poderia ela contar para a professora que havia ficado brincando no parquinho novamente?
(figura 2) – Um carro me cobriu de lama – disse ela com hesitação.
Aí está. Já estava feito. Disse uma mentira. Mas não foi muito grande, pensou ela. Bem poderia ter acontecido realmente.
– Lama? – havia um tom de surpresa na voz da professora. Então Judite caiu em si. Já fazia semanas e semanas que não chovia.
(figura 3) – Bem, a senhora sabe, o sr. Toninho deixou a mangueira escorrendo na rua e fez uma poça de lama – explicou Judite.
“Com essa já são duas mentiras” – pensou ela. “Oh, queria tanto que a professora não fizesse mais perguntas...”
– Mas seu vestido... não está sujo de lama – ia dizendo a professora.
– Tive que voltar para casa para trocar de roupa – disse Judite sem querer. E disse consigo mesma: “três mentiras!”
– Mas como você conseguiu entrar em casa?
“Puxa vida” – pensou Judite – “esqueci que a professora sabe que a mamãe foi hoje à cidade e não está em casa. O que vou dizer agora?”
– Bem... - Judite podia ver que a professora esperava pela resposta.
(figura 4) – Bem... sim, não fui para minha casa – disse ela, julgando-se um tanto esperta. – Fui à casa da minha prima Dulce e lhe pedi um vestido emprestado. Por isso que demorei tanto, é bem mais longe.
– Vejo – replicou a professora. – Você cresceu bastante para poder vestir roupas da Dulce, não é?
Judite estava quase chorando. Nada dava certo. Se tão somente não tivesse pronunciado aquela primeira mentira! E por que não havia se lembrado que Dulce era bem gorda?
– Este é um de seus vestidos mais antigos – balbuciou ela.
– Dulce deve ter crescido muito depressa – disse a professora, rindo. – Este vestido está como novo! Até parece que não foi lavado nenhuma vez!
Então Judite rompeu em pranto.
(figura 5) – Oh! É tudo mentira! – disse ela, soluçando. Estive brincando no parquinho, igual ao outro dia, mas fiquei com vergonha de que a senhora soubesse.
(figura 6) – Minha querida Judite, eu já sabia que você estava brincando – explicou a professora. – Eu também quase cheguei tarde, e vi você... Você nunca me disse uma mentira antes, não é verdade?
– É verdade, eu nunca disse uma mentira – respondeu Judite. E estou arrependida de ter mentido agora. Mas nunca pensei que teria que dizer cinco mentiras para sustentar a primeira...
– Eu fiz muitas perguntas a você, querida, para que você visse o que sempre acontece com os mentirosos. (figura 1) Uma mentira puxa outra, e logo você tem uma interminável cadeia de mentiras.
É assim que acontece, crianças. Sempre que você disser uma mentira, vai precisar dizer muitas outras para manter a primeira. As mentiras são como os elos de uma corrente: uma puxa a outra
Peça a Jesus que o ajude a sempre falar a verdade, a jamais falar uma mentira sequer.


VERSÍCULO: Não mintais uns aos outros (citação)
FIGURAS:








Para obter figuras coloridas veja:

SALIM - ELE FALOU A VERDADE

Figura 1 (CAPA). Este garotinho vai contar a sua história para nós. Seu Noé é Salim. Ele vivia em um país muito distante do nosso, a Pérsia. Salim não tinha papai, vivia com sua mãe que era muito pobre e fazia um grande esforço para cuidar de Salim.
Chegou um tempo em que ela não tinha mais condições de sustentar o menino e precisou mandá-lo viver com um tio que morava na cidade de Shiraz.
Figura 2 – A mamãe estava muito triste por ter que se separar do seu filho amado, mas era preciso que Salim fosse, lá ele teria condições de estudar e de ter uma vida bem melhor junto com seu tio. Quando Salim estava pronto para partir, mamãe o chamou e disse:
- Filho amado, você vai para longe de mim, mas precisa me prometer que não vai esquecer de 3 coisas que lhe valerão para a vida toda a fim de que você seja um homem de valor. Primeira: que você vai usar de bondade com qualquer pessoa que puder ajudar. Segunda: vai orar a Deus todos os dias. E terceira: sempre vai falar a verdade.
Salim prometeu. A mãe pegou o saquinho onde dentro havia 3 moedas de ouro e costurou-o dentro do colete de Salim, dizendo que era tudo que ela possuía e que aquele pequeno tesouro lhe ajudaria a comprar alguma coisa que necessitasse.
Figura 3 – Salim viajou na companhia de uma caravana (um grupo) de negociantes,q eu levavam mercadorias para serem vendidas em outros lugares. Shraz ficava bem longe de ontem a mamãe dele morava. Bem atrás de duas montanhas e do deserto. Com certeza Salim iria sentir muita saudade da mamãe, mas ele entendia que isso era preciso e que mamãe estava fazendo o melhor que podia.
O serviço de Salim na caravana era ajudar a dar alimentos para os camelos quando a caravana parava para descansar e passar a noite. Salim fazia seu serviço com muita alegria e disposição. Embora com saudades de sua terra e da mamãe, ele nunca estava de mau humor. A caravana havia passado por grandes desfiladeiros (espécie de aberturas que serviam de caminho nas montanhas). Os rochedos dos lados eram muito altos, havia tantas curvas que era difícil enxergar adiante e foi num lugar assim que tiveram que parar, pois a noite havia chegado e não dava para continuar. Todos deitaram para dormir.
Figura 4 – No meio da noite, tudo estava muito escuro e aí chegaram muitos ladrões que costumavam assaltar os viajantes. Quando Salim acordou com o barulho que faziam, viu todos os empregados e os negociantes amarrados e os ladrões ao redor de uma fogueira que haviam feito para se aquecer por causa do frio da noite. E um a um dos negociantes e dos empregados eram levados na presença do chefe dos ladrões, que procurava fazê-los contar quais mercadorias levavam e onde estava o dinheiro delas.
Chegou a vez de Salim. Ele era tão pequeno que o ladrão não queria perder tempo e foi logo dizendo:
- Menino, quanto dinheiro você tem e onde está?
Salim respondeu: - Tenho três moedas de ouro costuradas no meu colete.
O homem deu risada e foi embora. Daí um pouco, outro ladrão fez a mesma pergunta e Salim deu a mesma resposta. Este também não acreditou. Chegou um terceiro e tudo igual, só que este ficou irritado e achando que Salim estava caçoando deles. Então pegou o menino e o levou ao chefe dos ladrões. Os homens contaram a ele o que o garoto dizia. Ele olhou bem para Salim e achou que havia alguma coisa errada. Então, fez a mesma pergunta.
Figura 5 – Todos ficaram quietos olhando para aquele menino tão pequeno, achando que ele não tinha dinheiro algum e esperando sua resposta. Então Salim, olhando bem nos olhos do chefe dos ladrões, disse:
- Tenho 3 moedas de ouro e elas estão costuradas no meu colete! Já falei isso para os outros 3 homens que me perguntaram, mas eles riram e não acreditaram em mim!
E mostrou para o ladrão onde estavam as moedas. Aquele homem ficou surpreso e respondeu:
- Três moedas de ouro? Se isso é verdade porque você me contou? Ninguém contou nada até agora, só você!
E o chefe dos ladrões desabotoou o colete de Salim e viu que realmente havia um saquinho costurado. Abriu e... lá estavam as três moedas de ouro que Salim havia falado.
- Então é verdade! Por que você me contou? – perguntou ele.
Foi ai que o chefe dos ladrões ficou mais surpreso ainda, porque Salim respondeu:
- Contei porque quando deixei minha mãe lá na cidade onde eu morava ela me fez prometer três coisas. A primeira foi: usar de bondade com qualquer pessoa que pudesse ajudar. A segunda foi: orar a Deus todos os dias. E a terceira: sempre falar a verdade.
Todos ficaram admirados com a resposta daquele garotinho e ficaram aguardando o que o chefe dos ladrões iria fazer.
Figura 6 – Todos estavam em silêncio na expectativa de ver o que ia acontecer agora. O chefe dos ladrões tirou do seu próprio cinto mais três moedas de ouro e entregou todas para Salim que agora ficou com seis moedas de ouro. Todos ficaram envergonhados, pois ninguém falou a verdade, somente aquele garotinho. Muitos se arrependeram e pensaram:  “se eu tivesse contado a verdade quem sabe teria ganho o dobro, outro tanto, como aconteceu com Salim”.
O chefe dos ladrões ficou impressionado com a coragem e a honestidade de Salim, que mesmo longe da mamãe estava obedecendo e cumprindo uma promessa que havia feito para ela. Por essa razão ele achou que valeria a pena recompensar Salim por sua atitude correta.
Figura 7 – Salim pôde dizer àqueles homens que ele era um menino que dizia a verdade e obedecia a mãe, pois tinha Jesus em seu coração e que ele havia aprendido na Bíblia que sempre devemos dizer a verdade, obedecer ao papai e a mamãe e ajudar as outras pessoas. Aqueles homens que ficaram envergonhados e disseram uns para os outros, começando mesmo do chefe deles, que daquele dia em diante iriam trabalhar honestamente e nunca mais roubariam. Um menino tão pequeno os ensinou a importância da verdade e da honestidade.
Você sempre obedece sua mãe e seu pai?
Jesus nosso salvador, sempre cumpre tudo o que nos prometeu. Ele fica esperando para ver qual será nossa atitude diante de uma situação difícil. Ele espera que nós cumpramos tudo que prometemos para Ele um dia.

CTECA – CENTRO DE TREINAMENTO PARA EVANGELIZAÇÃO DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES
Rio de Janeiro – 01/04 – Tel (21)
Adaptação e Ampliação: Ruth Rustici ...

VERSÍCULO: João 8:31-32 escrever o versículo..

FIGURAS:








SUGESTÃO DE ATIVIDADE:




UMA DIFERENÇA INTRIGANTE

Hoje tenho dois convidados comigo. Gostaria de apresentar-lhes o João Côco Feliz e o Carlos Côco Resmungão. Por fora, ambos se parecem muito, mas, no íntimo, são bem diferentes. O João Côco Feliz tem sempre um sorriso no rosto. Ele está sempre feliz porque ama a Jesus e sabe que Ele o ama. João Côco Feliz se assemelha ao texto que se encontra em Provérbios 17:22: “O coração alegre serve de bom remédio”. João Côco Feliz sempre faz com que as pessoas se sintam bem quando estão com ele.

Agora quero apresentar-lhes o Carlos Côco Resmungão. Ele é um bebezão que está sempre chorando e querendo que tudo seja feito de acordo com a sua vontade. Talvez você conheça algumas crianças assim. Se não conseguem que as coisas sejam feitas à sua maneira, batem os pés e começam a berrar até que sejam atendidos. O Carlos Côco Resmungão se parece muito com a segunda parte do verso acima que diz: “mas o espírito abatido seca os ossos”. O Carlos chora muito, não porque esteja triste, mas simplesmente porque quer sempre que a sua vontade seja feita.

Como já disse, o Carlos e o João se parecem muito por fora, mas por dentro são muito diferentes. Vou mostrar-lhes a diferença entre eles ao chacoalhar a cabeça deles.

A diferença é que uma faz barulho e a outra mostra o som do líquido sendo agitado dentro (as crianças sempre demonstram surpresa com a diferença entre os côcos).

Bem, meninos e meninas, sabemos que as pessoas não são realmente como estes cocos. Não assobiamos ou parecemos um chocalho quando alguém nos agita, mas somos diferentes, sim, pela forma como pensamos. Todos conhecemos pessoas que estão sempre tristes, sempre reclamando, sempre infelizes. Ninguém gosta de estar com elas. Por outro lado, conhecemos pessoas que são sempre amáveis, que estão sempre felizes. Essas são pessoas cujo coração é alegre e tornam felizes todos os que estão ao seu redor. Conforme diz a Bíblia: “O coração alegre serve de bom remédio; mas o espírito abatido seca os ossos” (Provérbios 17:22).
Bem, meninos e meninas, a diferença entre o  Carlos Côco Resmungão e o João Côco Feliz está na maneira de se comportar: Todos conhecemos pessoas que estão sempre tristes, sempre reclamando, sempre infelizes. Ninguém gosta de estar com elas. Por outro lado, conhecemos pessoas que são sempre amáveis, que estão sempre felizes. Essas são pessoas cujo coração é alegre e tornam felizes todos os que estão ao seu redor. Mas qual é a diferença mesmo?
A diferença é o que tem dentro de cada um deles.. um é vazio, e o outro tem Jesus. Só com Jesus podemos realmente ser felizes e fazer os outros felizes...

Eu quero ser como o João Côco Feliz, e você?
Criança feliz , só com Jesus!!!

VERSÍCULO:  “O coração alegre serve de bom remédio” (Provérbios 17:22).

RECURSOS VISUAIS: Dois côcos, lã para o cabelo, botões para os olhos, nariz e boca.

COMO PREPARAR: Perfure um dos côcos e extraia a água, deixando-o secar por várias semanas, se possível. Depois de seco, coloque-o sobre uma base que faça ruído quando você chacoalhá-lo (ou se você já tiver um côco seco, poderá usá-lo).

Depois, cole o cabelo e faça o rosto com os botões. O côco que faz barulho, o Carlos, deve ter uma expressão zangada; o outro, João Côco Feliz, deve ter um largo sorriso.



O SEGREDO DA MELANCIA


            Cartaz nº 1 – João
- Bem, aqui certamente não é Kansas City, com certeza! – falou João repugnado, olhando hectares e mais hectares de milho plantado na fazenda de seu tio no estado de Kansas. – Se eu tivesse lembrado do que esta fazenda ficava tão distante da vida real, nunca teria vindo aqui de novo – virou-se e andou vagarosamente até a casa.

Cartaz nº2
- Oh, João! Que bom que você está de volta! – disse Tia Laura ao ver João entrar na cozinha. – Veja! Eu fiz sua torta predileta!
João amava torta de maça, e já estendendo a mão para receber a torta disse:
- Oba! Obrigado, Tia!
-Ainda não, filho – disse ela, rindo – espere até o jantar. Porque não sobe, lava as mãos e descansa um pouco? Chamarei logo que o jantar estiver pronto.

Cartaz nº3 – João olhando da janela do quarto
Sentado no quarto de hóspedes, João começou a pensar sobre sua última visita no verão, dois anos antes, quando conheceu André.
André morava perto da fazenda do Tio Jaime. Todas as lembranças sobre André foram boas. Ele gostava de jogar beisebol e era um bom jogador. Ao mesmo tempo não era orgulhoso ou exibido. Como era bom lembrar do tempo que passaram juntos nadando no rio. João então pensou: “Será que ele ainda mora na outra fazenda?”. De repente ficou em pé. – Eu tenho que perguntar – disse ele descendo a escada e entrando na cozinha.
- Tia Laura, você lembra do André? – perguntou João.
Por um momento sua tia pareceu ficar surpresa. Então ela disse:
- André? Oh, sim, nós lembramos muito bem dele.
Foi ai que Tio Jaime entrou e disse:
- Pensando em um jovem ótimo, André era um dos melhores. Todos gostavam dele e era bem-vindo em todas as casas.
Tia Laura parecia saber o que João estava pensando.
- João, - ela falou – nós sabemos que você é da cidade e acostumado a ter muitos colegas ao redor. A vida campestre talvez seja um pouco enfadonho para você, mas queremos fazer sua visita a mais agradável possível.
- Bem, eu sou feliz, mas seria com ter um colega aqui... é por isso que perguntei sobre André. – respondeu João.
João olhou para Tio Jaime e disse:
- Eu escrevi cartas para o André, mas ele parou de responder depois de algumas cartas. O senhor sabia que um dia quando eu estava aqui a outra vez, que nós estávamos nadando no rio e eu quase morri afogado? Se não fosse o André, eu teria morrido, mas ele me salvou.
Tia Laura ficou muito chocada com a história:
- Nunca ouvimos isto – ela comentou.
- André me ajudou em outras coisas também – explicou João. – Eu estava furioso com mamãe e papai porque eu pensei que eles me mandaram pra cá só para se livrarem de mim. Até tentei culpar os senhores e disse a André que deveriam me mandar de volta pra casa.
João viu como a tia ficou magoada, então rapidamente continuou:
- Mas estou bem agora. André me ajudou a entender quanto os dois me amam.
Houve um momento de silêncio, então João falou novamente:
- Me desculpe, Tio Jaime. Eu estava errado, mas me sentia tão só e precisava culpar alguém.
- E nos culpou – Tio Jaime disse, parecendo entender.
- Bem... sim – confessou João. – Mas André logo tomou conta da situação.
- Como? – perguntou Tia Laura.
- Quando fiquei reclamando, André disse que Tio Jaime é o fazendeiro mais sábio do mundo.
- Foi mesmo? – Tia Laura perguntou, surpresa.
- Foi! André disse que Tio Jaime uma vez contou o segredo da melancia. E ele disse que este segredo mudou sua vida – João continuou.
-Com um grande sorriso e lágrimas formando nos olhos, tio Jaime falou:
- Eu nunca vou esquecer aquele dia!
- Por favor, pode me contar o segredo também? – João perguntou.
- Quer dizer que André não contou? – perguntou Tio Jaime.
- Bem, ele começou, mas sua mãe o chamou para jantar. E foi a última vez que vi André, porque voltei para casa no outro dia.
Tio Jaime pensou um momento e depois levantou:
- Bem, eu já ia terminar o trabalho e Tia Laura precisa lavar a louça, mas pensando melhor, vou pegar uma das nossas melancias gigantes e vou contar o segredo para você também.
Em poucos minutos João esta sentado no terraço da casa com seus tios. Em frente do Tio Jaime estava uma melancia enorme!
- Ah! – disse Tio Jaime pensativo – Fazem poucos anos que sentei aqui mesmo e contei o segredo da melancia para André... certo, Laura?
Tia Laura, com os olhos cheios de lágrimas, acenou com a cabeça.
João ficou perplexo com o silêncio da Tia, mas sua curiosidade sobre o segredo foi maior.
- Bem, João – disse Tio Jaime, cortando a melancia ao meio – quando Deus criou o universo, o sol, a lua, as estrelas, o mundo, ele deve ter olhado para o espaço e se sentido só. Não sabemos com certeza, porque a Bíblia não diz. Mas sabemos que no sexto dia, Deus criou o homem e Ele o chamou Adão. Então Ele o colocou em um lindo jardim, onde criou também Eva, que se tornou a esposa de Adão.

Cartaz nº5 Adão e Eva.
Tio Jaime continuou:
- Tudo correu muito bem por um tempo, até um dia quando Eva ouviu uma voz – uma voz que não tinha escutado antes. Era o Diabo que tinha entrado no corpo de uma serpente. Sabe João, Deus tinha dado a Adão e Eva tudo – tempo agradável, tudo o que precisava para comer, tudo, quer dizer, MENOS Sua permissão para comer o fruto da árvore do conhecimento do bem e do MAL. Só havia uma regra que Deus disse que tinha que obedecer: não podiam comer do fruto daquela árvore. E, sabe, o diabo era tão astuto, que conseguiu convencer Eva a escutar só um minutinho. E foi ai que o problema começou.
Tio Jaime pegou uma semente de melancia e colocou na sua mão.
- A semente de curiosidade, foi isto mesmo. Eva sabia tão bem quanto Adão que ela deveria ficar longe daquela árvore; mas não, não resistiu a tentação, e antes de pensar duas vezes, ela deu uma mordida na fruta.
Espantado João perguntou:
- Ela comeu??
 - Sim – disse Tio Jaime, olhando à semente na sua mão. – Filho, me diga uma coisa, que é que você vê aqui? Algo brilhante ou algo escuro como a noite?
- Algo escuro – respondeu João
- Certo – Tio Jaime concorda. -  E você sabe o que aconteceu depois que Eva comeu da fruta daquela árvore e ofereceu para Adão, e ele também comeu! Bem, é triste, mas quando desobedeceram a Deus, o pecado entrou no mundo. Naquele dia, o coração do homem se tornou tão escuro quanto esta sementinha. A Bíblia nos diz: “Como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porquanto todos pecaram”. A palavra TODOS é importante porque quer dizer exatamente isto: todos!
- João, leia aqui – Tia Laura disse, tirando uma Bíblia pequena do bolso do avental. Ela abriu para Romanos 3:23.
- “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” – Leu João.
- Está certo, Tio Jaime. Diz TODOS. – pensativo ele cochichou – mas isto também me inclui...

Cartaz nº 4 novamente
Tio Jaime apontou mais uma vez para a melancia.
- E pense só nisto – ele falou. – Em pouco tempo, aquela sementinha se espalhou pelo mundo todo, um pouco parecido com as sementinhas escuras desta melancia. E sabe – ele disse – há algo que todos nós fazemos quando comemos a melancia: cuspimos fora as sementes. Nós podemos nos livrar das sementes, mas não temos nenhuma maneira de nos livrar do pecado.
- João – disse seu tio. – Deus pode tirar o pecado... e o fez, dando ao mundo o melhor presente que poderia receber.
Mais uma vez Tio Jaime aponta para a melancia.
- Me diga, filho, o que PE que está cobrindo as sementinhas escuras?
- A parte vermelha – disse João.
- Certo, e você sabe de que a parte vermelha me lembra? A Bíblia diz que o sangue de Cristo, o Único Filho de Deus, nos purifica de todo pecado (I João 1:7). Deixe me contar como é que acontece.
- No Jardim do Éden, Deus fez uma promessa que mandaria um Salvador ( Gênesis 3:15) – alguém para nos salvar do pecado. Durante milhões, todo mundo esperou, até uma noite, Deus mandou seu Único Filho, Jesus, para nos salvar do nosso pecado (Gálatas 4:4).
- Agora Jesus não foi uma pessoa qualquer. Ele era perfeito em todos os sentidos. Ele era bondoso e andou fazendo o bem. Mas o povo não era bondoso para Ele, porque Ele falava a verdade. Ficaram furiosos. Eles pregaram Jesus na cruz no monte de Calvário. Bem, deixe-me dizer outra coisa – falou Tio Jaime. – Quando Jesus morreu na cruz, Ele tomou sobre si o castigo do NOSSO pecado. Veja só, João. Deus disse que o salário do pecado é a morte – ou separação eterna de Deus. Nós merecemos morrer por nossos pecados. Mas quando Jesus Cristo morreu, o preço total foi pago. Escute o que Deus diz na Bíblia: “Cristo morreu por nossos pecados... foi sepultado e, foi ressuscitado (ou viveu) ao terceiro dia” (I Coríntios 15:3,4). Jesus vive hoje. Agora é possível ter perdão dos nossos pecados para podermos viver para sempre com Ele.
Tio Jaime continuou:
- Um dia, um grande rei, Davi, fez algo muito errado.

Cartaz nº6 – O Rei Davi
- Quando se arrependeu do seu pecado, ele orou a Deus e disse: “Lave-me, e eu serei mais algo que a neve” (Salmos 51:7). É isto que o sangue de Jesus faz por nós, João. Quando cremos no Senhor Jesus como Salvador do pecado, ele nos perdoa. Seu sangue tira o nosso pecado.
- Está vendo como esta parte da casca é branca? Isto me lembra de como Deus vê os nossos corações – o nosso interior – depois que Jesus nos limpa do pecado. André ouviu o mesmo segredo e naquela hora, ele queria ter o coração limpo do pecado.
- E ele creu em Jesus? – João perguntou.
- Com certeza. E você, João? – perguntou Tio Jaime. – Você gostaria de fazer o que André fez? (PAUSA) A Bíblia diz que se você crer no Senhor Jesus Cristo será salvo (Atos 16:31). Você gostaria de pedir perdão a Deus pelo seu pecado, hoje mesmo?
- Oh, sim! – disse João.
- Então repita esta oração – seu tio disse – Mas tem que ser com sinceridade.
Tio Jaime orou uma oração simples e João repetiu:
- Senhor Deus, eu sei que sou pecador e me arrependo de tudo que eu tenha feito errado. Creio que Jesus morreu na cruz por mim. Eu peço que me limpe de todo o pecado, obrigado. Em nome de Jesus, amém.
Quando terminaram, João pulou:
- Oh, estou tão feliz, Tio Jaime. Eu quero ver André e e dizer a ele que Jesus também é meu Salvador agora!
Os olhos de Tia Laura encheram de lágrimas mais uma vez:
- Talvez você deva se sentar de novo, João. Tio Jaime tem mais algo para dizer.
- Lembra do lugar do rio onde você disse que André salvou sua vida dois anos atrás? – perguntou Tio Jaime.
- Nunca esquecerei – disse João.
- Bem, André não tinha um colega com ele quando foi nadar um dia, e ele morreu afogado.
João mal conseguia entender o que seu tio estava dizendo:
- Quer dizer que André morreu? – perguntou.
- Todos nós ficamos muito tristes com a morte de André, - continuou Tia Laura. – Ele era um bom menino e todos nós sentimos muito a falta dele.
Ela ficou pensativa um momento e depois sorriu, dizendo:
- Mas somos gratos porque sabemos que ele está com Jesus agora
Tio Jaime mais uma vez olhou para a melancia e disse:
- André está em um lugar bem melhor, pode ter certeza disto. E não terminamos a história da melancia. Algumas pessoas não sabem o que acontece antes que a melancia comece a se formar. Você gostaria de saber? – perguntou Tio Jaime sorrindo para João.
- É, eu acho que sim – João respondeu tristemente.

A FLOR DA MELANCIA – O CÉU Cartaz nº 7 – O Céu
- Bem, - disse Tio Jaime – há uma linda flor na planta da melancia. É dourada como as ruas no Céu, onde Deus habita. A bíblia diz, “As ruas do Céu são de ouro puro” e é onde André está agora. Ele está com Deus – Deus que o amou e Deus que ama a você. (João 3:16)
João pensou durante alguns minutos, então sorriu.
- Sabem , - ele disse – quando deixei de receber as cartas do André, eu pensei que ele tivesse me esquecido. Agora eu sei porque. Eu sou tão feliz que sei onde ele está agora.
- E tenho certeza que ficará feliz em ver você um dia, João – disse Tia Laura.
Cartaz nº 8
Tio Jaime se inclinou e pegou as duas bandas da melancia, colocou-as juntas e perguntou:
- João, deixe-me perguntar uma coisa. Qual a cor que você vê quando eu junto as duas partes da melancia?
- Verde – João respondeu. – Só posso ver o verde.
- Certo – disse seu tio. – E o verde nos lembra das coisas que crescem. Você sabia que a Bíblia nos manda crescer no conhecimento do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo? Veja João, quanto mais nós crescemos obedecendo a Palavra de Deus, mais perto estamos do Senhor. E quanto mais aprendemos da Palavra dEle, mais fácil se torna resistir aquelas sementinhas de tentação e pecado. O segredo está bem aqui dentro dessa melancia - disse Tio Jaime. – Deus tem um plano maravilhoso para as nossas vidas.
João ficou quieto alguns minutos, então olhou para seus tios e disse:
- Eu não estava feliz quando cheguei aqui. Tinha raiva de todos. E estava errado. Mas agora eu sei porque estou aqui e quero ficar.
Tio Jaime riu:
- Bem, não vai demorar muito e seus pais chegarão para levar você de volta para casa. E quando chegar em casa, me prometa que vai contar o segredo da melancia para seus colegas.
Poucos dias depois, os pais de João chegaram. Ficaram muito felizes em vê-lo.
E João, bem... Ele estava feliz, também. Tinha muitas coisas para contar aos pais, mas havia uma coisa especial que foi a primeira que ele contou. Alguém pode adivinhar o que foi? (Deixe as crianças responderem).


Agora eu tenho uma pergunta para você: você já descobriu o segredo da melancia? Você já creu no Senhor Jesus Cristo como seu Salvador do pecado? Você pode fazer isto hoje mesmo. Nós temos a promessa de Deus: “Creia no Senhor Jesus Cristo e serás salvo” (Atos 16:31). Você pode recebê-Lo agora mesmo ou até na sua casa, mas gostaria de mostrar que Jesus é SEU Salvador. Se você está pronto para aceitar Jesus como Salvador, encontre comigo (Fale um lugar específico para encontrar com os que querem aceitar a Cristo).

OBJETIVOS DA LIÇÃO: Para a criança não salva: que ela possa crer em Jesus Cristo e ser salva hoje.
Para a criança salva: que ela possa testemunhar a pelo menos duas crianças esta semana.

TEXTO BÍBLICO: Gênesis 3:15; Romanos 3:23; 5:12; I João 1:7; Salmos 51:7; Aos 16:31 – Outros versículos são usados durante a lição.

VERSÍCULO:                      “Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo...” Atos 16:31
Este versículo será ensinado durante a lição, Faça uma explicação do versículo fazendo perguntas:
“Deus quer que você creia o que sobre Jesus Cristo?” (Que Ele morreu e ressuscitou para nos salvar).
“Como é que mostramos a Deus que nós cremos no Seu Filho?” (Recebendo Jesus como Salvador).
“Quando cremos em Jesus, Ele nos salva do que?” (Nosso pecado).
“O que significa isto?” (Ele perdoa o pecado e limpa nosso coração).

Divida o grupo em dois times e coloque os dois times de frente um com o outro. Peça para dizerem o versículo alternando as palavras.

VISUAIS: Coloque os cartazes em ordem, 1-4. Na media que  vai contando a lição, coloque os cartazes 1-3 atrás. Vire os cartazes depois de mostrar no  4. Os cartazes 5-8 já estarão na ordem certa.
      Para visuais especiais, corte 4 “melancias” de cartolina dupla face verde (duas de cada folha). Corte um retângulo 18cm. X 25 com, no centro. Cole as figuras 1-4 sobre a abertura, colocando as bordas. Figuras 5-8 aparecerão no outro lado. Tire cópias do lembrete para cada criança. Elas podem pintar o lembrete e usá-lo para contar o segredo da melancia para colegas.
Para o trabalho manual, vai precisar de um prato de papel, e lápis para cada criança(bastante hidro-cores – verde, vermelho e preto). Também, cópias dizendo as cores e versículos, para serem coladas dentro de cada melancia.
Caso não haja tempo de fazer o trabalho manual, dê à cada criança uma cópia da folha.

JOGOS: Os jogos seguintes preparam o ambiente da história com o tema da melancia. SERÁ NECESSÁRIO PELO MENOS DOIS AJUDANTES. Prepare tudo com antecedência. Oferecça um palito de picolé para que a criança que não gosta de melancia, possa tirar as sementes. Será necessário bastante guardanapos ou toalhas de papel.

COLEÇÃO DE SEMENTES: Na hora de servir a melancia, dê também um copinho de plástico para cada criança. Fale para colocar cada sementes que achar dentro do copinho, por que haverá duas competições e eles VÃO PRECISAR de TODAS as sementes!
Depois que todos terminarem de comer a melancia, peça para cada criança contar suas sementes. A criança que estiver com mais sementes, ganha um prêmio.

SOPRAR A SEMENTE: Corte duas melancias grandes de duas folhas de cartolina dupla face verde – o tamanho da folha. Se for usar em várias classes, deve ser plastificados. (Alternativo: com um marcador, desenhe dois ovais em um saco de lixo branco). Se o grupo for muito grande, prepare mais do que 10 crianças. Divida o grupo em times e faça uma linha pelo menos um metro de distância da sua “melancia”. Uma criança de cada time pega 3 sementes do seu copinho. A criança coloca uma das 3 sementes na ponta da língua e assopra, tentando colocar a semente dentro da “melancia”. Crianças assopram uma semente de cada vez e vai para o fim da fila. Continua até cada criança assoprar as três sementes. O objetivo do jogo não é rapidez, e sim pontaria. No final do jogo, os juízes contarão o número de sementes em cada oval. O time que tiver mais sementes dentro, será o vencedor.

REVEZAMENTO DE MELANCIA: Encha alguns balões verdes. Divida o grupo em times de dez, e coloque em filas. Dê um balão, representando uma melancia, à primeira criança de cada fila. Quando eles ouvirem o apito, o balão de cada time é passado por cima da cabeça da primeira criança, entre as pernas da segunda criança, e alternando dessa maneira até a última criança da fila. Aquela criança corre até a frente da fila e o jogo continua até que a criança original esteja na frente de novo. A equipe que terminar primeiro será a vencedora. Cada time tem direito a só mais um balão, no caso de estourar o primeiro.

ARREMESSO DE MELANCIA: Pegue um balão verde para cada 2 crianças e coloque água dentro. Divida as crianças em duas filas, uma olhando para a outra, com 30 cm de distância. Todos de uma fila recebem um balão cheio d’água. Cada criança deverá arremessar sua “melancia” para a criança que está na sua frente, que será o seu parceiro. Então as duas filas dão um passo para trás e arremessa os balões mais uma vez. Cada vez que são jogados os balões, fale para eles darem um passo para trás. Isto continua até estourar um balão. Aquela dupla sai da competição e o jogo continua. A última dupla são os vencedores.

FIGURAS: 



















SUGESTÃO DE ATIVIDADE: 


SUGESTÃO DE LANCHINHO: 






UMA MENTIRA PUXA A OUTRA

– Por que você chegou atrasada hoje, Judite? – perguntou a professora bondosamente.
Judite ficou envergonhada. Como poderia ela contar para a professora que havia ficado brincando no parquinho novamente?
(figura 2) – Um carro me cobriu de lama – disse ela com hesitação.
Aí está. Já estava feito. Disse uma mentira. Mas não foi muito grande, pensou ela. Bem poderia ter acontecido realmente.
– Lama? – havia um tom de surpresa na voz da professora. Então Judite caiu em si. Já fazia semanas e semanas que não chovia.
(figura 3) – Bem, a senhora sabe, o sr. Toninho deixou a mangueira escorrendo na rua e fez uma poça de lama – explicou Judite.
“Com essa já são duas mentiras” – pensou ela. “Oh, queria tanto que a professora não fizesse mais perguntas...”
– Mas seu vestido... não está sujo de lama – ia dizendo a professora.
– Tive que voltar para casa para trocar de roupa – disse Judite sem querer. E disse consigo mesma: “três mentiras!”
– Mas como você conseguiu entrar em casa?
“Puxa vida” – pensou Judite – “esqueci que a professora sabe que a mamãe foi hoje à cidade e não está em casa. O que vou dizer agora?”
– Bem... - Judite podia ver que a professora esperava pela resposta.
(figura 4) – Bem... sim, não fui para minha casa – disse ela, julgando-se um tanto esperta. – Fui à casa da minha prima Dulce e lhe pedi um vestido emprestado. Por isso que demorei tanto, é bem mais longe.
– Vejo – replicou a professora. – Você cresceu bastante para poder vestir roupas da Dulce, não é?
Judite estava quase chorando. Nada dava certo. Se tão somente não tivesse pronunciado aquela primeira mentira! E por que não havia se lembrado que Dulce era bem gorda?
– Este é um de seus vestidos mais antigos – balbuciou ela.
– Dulce deve ter crescido muito depressa – disse a professora, rindo. – Este vestido está como novo! Até parece que não foi lavado nenhuma vez!
Então Judite rompeu em pranto.
(figura 5) – Oh! É tudo mentira! – disse ela, soluçando. Estive brincando no parquinho, igual ao outro dia, mas fiquei com vergonha de que a senhora soubesse.
(figura 6) – Minha querida Judite, eu já sabia que você estava brincando – explicou a professora. – Eu também quase cheguei tarde, e vi você... Você nunca me disse uma mentira antes, não é verdade?
– É verdade, eu nunca disse uma mentira – respondeu Judite. E estou arrependida de ter mentido agora. Mas nunca pensei que teria que dizer cinco mentiras para sustentar a primeira...
– Eu fiz muitas perguntas a você, querida, para que você visse o que sempre acontece com os mentirosos. (figura 1) Uma mentira puxa outra, e logo você tem uma interminável cadeia de mentiras.
É assim que acontece, crianças. Sempre que você disser uma mentira, vai precisar dizer muitas outras para manter a primeira. As mentiras são como os elos de uma corrente: uma puxa a outra
Peça a Jesus que o ajude a sempre falar a verdade, a jamais falar uma mentira sequer.


VERSÍCULO: Não mintais uns aos outros (citação)
FIGURAS:








Para obter figuras coloridas veja:


Postado por : Trabalhinhos Blogdomingo, 11 de maio de 2008
Versículo para memorizar: "Em tudo dai graças." 1Tessalonissenses 5:18
Cântico: "Deus mandou o sol brilhar" - Cânticos de Salvação vol.4 da APEC

Dica: Recorte as figuras e coloque atrás de cada uma delas um espeto de churrasco, preso com fita adesiva. Porque assim fica bem mais fácil de manusear, como se fosse uma placa.
História
Filipe acordou bem cedinho para ir à escola. Comeu um delicioso biscoitão no seu café da manhã. Hummm!!! Que delícia!

Como é bom poder comer e ter o que comer. Deus nos ama tanto que sempre nos dá o que necessitamos para comer. O que você comeu hoje? (deixe as crianças falarem). Deus ama muito a cada um de nós. Ele criou todas as coisas e criou você e a mim. Ele é Perfeito e santo e está no Céu. E porque nos ama, quer que estejamos para sempre com Ele. A Bíblia dis em João 3:16: "Porque Deus amou o mundo..." Quem está no mundo? Sim, você e eu. Você pode colocar o seu nome no lugar da palavra mundo. Cada vez que você comer alguma coisa, lembre-se que é Deus que nos ama e nos dá a comida, como o biscoitão gostoso que Felipe comeu.Felipe estava tão contente que disse à sua mãe: "Muito obrigado pelo biscoitão, mamãe."Mas a mamãe respondeu: "Você não deve agradecer a mim, mas ao padeiro, que fez o biscoitão."
Felipe correu para a padaria e disse ao padeiro: "Sr. padeiro, muito obrigado pelo delicioso biscoitão que eu comi hoje no café da manhã."
O padeiro então disse: "Não me agradeça, agradeça ao fazendeiro que plantou o trigo para termos a farinha de trigo pra fazer o biscoitão."
Daí, Felipe foi até o fazendeiro e disse: "Sr. fazendeiro, agradeci à mamãe pelo biscoitão que comi e ela me mandou agradecer ao padeiro. Fui ao padeiro, e ele disse que era pra agradecer ao senhor. Muito obrigado pelo biscoitão que comi."
O fazendeiro disse que não era pra ele agradecer, mas para agradecer ao trigo.
Felipe foi até a plantação e disse ao trigo: " Sr. trigo, muito obrigado pelo delici
oso biscoitão.""Não agradeça a mim - disse o trigo - agradeça à chuva, que me fez crescer."
Felipe olhou pra cima e disse: "Muito obrigado chuva, pelo gostoso biscoitão que comi.""Não - disse a chuva - não agradeça a mim, agradeça ao sol, pois se não fosse ele, eu nada poderia fazer para que o trigo crescesse."

Sr. sol, hoje comi um delicioso biscoitão e agradeci á minha mãe, mas ela me mandou ir ao padeiro agradecer. Fui até ele e ele me mandou agradecer ao fazendeiro, e o fazendeiro disse pra agradecer ao trigo. Fui até o trigo agradecer, mas ele disse pra eu agradecer à chuva, que logo depois me mandou vir te agradecer. Muito obrigado pelo delicioso biscoitão!"
Você já imaginou a nossa vida sem o sol? O sol não nos dá só calor, mas dá luz e com a luz dá as cores. Sem a luz o nosso mundo seria tudo sem nenhum colorido. 
Mas do que essa luz que vemos nós precisamos da Luz do mundo que é o Senhor Jesus que veio ao mundo para ser Luz que pode acabar com a escuridão do pecado.


A Bíblia nos diz que todos pecaram (Rm 3:23). Pecado é tudo aquilo que fazemos ou falamos que não agrada a Deus. Como mentir, brigar (deixe as crianças darem mais exemplos). Todos nascemos no pecado e não conseguimos nos livrar dele sozinhos. O pecado precisa ser castigado que é ficarmos para sempre na escuridão longe de Deus. Mas Deus nos ama tanto que nos deu Jesus que é a Luz do mundo, que nos tira da escuridão e nos dá a luz da vida (João 8:12). Jesus pegou os nossos pecados e sofreu em nosso lugar, como se Ele houvesse pecado, mas na verdade, Ele foi o único que nunca pecou. Ele fez isso por nos amar e derramou o seu sangue para que pudéssemos estar pertinho de Deus. Que maravilha ter Jesus no coração e tê-lo como a nossa Luz!Então, o sol disse a Felipe: "Não me agradeça, Felipe. Agradeça a Deus, que me fez e que fez todas as coisas.

Filipe fechou os olhos e agradeceu a Deus pelo gostoso biscoitão que comeu no café da manhã e por tudo o que Deus criou!"
Nós devemos ser gratos por tudo (pergunte ás crianças os motivos que as levem a agradecer a Deus). Como é triste quando alguém se esquece de nos agradecer por algo que fazemos por elas. Assim também, Deus quer que sejamos agradecidos.Se você já tem Jesus, já tem muito a agradecer. Se não tem, peça que Ele limpe o seu coração de todo o pecado e que venha ser Luz em sua vida. Você deve admitir que é pecador e crer que Jesus sofreu e morreu em seu lugar, pelos seus pecados, e pedir que Ele limpe o seu coração de todo pecado. Você quer fazer isso hoje? (faça o apelo e ore com as crianças que aceitaram a Jesus)
Enfatize que devemos ser gratos não somente pelo que Deus faz, mas também pelo que ele é: Amor, Paz, Criador, etc.

(história da APEC)






















8 comentários:

Anônimo disse...

Nossa!!!!!Que blog lindooooo!!!!! Amei!!!!!. Parabéns e que Deus continue te usando e te abençoando ricamente...

Anônimo disse...

parabéns gostei muito do blog,vai me ajudar muito com as crianças,que o SENHOR continue te abençoando grandemente.






Zulmiraspn disse...

Olá!
Achei seu blog muito fofo! Que Deus continue lhe capacitando!

Anônimo disse...

Amada a Paz do Senhor!
Deus lhe abençõe rica e abundantemente. Seu blog e simplismente benção para nossas vidas.

[Responder comentário]
juvaneide nascimento disse...

Que Deus te abençoe e te capacite cada vez mais.se blog é maravilhosamente maravilhoso amei obg por compartilhar conosco bjos e a paz do senhor.

[Responder comentário]
juvaneide nascimento disse...

Que Deus te abençoe e te capacite cada vez mais.se blog é maravilhosamente maravilhoso amei obg por compartilhar conosco bjos e a paz do senhor.

[Responder comentário]
Consultora em Educação disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Muuuuuuito legal seu blog... Ótimas Histórias!!!
Só senti dificuldades por causa das animações como coraçõezinhos e borboletas caindo.